Palestina partida: os bantustões de Israel - um estudo comparativo entre as normas institucionais de segregação nos territórios palestinos e na África do Sul do Apartheid.

Autores

  • Guilherme Morgensztern Russo Fundação Getulio Vargas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2446-5240.malala.2017.131664

Palavras-chave:

Apartheid, Israel, Territórios Palestinos, segregação, racismo, África do Sul, Bantustões.

Resumo

Por meio de comparações entre as normas que estabeleceram e regeram os bantustões sul-africanos e as que regulam os Territórios Palestinos – e seus processos de formação, dinâmicas sociais e econômicas – este artigo pretende aferir fundamentos das críticas que qualificam o governo de Israel como um regime de apartheid.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Morgensztern Russo, Fundação Getulio Vargas

Jornalista formado pela PUC-SP, atuou entre 2010 e 2015 como repórter e editor-assistente de Internacional nos veículos impressos e online do grupo de comunicação ‘O Estado de S.Paulo’. Esta pesquisa foi desenvolvida na Fundação Getulio Vargas, como trabalho de conclusão do MBA em Relações Internacionais da instituição. O artigo foi finalizado em setembro de 2015.

Downloads

Publicado

2017-04-30

Como Citar

Russo, G. M. (2017). Palestina partida: os bantustões de Israel - um estudo comparativo entre as normas institucionais de segregação nos territórios palestinos e na África do Sul do Apartheid. Malala, 5(7), 89-110. https://doi.org/10.11606/issn.2446-5240.malala.2017.131664