Petróleo de Marrakesh e Senhoras aa Solidão: Um Debate Sobre Prostituição a Partir da Análise do Longa Metragem Marroquino: “Muito Amadas”.

Autores

  • Flávia X. M. Paniz Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2446-5240.malala.2017.138684

Palavras-chave:

Marrocos – Gênero – Prostituição.

Resumo

O artigo busca apresentar uma resenha crítica do filme “Muito Amadas” (Much Loved) escrito e dirigido pelo cineasta franco-marroquino Nabil Ayouch e exibido no festival de Cannes no ano de 2015. O longa metragem em questão narra a história de quatro mulheres marroquinas que trabalham como prostitutas na cidade de Marrakesh. O texto apresenta uma discussão sobre os dilemas que envolvem os debates acadêmicos contemporâneos sobre prostituição buscando relacionar como a construção das personagens no roteiro se encaixam e também transbordam algumas das perspectivas políticas e analíticas sobre trabalho sexual discutidas nas ciências sociais hoje.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia X. M. Paniz, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Doutoranda do Programa de Pós Graduação em Sociologia da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e realiza pesquisa sobre questões de gênero e feminismo pós-colonial no contexto contemporâneo da Questão Curda.

Downloads

Publicado

2017-10-03

Como Citar

Paniz, F. X. M. (2017). Petróleo de Marrakesh e Senhoras aa Solidão: Um Debate Sobre Prostituição a Partir da Análise do Longa Metragem Marroquino: “Muito Amadas”. Malala, 5(8), 105-114. https://doi.org/10.11606/issn.2446-5240.malala.2017.138684