Mulheres no mundo muçulmano e o ativismo para os direitos humanos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2446-5240.malala.2020.161807

Palavras-chave:

direitos humanos, mulheres, mulçumananas, ativismo

Resumo

Os Direitos Humanos surgiram com caráter universal e generalista. Dessa forma, seus preceitos deveriam ser úteis para todos e todas. Todavia, no primeiro momento em que foi pensado – a partir de um ponto de vista masculinista – não foram incluídos direitos e demandas específicas das mulheres. Esse contexto foi mudado a partir do processo de especificação do sujeito de direito, que resultou em documentos voltados exclusivamente para elas, a partir do ativismo, incluía-se os Direitos Humanos das mulheres no cenário internacional. No entanto, o referencial criado foi criticado por feministas de fora do norte global por representar demasiadamente uma ótica branca e ocidental. Este artigo traz o caso específico das muçulmanas, apresentando como o ativismo delas se dá no sentido de trazer o instrumental de Direitos Humanos para sua realidade. Para tanto, nesse trabalho, abordam-se os desafios em geral enfrentados por esse grupo de mulheres e como estas agem. Destaca-se a importância dessas novas vozes, tanto no cenário internacional quanto no processo de internalização no âmbito local, para a maior eficácia e legitimidade dos Direitos Humanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Evelyn Faria da Silva Luz, Universidade Federal de Roraima (UFRR)

Evelyn Faria da Silva Luz é graduada em relações internacionais pela Universidade Federal de Roraima
(UFRR), trabalha com a causa do fluxo de venezuelanas para o Brasil e o recorte de gênero no refúgio e
migrações. Link para currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/1452383531677559. E-mail para contato:
evelynluz11@gmail.com. ORCID ID: https://orcid.org/0000-0002-0810-5849

Referências

AFKHAMI, Mahnaz. Introduction. In: AFKHAMI, Mahnaz. (Org.).Faith and Freedom: Women`s human rights in the muslim world. Nova York: Syracuse University Press,1995. p. 5-17

AL-HIBRI, Azizah. Legal Reform: Reviewing Human Rights in the Muslim World. Harvard International Review. v.50, n.20, p.56-68, jul/set. 1998. Disponível em: <https://scholarship.richmond.edu/cgi/viewcontent.cgi?referer=https://www.google.com.br/&httpsredir=1&article=1159&context=law-faculty-publications >. Acesso em: 2 nov. 2018

BARATTO, Márcia. Direitos Humanos e diálogo intercultural: Possibilidades e limites. 2009. 160p. Dissertação (Mestrado em Ciência Política)- Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.

BOBBIO, Noberto. A Era dos Direitos. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004 p.12-57

BUNCH, Charlortte. Women`s rights as human rights: Toward a Re-Vision of Human Rights. In: Human Rights Quarterly v.12 Baltimore: Jonhs Hopkins University Press. 1990 p.486.498 Disponível em:< https://www.jstor.org/stable/762496?read-now=1&refreqid=excelsior%3Ad084ed95ed29dadaf98fa7d36c0dc16b&seq=1#page_scan_tab_contents>. Acesso em: 5 maio. 2018.

BUNCH, Charlotte. Transforming human Rights from a feminist Perspective. in PETERS, Julie; Wolper, Andrea (Org.). Women`s Rights. Human Rigths: International Feminist Perspectives. Londres: Routledge,1995. p.11-16

CHARLESWORTH, Hilary. What are women’s international human rights? In Human rights of women: National and international perspectives, In:. Cook, Rebecca(Org.). Human rights of women: National and international perspectives. Filadélfia: University of Pennsylvania Press. 1994. p.52-84 Disponível em:<https://trove.nla.gov.au/work/30358935?selectedversion=NBD11001037>. Acesso em: 12 out. 2018

CHARLESWORTH, Hilary. Human Rights as Men`s Rights in PETERS, Julie; Wolper, Andrea (Org.). Women`s Rights. Human Rigths: International Feminist Perspectives. Londres: Routledge,1995. p.103-114

DOUMATO.Eleanor Abdella. The ambiguity of Sharia and the politics of rights in Saudi Arabia- In:. AFKHAMI, Mahnaz (Org.).Faith and Freedom: Women`s human rights in the muslim world. Nova York: Syracuse University Press,1995. p. 135-167

GALLARDO, Hélio. Teoria crítica: matrizes e possibilidades de Direitos Humanos. 1.ed.São Paulo: Editora UNESP, 2013. p. 231-265

KAUFMAN, Natalie; LINDQUIST, Stefanie.Critiquing Gender-Neutral Treaty Language: The Convention on the Elimination of All Forms of Discrimination Against Women in PETERS, Julie; Wolper, Andrea (Org.). Women`s Rights. Human Rigths: International Feminist Perspectives. Londres: Routledge,1995. p.103-114

LAFER, Celso. A Reconstrução dos Direitos Humanos: Um Diálogo com o Pensamento de Hannah Arendt. São Paulo. Companhia das letras. p.163-198

LIMA, Valcecila. Feminismo islâmico: mediações discursivas e limites práticos. 2017. 235p. Tese (Doutorado)- Faculdade de filosofia, letras e ciências humanas da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

LOSANO, Mário. Os grandes sistemas jurídicos: Introdução aos sistemas jurídicos europeus e extra europeus. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2007. p.399-459

MATTAR, Laura; GONÇALVES, Tamara. Convenção interamericana para prevenir, punir e erradicar a violência contra a mulher(1994). Convenção Belém do Pará. In: PIOVESAN, Flávia (Org.). Código de direito internacional dos Direitos Humanos anotado. São Paulo: DPJ editora, 2008. p. 1339-1350

MAYER, Ann Elizabeth. Universal versus islamic human rights: a clash of cultures or a clash with a construct?.Michigan Journal of International Law, Michigan, v. 12 n.2, p. 307-404, jan./mar. 1994 .Disponível em: < https://repository.law.umich.edu/cgi/viewcontent.cgi?referer=&httpsredir=1&article=1562&context=mjil >. Acesso em: 17 out. 2018

MAYER, Ann Elizabeth. Rhetorical Strategies and official policies on Women`s Rights: The merits and Drawbacks of the new world hypocrisy. In:. AFKHAMI, Mahnaz (Org.).Faith and Freedom: Women`s human rights in the muslim world. Nova York: Syracuse University Press,1995. p. 104-133

MAYER, Ann Elizabeth. The Islam and Human Rights Nexus: Shifting Dimensions. Muslim World Journal of Human Rights. Pennsylvania, v. 4, n. 1, jan/mar 2007. Disponível em: < http://islamlawandwar.insct.org/wp-content/uploads/2014/06/Mayer_Islam_and_Human_Rights_Nexus__Shifting_Dimensions.2007.pdf >. Acesso em: 17 out. 2018

MIR‐HOSSEINI, Ziba. Muslim Women’s Quest for Equality: Between Islamic Law and Feminism. Critical Inquiry. Chicago. v. 32, n. 4 p.629-645. jul./set. 2006 Disponível em: < https://www.jstor.org/stable/10.1086/508085>. Acesso em: 15 nov. 2018

MOJAB, Shahrzad. Theorizing the Politics of Islamic Feminism. Feminist Review, v.81, n.69. p.124-146, dez./mar. 2001. Disponível em: < https://www.jstor.org/stable/1395633?seq=1#page_scan_tab_contents >. Acesso em: 20 out. 2018

MONSHIPOURI, Mahmood. O Mundo Muçulmano em uma Era Global: A Proteção dos Direitos das Mulheres. Revista Contexto Internacional. Rio de Janeiro, v.26, n 1, jan./jun. 2004, p.187-217. Disponível em: < http://contextointernacional.iri.puc-rio.br/media/Monshipouri_vol26n1.pdf Acesso em: 27 out. 2018

MUTAHHARI, Mutadã. Os Direitos das mulheres no Islã. Lisboa: Editora ADFA, 1998. p.107-174

NAGENGAST Carole. Women, Individual Rights and Cultural Relativity: Power and Difference in Human Rights Debates. Women and International Development, Michigan, set./dez 1998 Disponível em: <http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.195.5494&rep=rep1&type=pdf >. Acesso em: 17 out. 2018

NARAYAN, Uma. Essence of Culture and a Sense of History: A Feminist Critique of Cultural Essentialism. Hypatia, Nova Jersey, v.13, n. 2, p. 86-106, mar/ jun. 1998 Disponível em: < http://www.jstor.org/stable/3810639 >. Acesso em: 7 out. 2018

OKIN, Susan M., Feminism, Women’s Human Rights, and Cultural Differences. Hypatia, São Francisco, v. 13, n. 2, p.32-52, mar./jun. 1998. Disponível em < http://library.pcw.gov.ph/sites/default/files/feminism,%20womens%20human%20rights%20and%20cultural%20differences.pdf > Acesso em: 14 maio 2017

ONU. ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Assembleia Geral. Declaração Universal dos Direitos Humanos. 1948. Disponível em: <https://www.ohchr.org/EN/UDHR/Documents/UDHR_Translations/por.pdf>. Acesso em: 14 jun. 2018

ONU. ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Assembléia Geral. Convenção Sobre A Eliminação De Todas As Formas De Discriminação Contra A Mulher. 1979 Disponível em: < http://www.onumulheres.org.br/wp-content/uploads/2013/03/convencao_cedaw1.pdf > Acesso em: 2 jul. 2018

ONU.ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Assembleia Geral. Declaração e Programa de Ação de Viena. 1993 Disponível em: < http://www.onumulheres.org.br/wp-content/uploads/2013/03/declaracao_viena.pdf >. Acesso em: 2 out. 2018

ONU. ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Assembleia geral. Declaração e Plataforma de Ação da IV Conferência Mundial Sobre a Mulher de Pequim. 1995. Disponível em: < http://unfpa.org.br/Arquivos/declaracao_beijing.pdf >. Acesso em: 2 out. 2018

ONU MULHERES. Prevenir Los Conflictos Transformar La Justicia Garantizar La Paz: Estudio mundial sobre la aplicación de la resolución 1325 del Consejo de Seguridad de las Naciones Unidas. 2015 Disponível em: < http://colombia.unwomen.org/es/biblioteca/publicaciones/2016/04/prevenir-conflictos-transformar-justicia>. Acesso em: 12 nov. 2018

PIOVESAN, Flávia. Direitos Humanos e o Direito Constitucional Internacional. São Paulo: Editora Saraiva. 2011. p.7-23 /147-215

PNUD PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO.. Arab Human Development Report 2016: Youth and the Prospects for Human Development in a Changing Reality. Nova York, 2016 Disponível em: < http://www.arabstates.undp.org/content/dam/rbas/report/AHDR%20Reports/AHDR%202016/AHDR%20Final%202016/AHDR2016En.pdf >. Acesso em: 1 nov. 2018

RAO, Arati. The politics of Gender and Culture in International Human Rights Discourse. in PETERS, Julie; Wolper, Andrea (Org.). Women`s Rights. Human Rigths: International Feminist Perspectives. Londres: Routledge,1995. p.103-114

.SAID, Edward. Orientalismo: O Oriente como Invenção do Ocidente. São Paulo: Companhia das Letras, 2007. p.111-401

SHAHEED, Farida. Controlled or autonomous: identity and the experience of the network, women living under muslim laws. Signs, Chicago, v. 19, n. 4: p.997-1019,. jul./set. 1994. Disponível em:< https://www.jstor.org/stable/3175010?seq=1#metadata_info_tab_contents >. Acesso em: 12 out. 2018

SIDANI, Yusuf. Women, work, and Islam in Arab societies. Women in Management Review, Beirut, v.20, n.7, p. 498-511, out/dez. 2005.Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/235273264_Women_work_and_Islam_in_Arab_societies?enrichId=rgreq-23c831e1ccac79041dd8d09d4e314b3c-XXX&enrichSource=Y292ZXJQYWdlOzIzNTI3MzI2NDtBUzoyMzI2NjM0NTc5ODg2MDlAMTQzMjQ4MjY5OTcxMQ%3D%3D&el=1_x_2&_esc=publicationCoverPdf>. Acesso em: 1 nov. 2018

TICKNER, J. Ann. Gendering World Politics: Issues and approaches in the post Cold War era. Nova York: Columbia University Press. 2001. p.9-36

UNFPA. UNITED NATIONS FUND FOR POPULATION..Female Genital Mutilation Dashboard (FGM) - Mali. 2012. Disponível em <https://www.unfpa.org/data/fgm/ML# > Acesso em 14 Out. 2018

WLUML. Women living Under Muslim Law. About WLUMLDisponível em: <http://www.wluml.org/node/5408>. Acesso em: 19 nov. 2018

Downloads

Publicado

2020-12-23

Como Citar

Luz, E. F. da S. (2020). Mulheres no mundo muçulmano e o ativismo para os direitos humanos. Malala, 8(11), 87-108. https://doi.org/10.11606/issn.2446-5240.malala.2020.161807