[1]
F. R. Lucas e P. . Maniglier, “A ontologia do negativo: na língua, verdadeiramente, só existem diferenças?”, manuscritica, nº 42, p. 230-244, dez. 2020.