A impenetrabilidade do uir: uma análise a partir de Petr. Sat. 9

Autores

  • Fabrício Sparvoli Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2177-4218.v6i6p49-60

Palavras-chave:

História Antiga, Roma, História da Sexualidade, Literatura Latina, Satyricon, de Petrônio

Resumo

o presente texto enseja criticar a ideia da impenetrabilidade do corpo do uir romano, defendida sobretudo pela História da Sexualidade foucaultiana. Dessa maneira, comentarei, em primeiro lugar, acerca do surgimento da História da Sexualidade e sobre sua vertente historiográfica foucaultiana. Em seguida, sugerirei uma possível análise da nona seção do Satyricon, de Petrônio, contrapondo-a à vertente foucaultiana. Desta maneira, almejo sugerir outro viés de análise, mais complexo, menos centrado nas normatizações do uir, sobre a homossexualidade masculina em Roma

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabrício Sparvoli, Universidade de São Paulo

Graduando em História pela FFLCH/USP e membro do LEIR-MA/USP

Downloads

Publicado

2015-12-14

Como Citar

Sparvoli, F. (2015). A impenetrabilidade do uir: uma análise a partir de Petr. Sat. 9. Mare Nostrum, 6(6), 49-60. https://doi.org/10.11606/issn.2177-4218.v6i6p49-60

Edição

Seção

Artigos