A indecisão consciente: análise qualitativa da indecisão eleitoral no pleito estadual de 2014

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v11i2p183-206

Palavras-chave:

Voto indeciso, HGPE, eleições, Goiás, Brasil 2014

Resumo

Trata-se este trabalho de um estudo sobre as características específicas do eleitor indeciso em relação ao cargo de governador do estado de Goiás no pleito de 2014. A opinião deste tipo de eleitor compõe uma importante referência para a compreensão dos processos de formação da opinião pública eleitoral, principalmente por seu grande crescimento nos últimos anos. Este trabalho surgiu a partir dos dados colhidos diretamente de eleitores indecisos, no contexto de pesquisa qualitativa de recepção de televisão por mediação familiar, feita com o horário gratuito de propaganda eleitoral das campanhas para governador em 2014. A partir dos dados obtidos foi possível perceber que o processo que envolve a indecisão do voto é mais complexo e completo do que tem sido suposto, possibilitando a noção do “indeciso crítico” e de modalidades específicas que buscam descrever as características do processo de indecisão eleitoral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Signates, Universidade Federal de Goiás

Luiz Signates possui graduação em Comunicação Social Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás (1983), especialização em Políticas Públicas pela Universidade Federal de Goiás (2006), mestrado em Comunicação pela Universidade de Brasília (1998) doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (2001) e pós-doutorado em Epistemologia da Comunicação pela Unisinos (2009). Atualmente é professor adjunto IV da Universidade Federal de Goiás, junto ao Mestrado em Comunicação, na linha Mídia e cultura, e Professor do Curso de Jornalismo da Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Fundador e membro das Academias de Letras de Goiânia e de Aparecida de Goiânia e Diretor-Científico da Signates Consultoria, Pesquisa e Editoração Ltda. Coordena os Núcleos de Pesquisa em Comunicação, Cidadania e Política (UFG), Comunicação e Religiosidade (UFG) e Comunicação e Cidadania (PUC-Goiás). É pesquisador na área de Comunicação, com ênfase em Sociologia da Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: epistemologia e metodologia da pesquisa em comunicação, comunicação e política, comunicação e religiosidade, comunicação e cidadania, e comunicação e teoria social crítica.

Referências

ALLEN, M.; BROWN, S. D. Undecided life: standards, subjects, and sovereignty in compensating victims of the war on terror. Theory & Psychology, Thousand Oaks, v. 26, n. 2, p. 263-283, 2016.

BACANLI, F. Personality characteristics as predictors of personal indecisiveness. Journal of Career Development, Thousand Oaks, v. 32, n. 4, p. 320-332, 2006.

BRACONNIER, C.; DORMAGEN, J.-Y. La démocratie de l’abstention: aux origines de la démobilisation électorale en milieux populaires. Paris: Folio, 2007.

CAJADO, A. F. R.; DORNELLES, T.; PEREIRA, A. C. Eleições no Brasil: uma história de 500 anos. Brasília, DF: Tribunal Superior Eleitoral, 2014.

CASTRO, M. M. M. Determinantes do comportamento eleitoral: a centralidade da sofisticação política. 1994. Tese (Doutorado) – Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1994.

CAUTRÈS, B.; JADOT, A. L’(in)décision électorale et la temporalité du vote. Revue française de science politique, v. 57, n. 3, p. 293-314, 2007.

CHARAUDEAU, P. Discurso político. Tradução de Fabiana Komesu e Dilson Ferreira da Cruz. São Paulo: Contexto, 2006.

FORREST, J.; MARKS, G. N. The mass media, election campaigning and voter response: the Australian experience. Party politics, Thousand Oaks, v. 5, n. 1, p. 99-114, 1999.

FREITAS, L. A. S. Análise dos processos de formação da opinião política em face da mídia, nas eleições de 2008, em Catalão, Goiás. In: CORRÊA, E. S.; SOUSA, M. W. (Orgs.). Mutações do espaço público contemporâneo. São Paulo: Paulus, 2014. p. 107-136. v. 1.

GALDI, S. et al. Selective exposure in decided and undecided individuals: differential relations to automatic associations and conscious beliefs. Personality and Social Psychology Bulletin, Thousand Oaks, v. 38, n. 5, p. 559-569, 2012.

HA, L. S. et al. Political efficacy and the use of local and national news media among undecided voters in a swing state: a study of general population voters and first-time college student voters. Electronic News, Thousand Oaks, v. 7, n. 4, p. 204-222, 2014.

KANG, W.-T. Protest voting and abstention under plurality rule elections: an alternative public choice approach. Journal of Theoretical Policitcs, Thousand Oaks, v. 16, n. 1, p. 79-102, 2004.

KARP, J. A.; GARLAND, M. W. Ideological ambiguity and split ticket voting. Political Research Quarterly, Thousand Oaks, v. 60, n. 4, p. 722-732, 2007.

LI, L. M. W.; MASUDA, T.; JIANG, F. Influence of cultural meaning system and socioeconomic change on indecisiveness in three cultures. Journal of Cross-Cultural Psychology, Thousand Oaks, v. 47, n. 4, p. 508-524, 2016.

LISI, M. O voto dos indecisos nas democracias recentes: um estudo comparado. Análise Social, Lisboa, v. XLV, n. 194, p. 29-61, 2010.

LOPES, M. I. V.; BORELLI, S. H. S.; RESENDE, V. R. Vivendo com a telenovela: mediações, recepção e teleficcionalidade. São Paulo: Summus, 2002.

LOURENÇO, L. C. Abrindo a caixa-preta: da indecisão à escolha. A eleição presidencial de 2002. 2007. Tese (Doutorado em Ciência Política) – Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

MAAKAROUN, B. A campanha presidencial de 2006 e as estratégias utilizadas por eleitores para o processamento das informações políticas. Rio de Janeiro: Uerj, 2010.

MUXEL, A. Abstentionnistes, votants décidés ou encore indécis: les clés de la mobilisation électorale. Paris: CEVIPOF, 2006. Disponível em: <https://goo.gl/Cgbt7F>. Acesso em: 10 jul. 2017.

NG, A. H.; HYNIE, M. Naïve dialecticism and indecisiveness: mediating mechanism and downstream consequences. Journal of Cross-Cultural Psychology, Thousand Oaks, v. 47, n. 2, p. 263-276, 2015.

NOBLE, V. M. Abstención y voto nulo en las elecciones federales en México, 1991-2015. Revista Mexicana de Ciencias Políticas y Sociales, Amsterdam, v. 62, n. 230, p. 75-116, 2017.

PALMEIRA, M. Voto: racionalidade ou significado? Revista Brasileira de Ciências sociais, São Paulo, v. 7, n. 20, 1992.

PASE, H. L.; SILVA, L. G. T.; SANTOS, E. R. Cultura política e abstenção eleitoral. E-legis, Brasília, DF, n. 21, p. 127-143, set.-dez. 2016.

RADMANN, E. R. H. O eleitor brasileiro: uma análise do comportamento eleitoral. 2001. Dissertação (Mestrado em Ciência Política) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2001.

RODRIGUES, F. R. História política de Goiás: o governo de Pedro Ludovico Teixeira e a dominação tradicional. Multi-Science Journal, Urutaí, v. 1, n. 2, p. 3-12, 2015.

SWAMI, V. et al. An exploration of the indecisiveness scale in multiethnic Malaysia. Journal of Cross-Cultural Psychology, Thousand Oaks, v. 39, n. 3, p. 309-316, 2008.TSE. Eleições no Brasil: uma história de 500 anos. Distrito Federal: Tribunal Superior Eleitoral, 2014.

Publicado

2017-08-31

Como Citar

Signates, L. (2017). A indecisão consciente: análise qualitativa da indecisão eleitoral no pleito estadual de 2014. MATRIZes, 11(2), 183-206. https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v11i2p183-206

Edição

Seção

Em Pauta/Agenda