Apontamentos sobre a contribuição da sociologia das formas de Franco Moretti para os estudos em jornalismo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v11i2p207-227

Palavras-chave:

Jornalismo, sociologia das formas, Franco Moretti

Resumo

O artigo apresenta apontamentos sobre a contribuição teórico-metodológica da proposta de uma sociologia das formas do crítico literário Franco Moretti para os estudos em jornalismo. A discussão sustenta-se em duas hipóteses de fundo extraídas da obra do autor: i) determinado padrão estético-expressivo apenas se dissemina socialmente quando encontra respaldo em padrões culturais mais amplos; e ii) o processo de codificação simbólica desses padrões culturais não se dá apenas no plano do conteúdo, mas sobretudo na própria forma, na dimensão estético-expressiva da narração. Na sequência, elencam-se seis pressupostos teórico-metodológicos do autor passíveis de um diálogo interdisciplinar com o campo jornalístico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Paulo da Silva, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Professor do Mestrado em Comunicação e do Curso de Jornalismo da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Doutor em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP), com estágio de doutorado-sanduíche na Syracuse University (Nova Iorque, Estados Unidos).

Referências

ADORNO, T. W.; HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

CARIELLO, R. Aventuras modernas: entrevista com Franco Moretti. Folha de S.Paulo, São Paulo, 27 set. 2009. Caderno Mais! Disponível em: <http://bit.ly/2uh75zs>. Acesso em: 1º mar. 2016.

CASTORIADIS, C. As encruzilhadas do labirinto: os domínios do homem. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987. v. 2.

CHAGAS, P. D. A retórica em Franco Moretti: seus desdobramentos. Matraga: Estudos Linguísticos e Literários, Rio de Janeiro, v. 20, n. 33, p. 194-211, 2013.

FARO, J. S. À flor da pele: narrativas híbridas, cotidiano e comunicação. In: ______. Apontamentos sobre jornalismo e cultura. Porto Alegre: Buqui, 2014.

FISCHER, L. A. Moretti busca fazer história mundial da literatura. Folha de S.Paulo, São Paulo, 27 set. 2009. Caderno Mais! Disponível em: <http://bit.ly/2vbRTYM>. Acesso em: 1º mar. 2016.

GALTUNG, J.; RUGE, M. H. The structure of foreign news: the presentation of the Congo, Cuba and Cyprus crises in four Norwegian newspapers. Journal of Peace Research, Thousand Oaks, v. 2, n. 1, p. 64-90, 1965.

GANS, H. J. Deciding what’s news: a study of CBS Evening News, NBC Nightly News, Newsweek and Time. Ed. ampl. comemorativa de 25o aniversário. Evanston: Northwestern University Press, 2004.

GENRO FILHO, A. O segredo da pirâmide: para uma teoria marxista do jornalismo. Florianópolis: Insular, 2012. v. 6. (Série Jornalismo a Rigor).

HALL, S. Culture, the media and the ideological effect. In: CURRAN, J.; GUREVITCH, M.; WOOLLACOTT, J. (Orgs.). Mass communication and society. Londres: Edward Arnold; Open University Press, 1977. p. 315-348. (Série Set Books ‒ Open University).

LUKÁCS, G. Soul & form. Nova Iorque: Columbia University Press, 2010. (Série Columbia themes in philosophy, social criticism and the arts).

MARTÍN-BARBERO, J. O longo processo de enculturação. In: ______. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: UFRJ, 2003. p. 127-141.

MORETTI, F. Conjecturas sobre a literatura mundial. In: SADER, E. (Org.). Contracorrente: o melhor da New Left Review em 2000. Rio de Janeiro: Record, 2001. p. 45-64.

______. O século sério. Revista Novos Estudos, São Paulo, n. 65, p. 3-33, mar. 2003.

______. A alma e a harpia. In: ______. Signos e estilos da modernidade: ensaios sobre a sociologia das formas literárias. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007. p. 13-56.

______. (Org.). A cultura do romance. São Paulo: Cosac Naify, 2009. v. 1. (Coleção O Romance).

______. O burguês: entre a história e a literatura. São Paulo: Três Estrelas, 2014.

PONTE PRETA, S. O melhor de Stanislaw Ponte Preta: crônicas escolhidas. 2. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1979.

SCHWARCZ, L.; BOTELHO, A. Ao vencedor as batatas 30 anos: crítica da cultura e processo social – entrevista com Roberto Schwarz. Revista Brasileira de Ciências Sociais. v. 23, n. 67, p. 147-160, jun. 2008. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-69092008000200011

SCHWARZ, R. As ideias fora do lugar. In: ______. Ao vencedor as batatas. São Paulo: Duas Cidades, 1977. p. 13-25.

______. Martinha versus Lucrécia: ensaios e entrevistas. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.SCHUDSON, M. Discovering the news: a social history of American newspapers. Nova Iorque: Basic Books, 1978.

______. The sociology of news. Nova Iorque; Londres: W.W. Norton & Company, 2003.

SODRÉ, M. A narração do fato: notas para uma teoria do acontecimento. Petrópolis: Vozes, 2009.

SOUSA, J. P. Tobias Peucer: progenitor da teoria do jornalismo. Revista Estudos em Jornalismo e Mídia, Florianópolis, v. 1, n. 2, p. 31-47, jul./dez. 2004.

TALESE, G. O reino e o poder: uma história do New York Times. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

TRAQUINA, N. Teorias do jornalismo: a tribo jornalística ‒ uma comunidade interpretativa internacional. 2. ed. Florianópolis: Insular, 2008. v. 2.

WARK, M. The engine room of Literature: on Franco Moretti. Los Angeles Review of Books, Los Angeles, 5 jun. 2013. Disponível em <http://bit.ly/2vl0GHq>. Acesso em: 1º fev. 2016.

WERNECK, H. A arte de sujar os sapatos. In: TALESE, G. Fama e anonimato. São Paulo: Companhia das Letras, 2004. p. 523-535.

WOLF, M. Teorias da comunicação. 8. ed. Lisboa: Presença, 2003.

Publicado

2017-08-31

Como Citar

Silva, M. P. da. (2017). Apontamentos sobre a contribuição da sociologia das formas de Franco Moretti para os estudos em jornalismo. MATRIZes, 11(2), 207-227. https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v11i2p207-227

Edição

Seção

Em Pauta/Agenda