Dimensões da autoria e do estilo na ficção seriada televisiva

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v12i2p53-77

Palavras-chave:

Estilo, Autoria, Ficção seriada, Televisão

Resumo

Estabelecemos uma reflexão sobre o estilo como categoria heurística da análise da autoria nos formatos seriados de ficção televisiva: tal uso vincula essa categoria às dinâmicas sociais de atribuição autoral, uma vez reconhecidas as instâncias de tomada de decisão em processos criativos e o funcionamento textual de tais obras. Avançamos assim a hipótese da conjunção de questões de método vindas de duas fontes, a saber: a observância a processos sociais da autoria (na definição de agentes responsáveis e das dinâmicas sociais de reconhecimento) e aquelas que se associam às gramáticas textuais dos formatos seriados (na escritura dramatúrgica e nos princípios da encenação audiovisual).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Benjamim Picado, Universidade Federal Fluminense

Doutor em comunicação e semiótica (puc-sp). professor do departamento de estudos culturais e mídia e do programa de pós-graduação em comunicação da universidade federal fluminense.

Maria Carmem Jacob de Souza, Universidade Federal da Bahia

Doutora em Ciências Sociais (PUC-SP). Professora da Faculdade de Comunicação e do Programa de Pós- Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da Universidade Federal da Bahia.

 

Referências

BAXANDALL, M. Painting and experience in 15th century Italy. Oxford: Oxford University Press, 1972.

BAXANDALL, M. Padrões de intenção: a explicação histórica dos quadros. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

BORDWELL, D. Figuras traçadas na luz: a encenação no cinema. Campinas: Papirus, 2008.

BORDWELL, D. Intensified continuity: visual style in contemporary American film. Film Quarterly, Ann Arbor, v. 55, n. 3, p. 16-28, 2002.

BOURDIEU, P. As regras da arte: gênese e estrutura do campo literário. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

BUONANNO, M. The age of television: experiences and theories of television. Brístol, UK; Chicago, USA: Intellect Books; Chicago Press, 2008.

BUTLER, J. G. Television style. Nova York: Routledge, 2013.

CALDWELL, J. T. Production culture: industrial reflexivity and critical practice in film and television. California: Duke University Press, 2008.

CARDWELL, S. “Television aesthetics” and “close analysis”: style, mood, and engagement in Perfect strangers (Stephen Poliakoff, 2001). In: PYE, D.; GIBBS, J. (Orgs.). Style and meaning: studies in the detailed analysis of film. Manchester: Manchester University Press, 2005. p. 179-194.

ECO, U. Lector in fabula: a cooperação interpretativa em textos narrativos. São Paulo: Perspectiva, 1986.

ESQUENAZI, J. P. As séries televisivas. Lisboa: Texto & Grafia, 2011.

GINZBURG, C. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

GOMBRICH, E. H. Arte e ilusão: um estudo da psicologia da representação pictórica. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

GOMES, W. S. Estratégias da produção do encanto: o alcance contemporâneo da poética de Aristóteles. Textos de Cultura e Comunicação, Salvador, v. 35, p. 99-125, 1996.

ISER, W. The implied reader: patterns of communication in prose fiction from Bunyan to Beckett. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 1974.

ISER, W. The act of reading: a theory of aesthetic response. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 1978.

JOST, F. Amor aos detalhes: assistindo a Breaking Bad. MATRIZes, São Paulo, v. 11, n. 1, p. 27-39, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.1982-8160. v11i1p25-37

LIMA, M. O. Lute contra os mortos. Tema os vivos: dramaturgia e transmidiação na franquia The Walking Dead. 2016. 173 f. Dissertação (Mestrado) –Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas, Faculdade de Comunicação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2016.

MITTELL, J. Complex TV: the poetics of contemporary television storytelling. Nova York: NYU Press, 2015.

PEACOCK, S.; JACOBS, J. (Eds.). Television aesthethics and style. Nova York; Londres: Bloomsbury Academic, 2013.

PICADO, B. Dos objetos da comunicação à comunicabilidade sensível: experiência estética e epistemologia da comunicação. Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, São Paulo, v. 38, n. 1, p. 151-168, jan./jun. 2015. DOI: https://dx.doi.org/10.1590/1809-5844201517

PUCCI JUNIOR, R. L. Inovações estilísticas na telenovela: a situação em Avenida Brasil. Revista Famecos, Porto Alegre, v. 21, n. 2, p. 675-697, maio/ago. 2014. DOI: https://dx.doi.org/10.15448/1980-3729.2014.2.16648

ROCHA, S. O estilo televisivo e sua pertinência para a TV como prática cultural.Florianópolis: Insular, 2016.

SCHAEFFER, J. M. L’expérience esthétique. Paris: Gallimard, 2015.

SILVA, M. Cultura das séries: forma, contexto e consumo de ficção seriada na contemporaneidade. Galáxia, São Paulo, v. 14, n. 27, p. 241-252, jan./jun. 2014. DOI: https://dx.doi.org/10.1590/1982-25542014115810

SOUZA. M. C. J. O papel das redes de televisão na construção do lugar do autor nas telenovelas. In: SOUZA, M. C. J.; BARRETO, R. R. (Orgs.). Bourdieu e os estudos de mídia: campo, trajetória e autoria. Salvador: Edufba, 2014. p. 13-40.

TEIXEIRA, J. S. Batman e Robin nunca morrerão: a construção do cânone e da continuidade na passagem de Grant Morrison pelo Batman. 2014. 164 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas, Faculdade de Comunicação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2014.

TOUS-RAVIROSA, A. El concepto de autor en las series norteamericanas de calidad. In: SERAFIM, J. F. (Org.). Autor e autoria no cinema e na televisão. Salvador: Edufba, 2009. p. 121-169.

WÖLFFLIN, H. Conceitos fundamentais da história da arte. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

Publicado

2018-08-29

Como Citar

Picado, B., & Jacob de Souza, M. C. (2018). Dimensões da autoria e do estilo na ficção seriada televisiva. MATRIZes, 12(2), 53-77. https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v12i2p53-77

Edição

Seção

Dossiê