Formas sociais, comunicação e tipificações do afeto numa torcida de futebol

Autores

Palavras-chave:

Futebol, barra brava, Clube do Remo, socialidade, sensibilidade

Resumo

O artigo apresenta os resultados de uma etnografia dos processos comunicacionais presentes numa torcida de futebol, a barra brava Camisa 33, do Clube do Remo, de Belém-PA. A partir de uma proposição de diálogo entre Antropologia e Comunicação, baseando-se nos estudos de Alfred Schutz e Georg Simmel, buscou-se compreender os processos intersubjetivos manifestos por meio dos afetos e sensibilidades experienciados pela torcida e expressos por meio de formas sociais. Buscou-se realizar uma análise dos processos socioculturais comunicativos com o objetivo de compreender a construção social das sensibilidades e a produção de sentidos sensíveis que envolvem os torcedores da equipe.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Meriane do Carmo de Freitas, Universidade Federal do Pará

Doutoranda em Antropologia no Programa de Pós-graduação em Antropologia; mestre em Ciências da Comunicação pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação, Cultura e Amazônia, na Universidade Federal do Pará. Email: linefreit@gmail.com.

Fábio Fonseca de Castro, Universidade Federal do Pará

Prof. Dr. Fábio Fonseca de Castro. Doutor em Sociologia pela Universidade de Paris V, com pós-doutorado em etnometodologia pela Universidade de Montreal. Professor dos Programas de pós-graduação em Desenvolvimento Sustenteavel do Trópico Úmido, do Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, e Comunicação, Cultura e Amazônia, na Universidade Federal do Pará. Professor visitante do Departamento de Sociologia da Universidade de Cambridge em 2017-2018.

Referências

Alabarces, P. (2005). Hinchadas. Prometeo.

Clifford, J. (1998). Sobre a alegoria etnográfica. In J. Clifford, A experiência etnográfica: Antropologia e literatura no século XX (pp. 63-99). Ed. UFRJ.

Clifford, J., & Marcus, G. E. (1986). Writing culture: The poetics and politics of ethnography. University of California Press.

Costa, F. (2007). Enciclopédia do futebol paraense (4a ed.). Cabano.

DaMatta, R. (1978). O ofício de etnólogo, ou como ter “anthropological blues”. In E. O. Nunes (Org.), A aventura sociológica (pp. 23-35). Zahar Editores.

DaMatta, R. (1982). Universo do futebol: Esporte e sociedade brasileira. Pinakotheke.

Damo, A. (2005). Dom à profissão: Uma etnografia do futebol de espetáculo a partir da formação de jogadores no Brasil e França [Tese de doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul]. Repositório digital da UFRGS. https://bit.ly/2GaQ8SX

Elias, N., & Dunning, E. (1985). The quest for excitement. Blackwell.

Foucault, M. (1993). A vontade de saber: História da sexualidade (Vol. I). Graal.

Foucault, M. (2002). A ordem do discurso (8ª ed.). Edições Loyola.

Foucault, M. (2010). Vigiar e punir. Petrópolis.

Gastaldo, E. (2014). Estudos sociais do esporte: Vicissitudes e possibilidades de um campo em formação. Logos: Comunicação & Universidade, 17(2), 6-15. http://www.doi.org/10.12957/logos.2010.853

Geertz, C. (1989). A interpretação das culturas. LTC.

Granovetter, M. (1973). The strength of weak ties. American Journal of Sociology, 78(6), 1930-1938. https://doi.org/10.1086/225469

Hanks, W. F. (2013). Counterparts: Copresence and ritual intersubjectivity. Language and Communication, 33(3), 263-277. https://doi.org/10.1016/j.langcom.2013.07.001

Houaiss, A. (2000). Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Objetiva.

Lévi-Strauss, C. (1971). Introducción a la obra de Marcel Mauss. In M. Mauss, Sociologia y antropologia (pp. 13-42). Editorial Tecnos.

Maffesoli, M. (1996). No fundo das aparências. Vozes.

Maffesoli, M. (1998). Elogio da razão sensível. Vozes.

Maffesoli, M. (2003). O conhecimento comum: Compêndio de sociologia compreensiva. Brasiliense.

Maffesoli, M. (2010). No fundo das aparências. Vozes.

Moran, J. M. (1994). Interferências dos meios de comunicação no nosso conhecimento. Intercom - Revista Brasileira de Comunicação, 17(2), 38-49. https://bit.ly/2QydCmZ

Ortner, B. (1996). Making gender: The politics and erotics of culture. Beacon Press.

Palhares, M. F. S., Cabrera, N., & Schwartz, G. M. (2014). Notes for a comparative study between football fan groups from Brazil (torcidas organizadas) and Argentina (hinchadas). Movimento, 20(Esp.), 163-176. https://bit.ly/2YMtYN5

Peirano, M. (1995). A favor da etnografia. Relume-Dumará.

Schutz, A. (1967). The phenomenology of the social world. Northwestern University Press.

Schutz, A. (1976a). Equality and the social meaning structure. An essay in social psychology. In A. Schutz, Collected Papers (Vol. II) (pp. 226-273). Martinus Nijhoff.

Schutz, A. (1976b). The stranger: An essay in social psychology. In A. Schutz, Collected Papers (Vol. II) (pp. 91-105). Martinus Nijhoff.

Schutz, A. (1978). Phenomenology and sociology. Penguin Books.

Schutz, A. (1979). Fenomenologia e relações sociais. Zahar.

Schutz, A. (1996a). Political economy: Human conduct in social life. In A. Schutz, Collected Papers (Vol. IV) (pp. 93-105). Kluwer Academic Publishers. Schutz, A. (1996b). Outline of a theory of relevance. In A. Schutz, Collected Papers (Vol. IV) (pp. 3-5). Kluwer Academic Publishers.

Schutz, A. (2012). Sobre fenomenologia e relações sociais. Vozes.

Simmel (1983). O problema da sociologia. Ática.

Simmel, G. (1999). Sociologie: Etudes sur les formes de lasocialization. Presses Universitaires de France.

Simmel, G. (2006). Questões fundamentais da sociologia. Zahar.

Sodré, M. (2002) Antropológica do espelho: Uma teoria da comunicação linear e em rede. Vozes.

Velho, G. (2009). Urban anthropology interdisciplinarity and boundaries of knowledge. Vibrant, 8(2), 452-479. https://doi.org/10.1590/S1809-43412011000200023

Weber, M. (2004). Economia e sociedade: Fundamentos da sociologia compreensiva (Vol. 1.). UnB/Imprensa Oficial do Estado de São Paulo.

Publicado

2020-12-31

Como Citar

de Freitas, A. M. do C., & Fonseca de Castro, F. (2020). Formas sociais, comunicação e tipificações do afeto numa torcida de futebol. MATRIZes, 14(2), 241-259. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/matrizes/article/view/159578

Edição

Seção

Em Pauta/Agenda