Publicística, a precursora das ciências da comunicação?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v13i2p253-259

Palavras-chave:

Publicística, ciência da comunicação na Alemanha, história dos estudos de comunicação

Resumo

Em Síntese de história da publicística - Estágios reflexivos da ciência da comunicação pública alemã, Francisco Rüdiger apresenta aos leitores de língua portuguesa importante contribuição ao estudo da história do pensamento comunicacional. Mostramos como o relato lança luz sobre as origens, formação e declínio deste projeto acadêmico até a década 1970, quando cedeu espaço às ciências da comunicação, hoje ciências da mídia. Avaliamos os méritos da obra e questionamos a pretensão  do autor em oferecer matéria para amparar sua suspeita: a publicística como precursora do campo acadêmico de comunicação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Otávio Daros, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Graduado em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Mestre em Comunicação Social pela mesma instituição. Jornalista no portal de notícias G1.

Referências

Baitello Junior, N. (2010). A serpente, a maçã e o holograma. São Paulo, SP: Paulus.

Belau, A. F. (1966). La ciencia periodistica de Otto Groth. Pamplona, Espanha: Instituto de Periodismo de La Universidad de Navarra.

Berger, C., & Marocco, B. (Orgs.). (2006). A era glacial do jornalismo: teorias sociais da imprensa (v. 1). Porto Alegre, RS: Sulina.

Bueno, W. C. (1972). O jornalismo como disciplina científica: a contribuição de Otto Groth. São Paulo, SP: Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo.

Costalles, J. O. (1966). Noticia, actualidad, información. Pamplona, Espanha: Universidad de Navarra.

Dovifat, E. (1959). Periodismo. Cidade do México, México: Unión Tipográfica Editorial Hispanoamericana. (Obra originalmente publicada em 1931)

Groth, O. (2011). O poder cultural desconhecido. Fundamentos da ciência dos jornais (L. Sponholz, Trad.). Petrópolis, RJ: Vozes. (Obra originalmente publicada em 1960)

Lasswell, H. (1948). The structure and function of communication in society. In L. Bryson (Ed.), The communication of ideas (pp. 37-51). Nova York, NY: Institute for Religious and Social Studies.

Rüdiger, F. (2002). Ciência social crítica e pesquisa em comunicação. São Leopoldo, RS: Ediotra da Unisinos.

Rüdiger, F. (2008). História do jornalismo no Brasil. Intercom – Revista Brasileira de Ciências da Comunicação. 31(2), 229-235.

Rüdiger, F. (2010). As teorias da comunicação. Porto Alegre, RS; São Paulo, SP: Artmed; Penso. (Obra originalmente publicada em 1995)

Rüdiger, F. (2012). A trajetória da publicística como proposta criadora de uma ciência da comunicação autônoma nos países de língua alemã. Comunicação & Sociedade, 33, 103-130.

Rüdiger, F. (2017). Origens do pensamento acadêmico em jornalismo - Alemanha, União Soviética e Japão. Florianópolis, SC: Insular.

Rüdiger, F. (2019). Síntese de história da publicística - Estágios reflexivos da ciência da comunicação pública alemã. Florianópolis, SC: Insular.

Weber, M. (1973). Ensayos sobre metodología sociológica. Buenos Aires, Argentina: Amorrortu. (Obra originalmente publicada em 1922)

Publicado

2019-09-02

Como Citar

Daros, O. (2019). Publicística, a precursora das ciências da comunicação?. MATRIZes, 13(2), 253-259. https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v13i2p253-259

Edição

Seção

Resenhas de livros