O que a pesquisa latino-americana de comunicação deve ao Brasil: relato pessoal de uma experiência intercultural

Autores

  • Jesús Martín-Barbero Pontificia Universidad Javeriana de Bogotá, Facultad de Comunicación y Lenguaje.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v15i2p127-146

Palavras-chave:

Pesquisa de comunicação, Teoria da comunicação, Brasil, América Latina, Jesús Martín-Barbero

Resumo

Neste texto, Jesús Martín-Barbero descreve pontos que aproximaram o Brasil de seu pensamento e contribuições brasileiras à pesquisa de comunicação latino-americana. Algumas das dimensões discutidas são: o aporte reflexivo para a compreensão do cenário político-cultural da comunicação, que permitiu pensar como a indústria cultural promoveu uma nova ideia de nação; um entendimento mais complexo, superando a razão dualista, das relações entre o popular e o massivo, que se expressou no país em duas linhas de investigação, a da contra-hegemonia comunicativa e a da competência do sujeito receptor, e também a contribuição das reflexões de autores brasileiros para a discussão dos processos de globalização contemporâneos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jesús Martín-Barbero, Pontificia Universidad Javeriana de Bogotá, Facultad de Comunicación y Lenguaje.

Um dos mais importantes pensadores da comunicação da América Latina, o autor nasceu na Espanha, em 1937, e faleceu na Colômbia, onde se radicara, em 12 de junho de 2021.

Referências

Alves, L. R. (1987). A fábula forjando-se história. Aspectos da memória dos movimentos populares de ABC. In J. Martín-Barbero (Ed.), Comunicação e culturas populares na América Latina (pp. 230-237). Felafacs; G. Gili.

Austin, J. L. (1970). Quand dire, c’est faire. Threshold.

Beltrão, L. (1980). Folkcomunicação: A comunicação dos marginalizados. Cortez.

Beneyto, J. V. (Ed.). (1979). Alternativas populares a las comunicaciones de masa. CIS.

Busato, L., & Caparelli, S. (1990). A novela vista de fora. Intercom: Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, 13(62-63), 57-60.

Caldeira, T. P. R. (1984). A política dos outros. Brasiliense.

Cardoso, R. (Org). (1986). A aventura antropológica. Paz e Terra.

Chaui, M. (1983). O nacional e o popular na cultura brasileira: Seminários. Brasiliense.

Chaui, M. (1990). Cultura e democracia. Cortez.

DaMatta, R. (1985). A casa e a rua: Espaço, cidadania, mulher e morte no Brasil. Brasiliense.

DaMatta, R. (1993). Conta de mentiroso. Rocco.

de Certeau, M. (1980). L’invention du quotidien. UGE.

Fadul, A. (1983). Sobre a recepção dos meios de comunicação de massa no Brasil. Orealc.

Fadul, A. (Ed.). (1993). Ficção seriada na TV: As telenovelas latino-americanas. ECA-USP.

Festa, R., & Santoro, L. F. (1991). A terceira idade da TV: O local e o internacional. In A. Novaes (Org.), Rede imaginária: Televisão e democracia (pp. 179-195). Companhia das Letras.

Festa, R., & Silva, C. E. L. (Orgs.). (1986). Comunicação popular e alternativa no Brasil. Paulinas.

Freire, P. (1969). Educación como práctica de la libertad. Nuevo Orden.

Freire, P. (1970). Pedagogía del oprimido. Tierra Nueva.

Gramsci, A. (1977). Cultura y literatura. Península.

Ianni, O. (1996). Teorías de la globalización. Siglo Veintiuno.

Leal, O. F. (1990). A leitura social da telenovela das oito. Vozes.

Lopes, M. I. V. (1988). O rádio dos pobres. Loyola.

Lopes, M. I. V. (1990). Pesquisa em comunicação: Formulação de um modelo metodológico. Loyola.

Lopes, M. I. V. (1993). Estratégias metodológicas da pesquisa de recepção.

Intercom: Revista Brasileira de Comunicação, 16(2), 7-12. https://bit.ly/3eF691H

Lopes, M. I. V. (1994). Recepção dos meios de comunicação: classes, poder, estrutura [Artigo apresentado]. VIII Encontro da Federación Latinoamericana de Facultades de Comunicación Social, Cali, Colômbia.

Magnani, J. G. C. (1984). Festa no pedaço: Cultura popular e lazer na cidade. Brasiliense.

Martín-Barbero, J. (1972). La palabra y la acción: Por una dialéctica de la liberación [Tese de doutorado não publicada]. Université Catholique de Louvain.

Melo, J. M. (Coord.). (1980). Comunicação e classes subalternas. Cortez.

Melo, J. M. (Coord.). (1981). Populismo e comunicação. Cortez; Intercom.

Melo, J. M. (Coord.). (1983). Teoria e pesquisa em comunicação: Panorama latino-americano. Cortez; Intercom; CNPq.

Melo, J. M. (Org.). (1987). Ensino de comunicação no Brasil: Impasses e desafios. ECA-USP.

Melo, J. M. (1991). Comunicação e modernidade: O ensino e a pesquisa nas escolas de comunicação. Loyola.

Melo, J. M. (Coord.). (1992). Comunicação latino-americana: Desafios da pesquisa para o século XXI. ALAIC/ECA-USP.

Melo, J. M. (Coord.). (1996). O pensamento latino-americano em comunicação [Número especial]. Comunicação & Sociedade, (25).

Meyer, M. (1996). Folhetim: Uma história. Companhia das Letras.

Miceli, S. (1972). A noite da madrinha. Perspectiva.

Novaes, A. (1983). O nacional e o popular na cultura brasileira: Teatro. Brasiliense.

Ortiz, R. (1985). Cultura brasileira e identidade nacional. Brasiliense.

Ortiz, R. (1988). A moderna tradição brasileira: Cultura e indústria cultural. Brasiliense.

Ortiz, R. (1994). Mundialização e cultura. Brasiliense.

Ortiz, R. (1996). Otro territorio. Universidad Nacional de Quilmes.

Ortiz, R., Borelli, S. H. S., & Ramos, J. M. O. (1988). Telenovela: História e produção. Brasiliense.

Piccini, M. (1987). Industrias culturales: Transversalidades y regímenes interdiscursivos. Diá-logos de la Comunicación, (17), 12-19.

Ramos, J. M. O. (1983). Cinema, estado e lutas culturais. Paz e Terra.

Rocha, E. P., Veiga, R. M., Quintella, M. M. D., Waitzfelder, D. A., & Pereira, C. A. M. (1984). Testemunha ocular: Textos de antropologia social do quotidiano. Brasiliense.

Santos, M. (1993). Espaço, mundo globalizado, pós-modernidade. Margem, 2, 9-21.

Santos, M. (1995). La aceleración contemporánea: Tiempo, mundo y espacio-mundo. Revista Universidad del Valle, 10, 30-35.

Schwarz, R. (1981). Ao vencedor as batatas. Duas Cidades.

Silva, C. E. L. (1980). Cultura de massa e cultura popular: Questões para um debate. In. J. M. Melo (Coord.), Comunicação e classes subalternas (pp. 41-48). Cortez.

Silva, C. E. L. (Coord.). (1982). Comunicação, hegemonia e contra-informação. Cortez; Intercom.

Silva, C. E. L. (1985). Muito além do Jardim Botânico: Um estudo sobre a audiência do Jornal Nacional entre trabalhadores. Summus.

Silva, C. E. L. (1986). As brechas da indústria cultural brasileira. In R. Festa & C. E. L. da Silva (Orgs.), Comunicação popular e alternativa no Brasil (pp. 31-52). Paulinas.

Silva, C. E. L., Fadul, A., & Santoro, L. F. (1982). Documento básico. In C. E. L. da Silva (Coord.), Comunicação, hegemonia e contra-informação (pp. 9-16). Cortez; Intercom.

Sodré, M. (1983). A verdade seduzida. Codecri.

Sousa, M. W. (1986). A rosa púrpura de cada dia: Trajetória de vida e cotidiano de receptores de telenovela [Tese de doutorado não publicada]. Universidade de São Paulo.

Sousa, M. W. (Org.). (1995). Sujeito, o lado oculto do receptor. Brasiliense; ECA-USP.

Squeff, E., & Wisnik, J. (1983). O nacional e o popular na cultura brasileira: Música. Brasiliense.

Velho, G. (1981). Individualismo e cultura: Notas para uma antropologia da sociedade contemporânea. Zahar.

Publicado

2021-08-31

Como Citar

Martín-Barbero, J. (2021). O que a pesquisa latino-americana de comunicação deve ao Brasil: relato pessoal de uma experiência intercultural. MATRIZes, 15(2), 127-146. https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v15i2p127-146

Edição

Seção

Homenagem a Jesús Martín-Barbero