Encarando a morte do Autor. O trabalho identitário do profissional de cultura e as fantasias de controle

Autores

  • Nico Carpentier

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v4i2p184-204

Palavras-chave:

Identidade, posição de sujeito, instituição cultural, profissional de cultura, público

Resumo

Este artigo adota o conceito da morte do Autor em Barthes como ponto de partida para propor uma reflexão sobre o papel das estruturas discursivas ligadas ao Autor (denominadas aqui como posições de sujeito) nos processos participativos dentro de instituições culturais, concentrando-se nas posições de sujeito do profissional de cultura e do público. A proposta teórica deste texto é a de que as identidades (e as posições de sujeito) não são estáveis ou homogêneas, mas contingentes e variadas, e que são alimentadas por fantasias sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2011-12-15

Como Citar

Carpentier, N. (2011). Encarando a morte do Autor. O trabalho identitário do profissional de cultura e as fantasias de controle. MATRIZes, 4(2), 184-204. https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v4i2p184-204

Edição

Seção

Em Pauta/Agenda