Jovem e consumo midiático: mapeando práticas juvenis das regiões Sul e Sudeste

Autores

  • Daniela Schmitz Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Alexia Oliveira Barbieri Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-7714.no.2017.131886

Palavras-chave:

Consumo Midiático, Convergência, Juventude.

Resumo

Este artigo apresenta uma análise comparativa de práticas de consumo midiático entre jovens das regiões Sul e Sudeste do Brasil. Os dados são oriundos de uma pesquisa nacional desenvolvida entre 2012 e 2015 pela Rede Brasil Conectado, cujo objetivo foi mapear práticas juvenis no atual contexto de convergência tecnológica, cultural e midiática. Discute-se aqui parte de um questionário on-line respondido nacionalmente por mais de nove mil jovens. Na interpretação dos dados, utilizou-se software de análise qualitativa, o NVivo, que potencializou e acelerou o processo. Sobre os resultados, percebeu-se que o perfil dos jovens dessas regiões é bastante similar e que seu consumo midiático, apesar de se assemelhar por um lado, apresenta nuances destacadas nas formas e intensidades desses consumos, dados que serão explorados ao longo do artigo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Schmitz, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutora em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Pós-doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGCOM/UFRGS), bolsista de Pós-Doutorado Júnior do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Alexia Oliveira Barbieri, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social e bacharel em Ciências Sociais pela UFRGS. Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGAS/UFRGS), bolsista CNPq.

Referências

BOURDIEU, P. Sociología y cultura. Ciudad de México, DF: Grijalbo, 1990.

CRESSWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. Tradução Luciana de Oliveira da Rocha. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

ESTATUTO da Juventude. Portal da Juventude, Brasília, DF, 21 nov. 2014. Disponível em: <http://bit.ly/2kT6ggH>. Acesso em: 16 out. 2017.

FEIXA, C. De jóvenes, bandas y tribus: antropología de la juventud. 2. ed. Barcelona: Ariel, 1999.

______. A construção histórica da juventude. In: CACCIA-BAVA, A.; FEIXA, C.; GONZALES CANGAS, Y. (Org.). Jovens na América Latina. São Paulo: Escrituras, 2004. p. 251-327.

GARCÍA CANCLINI, N. El consumo cultural: una propuesta teórica. In: SUNKEL, G. El consumo cultural en América Latina: construcción teórica y líneas de investigación. 2. ed. Bogotá: Convenio Andrés Belo, 2006. p. 72-95.

GARCÍA CANCLINI, N.; ROSAS MANTECON, A. Políticas culturales y consumo cultural urbano. In: GARCÍA CANCLINI, N. (Coord.). La antropología urbana en México. México: FCE; Conaculta; UAM, 2005. p. 168-195.

GROPPO, L. A. Juventude: ensaios sobre sociologia e história das juventudes modernas. Rio de Janeiro: Difel, 2000.

______. Teorias pós-críticas da juventude: juvenilização, tribalismo e socialização ativa. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud, Manizales, v. 13, n. 2, p. 567-579, ago. 2015.

JENKINS, H. Cultura da convergência. Tradução Susana Alexandria. São Paulo: Aleph, 2008.

MARGULIS, M.; URRESTI, M. La juventud es más que una palabra. In: MARGULIS, M. (Ed.). La juventud es más que una palabra: ensayos sobre cultura y juventud. Buenos Aires: Biblos, 2008. p. 13-30.

MARTÍN-BARBERO, J. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Tradução Ronaldo Polito e Sergio Alcides. 2. ed. Rio de Janeiro: UFRJ, 2003.

OROZCO GÓMEZ, G.; GONZÁLEZ, R.. Ciudad de México, DF: Tintable, 2012.

SCHMITZ, D. M. Consumo, sentidos, usos e apropriações nas pesquisas de recepção: nem tão sinônimos, nem tão distantes. InTexto, Porto Alegre, n. 34, p. 255-275, set./dez. 2015.

TEIXEIRA, A. N.; BECKER, F. Novas possibilidades da pesquisa qualitativa via sistemas CAQDAS. Sociologias, Porto Alegre, v. 3, n. 5, p. 94-113, jan./jun. 2001.

TOALDO, M.; JACKS, N. Consumo midiático: uma especificidade do consumo cultural, uma antessala para os estudos de recepção. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO, 22., 2013, Salvador. Anais… Salvador: Compós, 2013. p. 1-9.

Downloads

Publicado

2017-12-22

Como Citar

Schmitz, D., & Barbieri, A. O. (2017). Jovem e consumo midiático: mapeando práticas juvenis das regiões Sul e Sudeste. Novos Olhares, 6(2), 91-103. https://doi.org/10.11606/issn.2238-7714.no.2017.131886

Edição

Seção

ARTIGOS