Contribuições da teoria da aceleração social do tempo para os estudos em jornalismo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-7714.no.2021.174442

Palavras-chave:

Jornalismo, Teoria da aceleração social do tempo, Hartmut Rosa, Desinformação

Resumo

O artigo busca refletir a respeito das contribuições teóricas do sociólogo alemão Hartmut Rosa sobre a aceleração social do tempo para o campo do jornalismo. Assim, o pensamento aqui exposto parte das hipóteses de que existe em curso uma acelera-ção da produção jornalística que está em dessincronização com a capacidade receptiva dos leitores; e de que a exponencial produ-ção informacional fragmenta o sentido dos fatos e facilita a de-sinformação. Em um primeiro momento, apresenta-se a teoria da aceleração temporal de Rosa e, em seguida, articula-se os pontos de contato possíveis com a comunicação jornalística e as catego-rias histórico-analíticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hélder Prior, Universidade da Beira Interior

Tem pós-doutorado pela Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília, com bolsa do Plano Nacional de Pós-Doutorado da Capes (PNPD/CAPES). É licenciado e Doutor em Ciências da Comunicação pela Universidade da Beira Interior.

Caio Teruel, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Referências

Charron, J., & De Bonville, J. (2016). Natureza e transformação do jornalismo. Insular.

Crary, J. (2016). 24/7: Capitalismo tardio e os fins do sono. Ubu.

Franciscato, C. E. (2014). O jornalismo e a reformulação da experiência do tempo nas sociedades ocidentais. Brazilian Journalism Research, 10(2), 96-123. https://doi.org/10.25200/BJR.v10n2.2014.741

Maciel, L. A. (2001). Cultura e tecnologia: A constituição do serviço telegráfico no Bra-sil. Revista Brasileira de História, 21(41), 127-144. https://doi.org/10.1590/S0102-01882001000200007

Martins, J. S. (2008). A sociabilidade do homem simples (2a ed.). Contexto.

Nickel, B. (2018, novembro). O que é lento no slow journalism? Uma análise da sua relação com o tempo [Trabalho apresentado]. 16º Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, São Paulo, SP, Brasil. http://hdl.handle.net/10183/201052

Prior, H. (2019). Populismo e desinformação em tempos de pós-verdade. [Trabalho apre-sentado]. 17º Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, Goiânia, GO, Brasil.

Rosa, H. (2013). Social acceleration: A new theory of modernity. Columbia University Press.

Rosa, H. (2019). Aceleração: A transformação das estruturas temporais na Modernida-de. Unesp.

Rousseau, J-J. (2004). Emílio ou da educação (3a ed.; R. L. Ferreira, Trad.). Martins Fontes.

Sodré, M. (2012). A narração do fato: Notas para uma teoria do acontecimento. Vozes.

Tziminadis. J. L. F. (2018). Frenesi em suspensão: Em direção a um modelo crítico a partir da teoria da aceleração social de Hartmut Rosa (Dissertação de mestrado, Facul-dade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista). Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da Unesp. https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/153611/tziminadis_jlf_me_arafcl.pdf?sequence=5&isAllowed=y

Downloads

Publicado

2021-07-30

Como Citar

Prior, H., & Teruel, C. (2021). Contribuições da teoria da aceleração social do tempo para os estudos em jornalismo. Novos Olhares, 10(1), 42-51. https://doi.org/10.11606/issn.2238-7714.no.2021.174442

Edição

Seção

ARTIGOS