Desengaveta, porque menos é demais: moralismo e vergonha nas narrativas sobre consumo consciente na TV

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-7714.no.2021.184000

Palavras-chave:

Narrativas, Consumo consciente, Sentimento de vergonha, Televisão

Resumo

Consumo consciente tem sido pauta bastante explorada por produtos midiáticos na atualidade, gerando um campo de embates e narrativas conflitantes permeado por afetos. Neste artigo, procuramos refletir sobre a construção das emoções, em especial do sentimento de vergonha, e o discurso moralista em programas de televisão que abordam a temática do consumo consciente e sustentável. Para isso, recorremos a um olhar sobre dois programas brasileiros veiculados em canais por assinatura: Desengaveta, transmitido pelo canal GNT, do grupo Globosat, e Menos é Demais, do canal americano Discovery Home & Health. Instiga-nos a questão sobre que interfaces os discursos moralista e emocional assumem e promovem nesses programas orientados por pautas de consumo consciente. Como recorte, analisamos dois episódios de cada programa que tratam do consumo de roupas e acessórios. Para a fundamentação teórica, recorremos a leituras dos campos da comunicação, sociologia e antropologia das emoções.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Denise da Costa Oliveira Siqueira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutora em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP). Desenvolve estágio pós-doutoral na Université de Strasbourg (CNPq). Professora Titular do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Líder do grupo de pesquisa Corps: corpo, representação e espaço urbano.

Jéssica Baptista dos Santos Ventura, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de
Janeiro (UERJ). Pesquisadora do grupo Corps: corpo, representação e espaço urbano. Bolsista Faperj.

Referências

Baccega, M. (1999). Comunicação e educação: Do mundo editado à construção do mundo. Comunicação e Informação, 2(2), 176-187.

Baccega, M. (2009). Comunicação/educação e a construção de nova variável histórica. Comunicação & Educação, 14(3), 1-10. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9125.v14i3p19-28

Bauman, Z. (2001). Modernidade líquida. Zahar.

Bauman, Z. (2008). Vida para consumo: A transformação das pessoas em mercadorias. Zahar.

Cavalcanti, N., & Calazans, F. (2019). Comunicação, cultura e consumo: a moda e o consumo consciente [Trabalho apresentado]. XXI Congresso de Ciências da Comunicação na Região Centro-Oeste, Goiânia, GO, Brasil. https://portalintercom.org.br/anais/centrooeste2019/resumos/R66-0404-1.pdf

Elias, N. (1994). O processo civilizador: Uma história dos costumes. Jorge Zahar.

Fischer, R. (1997). O estatuto pedagógico da mídia: Questões de análise. Educação e realidade, 22(2), 59-79.

Fischer, R. (2002a). O dispositivo pedagógico da mídia: Modos de educar na (e pela) TV. Educação e pesquisa, 28(1). https://doi.org/10.1590/S1517-97022002000100011

Fischer, R. (2002b). Uma análise foucaultiana da TV: Das estratégias de subjetivação na cultura. Currículo sem fronteiras, 2(1), 41-54. https://biblat.unam.mx/hevila/CurriculosemFronteiras/2002/vol2/no1/3.pdf

Foucault, M. (1985). História da sexualidade III: o cuidado de si. Graal.

Foucault, M. (1990a). História da sexualidade I: A vontade de saber. Graal.

Foucault, M. (1990b). História da sexualidade II: O uso dos prazeres. Graal.

Foucault, M. (1995). Tecnologías del yo. In M. Foucault, Tecnologías del yo y otros textos afines (pp. 45-94). Paidós/Universidad Autónoma de Barcelona.

Goffman, E. (2011). Constrangimento e organização social. In E. Goffman, Ritual de interação (pp. 95-109). Vozes.

Hochschild, A. (2013). Trabalho emocional, regras de sentimento e estrutura social. In M. C. Coelho (Org.), Estudos sobre interação (pp. 169-209). EdUERJ.

Latour, B. (1994). Jamais fomos modernos: Ensaio de antropologia simétrica. Editora 34.

Marcelino, R. et al. (2017, 4-9 de setembro). O consumo consciente na moda: Um estudo sobre slow fashion [Trabalho apresentado]. 40º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Curitiba, PR, Brasil. https://portalintercom.org.br/anais/nacional2017/resumos/R12-1426-1.pdf

Mauss, M. (1969). L’expression obligatoire des sentiments : rituels oraux funéraires australiens. In M. Mauss, Essais de sociologie (pp. 81-88). Du Minuit.

Portilho, F. (2005). Consumo sustentável: limites e possibilidades de ambientalização e politização das práticas de consumo. Cadernos EBAPE.BR, 3(3), 1-12. https://doi.org/10.1590/S1679-39512005000300005

Redação Portal Ecoera. (2018, 6 de dezembro). Menos é demais estreia segunda temporada no Discovery. Portal Ecoera. https://www.portalecoera.com.br/destaque/menos-e-demais-estreia-segunda-temporada-no-discovery

Rocha, E. (2005). Culpa e prazer: Imagens do consumo na cultura de massa. Comunicação, Mídia e Consumo, 2(3), 123-138. http://dx.doi.org/10.18568/cmc.v2i3.29

Rocha, E. (2006a). Coisas estranhas, coisas banais: Notas para uma reflexão sobre o consumo. In E. Rocha, M. Almeida, & F. Eugenio (Orgs.), Comunicação, consumo e espaços urbanos: Novas sensibilidades nas culturas jovens (pp. 15-34). Mauad.

Rocha, E. (2006b). Representações do consumo: Estudos sobre a narrativa publicitária. Mauad.

Sarlo, B. (1997). Cenas da vida pós-moderna: intelectuais, arte e vídeo-cultura na Argentina. UFRJ.

Scheff, T. J. (1990). Shame and conformity: The deference-emotion system. In T. J. Scheff, Microsociology: Discourse, emotion, and social structure (pp. 71-95). University of Chicago Press.

Siqueira, D. C. O. (2015). Corpo, construção social das emoções e produção de sentidos na comunicação. In D. C. O. Siqueira (Org.), A construção social das emoções: Corpo e produção de sentidos na comunicação (pp. 15-35). Sulina.

Siqueira, D. C. O., & Fortuna, D. R. (Orgs.). (2019). Narrativas do eu: Gênero, emoções e produção de sentidos. Sulina.

Sodré, M. (2006). As estratégias sensíveis: Afeto, mídia e política. Vozes.

Zanotti, R. V., & Carolino, Y. F. (2019, 3-5 de junho). Consumo sustentável no segmento da moda: Uma análise crítica dos “brechós” [Trabalho apresentado]. XXIV Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste, Vitória, ES, Brasil. https://portalintercom.org.br/anais/sudeste2019/resumos/R68-0199-1.pdf

Referências audiovisuais

Boutique Filmes. (Produtora). (2016-hoje). Desengaveta [Série de TV]. GNT.

F. J. Productions. (Produtora). (2017-hoje). Menos é mais [Série de TV]. Discovery Home & Health.

Downloads

Publicado

2021-07-30

Como Citar

Siqueira, D. da C. O., & Ventura, J. B. dos S. (2021). Desengaveta, porque menos é demais: moralismo e vergonha nas narrativas sobre consumo consciente na TV. Novos Olhares, 10(1), 15-26. https://doi.org/10.11606/issn.2238-7714.no.2021.184000

Edição

Seção

ARTIGOS