A realidade revisitada: as imagens de videovigilância como elemento de noticiabilidade na produção telejornalística

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-7714.no.2022.189630

Palavras-chave:

Telejornalimo, Câmeras de vigilância, Valor-notícia, CETV 1ª Edição

Resumo

A cultura da vigilância espalha-se pela sociedade. Os processos de videomonitoramento, enquanto um dos seus elementos, alcançam diversos contextos. No jornalismo, o uso de imagens de câmeras de vigilância tem proporcionado novas dinâmicas para a publicização dos eventos cotidianos. Em meio às transformações midiáticas ocasionadas por tais dispositivos de visibilidade, buscamos neste artigo verificar em que medida o conceito de valor-notícia orienta a seleção jornalística de acontecimentos flagrados por equipamentos de videovigilância. Para isso, realizamos a análise de conteúdo de 53 edições do telejornal cearense CETV 1ª Edição. Por meio do estudo, constatamos, além da recorrência acentuada de situações noticiadas a partir de cenas capturadas por meio do videomonitoramento, a inexistência de evidências de valores-notícia que embasem a seleção dos fatos veiculados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Pinheiro Torres Neto, Universidade Federal do Ceará

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Ceará (UFC). Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Membro do grupo de pesquisa Práxis no Jornalismo (PráxisJor-UFC).

Edgard Patrício, Universidade Federal do Ceará

Professor do curso de Jornalismo e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFC. Coordenador do grupo de pesquisa PráxisJor (UFC).

Referências

Alsina, M. R. (2009). A construção da notícia. Vozes.

Andrade, A. P. G. (2018). Telejornalismo apócrifo: A construção da notícia com imagens amadoras e de vigilância. Insular.

Bardin, L. (2016). Análise de conteúdo. 70.

Breed, W. (1993). Controlo social na redacção: Uma análise funcional. In N. Traquina (Org.), Jornalismo: Questões, teorias e estórias (pp. 152-166). Vega.

Bruno, F. (2013). Máquinas de ver, modos de ser: Vigilância, tecnologia e subjetividade. Sulina.

Bruno, F., Bentes, A. C., & Faltay, P. (2019). Economia psíquica dos algoritmos e laboratório de plataforma: Mercado, ciência e modulação do comportamento. Famecos, 26(3), 1-21. http://dx.doi.org/10.15448/1980-3729.2019.3.33095

Castro, R .B., & Pedro, R. M. L. R. (2010). Redes de vigilância: A experiência da segurança e da visibilidade articuladas às câmeras de monitoramento urbano. In F. Bruno, M. Kanashiro & R. Firmino (Orgs.), Vigilância e visibilidade: Espaço, tecnologia e identificação (pp. 36-60). Sulina.

Correia, J. C. (2005). A teoria da comunicação de Alfred Schutz. Livros Horizonte.

Firmino, J. R., Kanashiro, M., Bruno, F., Evangelista, R. & Nascimento, L. C. (2013). Fear, security, and the spread of CCTV in Brazilian cities: Legislation, debate, and the market. Journal of Urban Technology, 20(3), 65-84. https://doi.org/10.1080/10630732.2013.809221

Fontcuberta, M. (1993). La noticia: Pistas para percibir el mundo. Paidós.

Guerra, J. L. (2008). O percurso interpretativo na produção da notícia. Editora UFS.

Hall, S., Chritcher, C., Jejferson, T., Clarke, J., & Roberts, B. (1993). A produção social da notícia. In N. Traquina (Org.), Jornalismo: Questões, teorias e estórias (pp. 224-249). Vega.

Herscovitz, H. G. (2010). Análise de conteúdo em jornalismo. In C. Lago & M. Benetti (Orgs.), Metodologia de pesquisa em jornalismo (3a ed., pp. 23-142). Vozes.

Lyon, D. (2010). Onze de Setembro, sinóptico e escopofilia: Observando e sendo observado. In F. Bruno, M. Kanashiro & R. Firmino (Orgs.), Vigilância e visibilidade: Espaço, tecnologia e identificação (pp. 115-140). Sulina.

Lyon, D. (2018). Cultura da vigilância: Envolvimento, exposição e ética na modernidade digital. In F. Bruno, B. Cardoso, M. Kanashiro, L. Guilhon & L. Melgaço (Orgs.), Tecnopolíticas da vigilância: Perspectivas da margem (pp. 151-186). Boitempo.

Martins, M. O. (2015). Novos efeitos de real concretizados pelas máquinas de visibilidade: Reconfigurações no telejornalismo perante a ubiquidade das câmeras onipresentes e oniscientes [Tese de doutorado, Universidade de São Paulo]. Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. https://bit.ly/2VV6YNo

Monteiro, E. (2009). Experiência, narrativa e informação: O uso das novas tecnologias na construção de uma cultura de vigilância na televisão [Tese de doutorado, Universidade Federal do Rio de Janeiro]. Repositório institucional da UFRJ. https://bit.ly/2VVPXm6

Oliveira, W. S. (2019). Os vídeos das câmeras de segurança no telejornal ESTV 1ª Edição: Do monitoramento à notícia [Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Espírito Santo]. Repositório institucional da Ufes. https://repositorio.ufes.br/handle/10/11172

Silva, G. (2005). Para pensar critérios de noticiabilidade. Estudos em Jornalismo e Mídia, 2(1), 95-107.

Silva, G. (2014). Para pensar critérios de noticiabilidade. In G. Silva, M. P. da Silva & M. L. Fernandes (Orgs.), Critérios de noticiabilidade: Problemas conceituais e aplicação (pp. 51-69). Insular.

Silva, G. (2018). A engrenagem da noticiabilidade no meio do redemoinho. Observatório, 4(4), 308-333. https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2018v4n4p308

Silva, M. P. (2016). Entre a narração do cotidiano e o cotidiano da narração: Uma análise da noticiabilidade como categoria cognitiva nas rotinas jornalísticas [Apresentação de trabalho]. 14º Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, Palhoça, Santa Catarina, Brasil.

Silva, M. P. (2020). Percepção de noticiabilidade em um contexto regional: Análise comparativa entre jornalistas, assessores de imprensa e leitores de Corumbá (MS). Famecos, 27, 1-15. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2020.1.36718

Silva, M. T., & França, V. R. V. (2017). Jornalismo e noticiabilidade: Quem constrói os valores-notícia? [Apresentação de trabalho]. XXVI Encontro Anual da Compós, Imperatriz, Maranhão, Brasil.

Siqueira, F. C. (2018). A reconstrução da realidade no telejornalismo: Uma análise da coprodução via WhatsApp. Observatório, 4(3), 623-649. https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2018v4n3p623

Traquina, N. (2008). Teorias do jornalismo: A tribo jornalística – Uma comunidade interpretativa transnacional (Vol. 2, 2a ed.). Insular.

Wolf, M. (2008). Teorias das comunicações de massa (3a ed.). Martins Fontes.

Zelizer, B. (1993). Journalists as interpretive communities. Critical Studies in Mass Communication, 10(3), 219-237. https://doi.org/10.1080/15295039309366865

Zelizer, B. (2010). Journalists as interpretive communities, revisited. In S. Allan (Ed.), The Routledge companion to news and journalism (pp. 219-237). Routledge.

Downloads

Publicado

2022-06-29

Como Citar

Torres Neto, A. P., & Patrício, E. (2022). A realidade revisitada: as imagens de videovigilância como elemento de noticiabilidade na produção telejornalística. Novos Olhares, 11(1), 16-30. https://doi.org/10.11606/issn.2238-7714.no.2022.189630

Edição

Seção

ARTIGOS