Literatura de testemunho: leituras comparadas de Primo Levi, Anne Frank, Immaculée Ilibagiza e Michel Laub

  • Carolina Pina Rodrigues Maciel Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Palavras-chave: literatura de testemunho, teoria literária, literatura contemporânea.

Resumo

Na narrativa contemporânea, diversos temas e saberes constituem campos de reflexão essenciais à teoria literária. Este trabalho visa refletir sobre a questão da literatura de testemunho, relacionando esta temática às obras É isto um homem? (1988), de Primo Levi e O diário de Anne Frank (2015), a fim de traçar paralelos com os relatos testemunhais de Immaculéé Ilibagiza (2008), sobrevivente do holocausto ruandês e personagem de A maçã envenenada, de Michel Laub, de que também trataremos. Em nossa proposta, é essencial discutir o problema do testemunho na ficção do pós-guerra e sua relação com a literatura contemporânea, analisando também seu caráter memorialístico e alguns aspectos do que Márcio Seligmann-Silva chama de “escrita traumática”. Com o auxílio de um aparato teórico composto por críticos contemporâneos que abordam a noção de testemunho, estabeleceremos um breve estudo para essas questões urgentes e atuais da ficção contemporânea, especialmente, no caso dos quatro autores aqui privilegiados.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-12-21
Como Citar
Maciel, C. (2016). Literatura de testemunho: leituras comparadas de Primo Levi, Anne Frank, Immaculée Ilibagiza e Michel Laub. Opiniães, 5(9), 74-80. https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2016.124618