A tradição latino-americana da alteridade em Passageiro do fim do dia, de Rubens Figueiredo

Autores

  • Thales de Barros Teixeira Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2016.124628

Palavras-chave:

alteridade, discurso, modernidade, latinidade.

Resumo

Este artigo procura demonstrar de que maneira o romance Passageiro do fim do dia, de Rubens Figueiredo, está em diálogo com a construção do discurso literário da alteridade, tão presente na obra de grandes escritos latino-americanos, como Gabriel García Márquez e Julio Cortázar. Para tanto, Rubens põe em confronto a perspectiva de personagens que vivem na cidade do Rio de Janeiro, mas que se entendem como diferentes entre si, porque a cidade em que vivem é cindida, e seus círculos sociais não gozam de interação cotidiana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-12-21

Como Citar

Teixeira, T. de B. (2016). A tradição latino-americana da alteridade em Passageiro do fim do dia, de Rubens Figueiredo. Opiniães, 5(9), 154-162. https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2016.124628