A configuração da cidade no romance As fantasias eletivas, de Carlos Henrique Schroeder

  • Luiz Henrique Moreira Soares Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) - Campus de Jacarezinho.
  • Adenize Aparecida Franco Universidade Estadual do Centro Oeste (UNICENTRO)
Palavras-chave: As fantasias eletivas, cidade, romance contemporâneo brasileiro, configuração.

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar o espaço e a configuração da cidade contemporânea construída no romance As fantasias eletivas (2014), de Carlos Henrique Schroeder. A narrativa em questão une o sujeito à palavra, demonstra o vazio e o esgotamento característicos da contemporaneidade, bem como a liquidez das relações humanas, tendo como plano as inconsistências e as abjeções de um espaço urbano modificado e globalizado. Neste sentido, o trabalho buscou refletir de que maneira a cidade contemporânea se apresenta na narrativa e qual sua relação com as personagens, também fragmentadas e instáveis. Para isso, a base teórica consistiu nas contribuições teóricas de Tânia Pellegrini (2002, 2007), Regina Dalcastagnè (2012), Giorgio Agamben (2009), Luis Alberto Brandão Santos (1999), Renato Cordeiro Gomes (2000), dentre outros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Henrique Moreira Soares, Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) - Campus de Jacarezinho.
Graduado em Letras pela Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) - Campus de Jacarezinho. Atuou como bolsista de Iniciação Científica, na modalidade voluntária.
Adenize Aparecida Franco, Universidade Estadual do Centro Oeste (UNICENTRO)
Docente do curso de Letras da Universidade Estadual do Centro Oeste (UNICENTRO). Doutora em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo (USP). Atua também no Programa de Pós Graduação em Letras da UNICENTRO. 

Referências

AGAMBEN, G. O que é o Contemporâneo? In: O que é o Contemporâneo? e outros ensaios. Tradução de Vinícius Nicastro Honesko. Chapecó, SC: Argos, 2009.

BAKHTIN, M. Epos e romance In: Questões de Literatura e de Estética (A teoria do romance). Tradução de Aurora Bernardini. São Paulo: Hucitec Editora, 2010.

DALCASTAGNÈ, Regina. Literatura brasileira contemporânea: um território contestado. Vinhedo: Editora Horizonte, 2012.

GERMANO, Idilva Maria Pires. As ruínas da cidade grande: imagens da experiência urbana na literatura brasileira contemporânea. Estudos e Pesquisas em Psicologia (UERJ), Rio de Janeiro, v. 2, n. 9, p.425-446, 2009.

GOMES, Renato Cordeiro. Representações da cidade na narrativa brasileira pós-moderna: esgotamento da cena moderna? Revista Alceu (PUCRJ), Rio de Janeiro, v. 1, p. 64-74, 2000.

PELLEGRINI, Tânia. A ficção brasileira hoje: os caminhos da cidade. Revista de Filología Románica, Madrid, v. 19, p.355-370, 2002.

______. Realismo: postura e método. Letras de Hoje. Porto Alegre. V. 42, n. 4, p.137-155, 2007.

PETRILLO, Regina Celia Pentagna. Desagregação e busca – a cidade na literatura brasileira contemporânea. Saber Digital, v. 1, p. 1-10, 2011.

ROCHA, Rejane Cristina. As formas do real: a representação da cidade em “Eles eram muitos cavalos”. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, n. 39, jan.-jun., p. 107-127, 2012.

SANTIAGO, Silviano. Nas malhas da letra: ensaios. Rio de Janeiro: Rocco, 2002.

SANTOS, L. A. B. Textos da cidade. In: VASCONCELOS, M. S.; COELHO, H. R. (Org.). 1000 rastros rápidos: (cultura e milênio). Belo Horizonte: Autêntica, 1999, pp. 131-138.

SCHROEDER, Carlos Henrique. As fantasias eletivas. Rio de Janeiro: Record, 2014.

SCIENCE, Chico. Cidade. In: Chico Science & Nação Zumbi. Da Lama ao Caos (CD). Rio de Janeiro: Chaos, 1994.

SILVA, Gisele Menezes da. A cidade e o caos: Uma leitura do contemporâneo. Dissertação (Mestrado) - Curso de Letras, Departamento de Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2009.

VIRILIO, Paul. O espaço crítico. São Paulo: Editora 34, 1993.

Publicado
2018-07-29
Como Citar
Soares, L. H., & Franco, A. (2018). A configuração da cidade no romance As fantasias eletivas, de Carlos Henrique Schroeder. Opiniães, (12), 250-260. https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2018.142402