Infância, de Graciliano Ramos

um esforço de memória, um esforço de ficção

  • Wesley Moreira de Andrade Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Graciliano Ramos, Infância, Autobiografia, Literatura Brasileira

Resumo

Infância, de Graciliano Ramos, publicado em 1945, pode ser considerada a primeira obra assumidamente autobiográfica deste escritor, na qual ele revisita o período de sua meninice até o início da adolescência. Livro de memórias, Infância destaca-se justamente pelo tratamento ficcional dado aos personagens e episódios reais ali narrados. O presente artigo pretende, a partir do referencial teórico de Philippe Lejeune e Paul de Man, dois nomes que versaram sobre o gênero autobiográfico, e também das análises feitas por pesquisadores brasileiros sobre o livro Infância, descrever alguns dos procedimentos utilizados pelo escritor alagoano para singularizar a experiência de leitura que seu trabalho memorialístico propicia no leitor o qual está diante das situações difíceis vividas pelo protagonista quando ele era criança.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AZEREDO, José Carlos de. Gramática Houaiss da Língua Portuguesa. 3. ed. São Paulo: Publifolha, 2011.

BOSI, Alfredo. Céu, inferno. In: Céu, inferno: ensaios de crítica literária e ideológica. 3. ed. São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 2010. p. 19-50.

CANDIDO, Antonio. Ficção e confissão: Ensaios sobre Graciliano Ramos. Rio de Janeiro: Editora 34, 1992.

CURY, Maria Zilda Ferreira. Infância: memórias em fragmento. In: Itinerários. Araraquara: UNESP, 1994. P. 37-46.

DE MAN, Paul. Autobiography as De-Facement. In: The Rhetoric of Romanticism. New York: Columbia University Press, 1984. p. 67–81.

LEITÃO, Cláudio. Líquido e incerto: memória e exílio em Graciliano Ramos. Prefácio de Eduardo de Assis Duarte. Niterói: EdUFF, São João Del-Rei: UFSJ, 2003.

LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico. In: O pacto autobiográfico: De Rousseau à internet. Organização Jovita Maria Gerheim Noronha; tradução Jovita Maria Gerheim Noronha, Maria Inês Coimbra Guedes. 2. ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008. p. 19-55.

MIRANDA, Wander Melo. Graciliano Ramos. São Paulo: Publifolha, 2004. (Folha explica)

RAMOS, Graciliano. Infância. São Paulo: Círculo do Livro, 1977.

RIBEIRO, Gustavo Silveira. Abertura entre as nuvens: uma intepretação de Infância, de Graciliano Ramos. São Paulo: Annablume, 2012.

SILVA, Sérgio Antônio. Papel, penas e tinta: a memória da escrita em Graciliano Ramos. São Paulo: Annablume; Belo Horizonte: Fapemig, 2012
Publicado
2018-12-21
Como Citar
Andrade, W. (2018). Infância, de Graciliano Ramos. Opiniães, (13), 241-260. https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2018.149043