Passageiro do fim do dia

da forma moderna do romance às relações modernas de trabalho

  • Wesley Lucas Batista da Silva Universidade Federal do Ceará
Palavras-chave: literatura brasileira, teoria da literatura, romance moderno, modernidade, capitalismo

Resumo

Este trabalho é uma reflexão acerca das relações entre literatura e sociedade, no que concerne ao romance moderno e(m) sua vinculação com o mundo moderno do trabalho. O objetivo é investigar, a partir da obra Passageiro do fim do dia (2010), de Rubens Figueiredo, como a modernização da forma do romance acompanhou, em paralelo, a modernização das relações trabalhistas. Para isso, partiremos da concepção marxista de luta de classes, na qual, segundo nossa hipótese, o autor se apoia para fazer uma crítica a essas relações de trabalho bem como ao Capitalismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AUERBACH, Erich. Epílogo. In: Mimesis: a representação da realidade na literatura ocidental. São Paulo: Perspectiva, 2015.

BOURDIEU, Pierre. Efeitos de lugar. In: A miséria do mundo. Petrópolis: Vozes, 2003.

BUENO, Luís. “Os três tempos do romance de 30”. Teresa, n. 3, p. 254-283, 26 dez. 2002. Disponível em: https://doi.org/10.11606/issn.2447-8997.teresa.2002.121151.

CANDIDO, Antonio. Crítica e Sociologia. In: Literatura e Sociedade. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2006. 9° edição.

______. Uma aldeia falsa. In: Na sala de aula. São Paulo: Ática, 1998.

DALCASTANGNÈ, Regina. Sombras da cidade: o espaço na narrativa brasileira contemporânea. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, n° 21, janeiro/junho de 2003, pp. 33-53. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/estudos/article/view/ 2200/1757.

______. A personagem do romance brasileiro contemporâneo: 1990 – 2004. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, n.º 26, julho-dezembro de 2005, pp. 13-71. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/estudos/article/view/2123/1687.

FIGUEIREDO, Rubens. Passageiro do fim do dia. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

LOPES, Moacyr C. O capital ao alcance de todos. São Paulo: Cátedra, 1986.

MAGRIS, Claudio (2009). O romance é concebível sem o mundo moderno? In: MORETTI, Franco (Org.) A cultura do romance. São Paulo: Cosac Naify. p. 1023-1028.

MARX, K. ENGELS, F. Manifesto do partido comunista. São Paulo: Boitempo, 1998. Tradução: Álvaro Pina e Ivana Jinkings.

ROLIM, Lilian Nogueira. A inserção da mulher no mercado de trabalho brasileiro. Carta Capital, São Paulo, 8 março 2018. Disponível em: . Acesso em 28 de maio de 2018.

ROSENFELD, Anatol. Reflexões sobre o romance moderno. In: Texto/Contexto I. São Paulo: Perspectiva, 1996.

VELLOSO, Thais Fernandes. Ficção e história em Passageiro do fim do dia. E-scrita, Nilópolis, n°1, v. 8, janeiro-abril de 2017. pp.332-345. Disponível em: http://revista.uniabeu.edu/index/php/RE/article/view/2351. Acesso em: 04 de novembro de 2018.
Publicado
2018-12-21
Como Citar
Silva, W. L. B. (2018). Passageiro do fim do dia. Opiniães, (13), 261-276. https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2018.149355