Metamorfoses noturnas

Machado de Assis, o legado romântico e a crítica social

  • Raphael Valim da Mota Silva Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Machado de assis, Romantismo, noite, literatura brasileira, romance brasileiro, Dom Casmurro

Resumo

Uma imagem recorrente na ficção de Machado de Assis diz respeito à descrição da noite e dos elementos a ela semanticamente adjacentes: a lua, a névoa, os astros, as estrelas. Na recuperação constante de tal construção simbólica, o autor não só se posiciona acerca do legado romântico, como também desenvolve uma crítica social que se torna mais expressiva e madura conforme o passar dos anos. O presente trabalho centra-se justamente no estudo da construção imagética em torno das atmosferas noturnas e astrológicas descritas em seus textos ficcionais, com ênfase nos romances machadianos em que mais se destacam, sendo eles Ressurreição (1872), A mão e a luva (1874), Quincas Borba (1891) e Dom Casmurro (1899).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raphael Valim da Mota Silva, Universidade de São Paulo
Graduando em Letras - Português e Inglês pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP). Possui experiência de pesquisa em Literatura Brasileira, com ênfase no Modernismo e na obra de Mário de Andrade.
Publicado
2019-12-27
Como Citar
Valim da Mota Silva, R. (2019). Metamorfoses noturnas. Opiniães, (15), 258-279. https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2019.156319