Conceitos schillerianos presentes na obra Beatriz Cenci de Gonçalves Dias

  • Jéssica de Oliveira Guimarães Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Beatriz Cenci, Gonçalves Dias, Friedrich Schiller, Drama romântico, Liberdade

Resumo

O objetivo do artigo é analisar o diálogo estabelecido por Gonçalves Dias com Friedrich Schiller ao desenvolver seus dramas, em especial, Beatriz Cenci. Para isso, será realizada a apresentação de alguns conceitos filosóficos, desenvolvidos pelo alemão, evidenciando de que forma estão presentes na obra gonçalvina, como a ideia de arte e liberdade. Além disso, observaremos alguns pontos apontados por Gonçalves Dias em seu prólogo à Leonor de Mendonça. Este texto é fundamental para o estudo do drama gonçalvino, pois apresenta o objetivo do autor em relação ao gênero, reforçando o diálogo do autor com as ideias schillerianas e com outros pensadores, como Victor Hugo, que também aproxima-se do alemão ao falar de temas como a fatalidade, além de sua concepção de verdade incisiva, fundamental para os desfechos dos dramas de Gonçalves Dias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jéssica de Oliveira Guimarães, Universidade de São Paulo

Mestranda em Literatura Brasileira, Universidade de São Paulo - FFLCH. Graduada em Letras, com habilitação em Português e Francês, Universidade de São Paulo - FFLCH (2014). Graduada em Comunicação Social - Jornalismo, Faculdade Cásper Líbero (2013). 

Referências

ARÊAS, Vilma. Variações do “amor cortês” em Leonor de Mendonça e em O casamento de Fígaro. Revista Teresa, São Paulo, 2013.

CHIARI, Gisele Gemmi. A Estética Romântica no Teatro de Gonçalves Dias: Leonor de Mendonça. Tese (Doutorado em Literatura Brasileira) - Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas, USP, São Paulo, 2015.

DIAS, Gonçalves. Teatro. Rio de Janeiro: Editora Nova Aguilar, 2005.

HUGO, Victor. Do grotesco e do sublime. São Paulo: Editora Perspectiva, 2014.

JACOBBI, Ruggero. Goethe, Schiller, Gonçalves Dias. Porto Alegre: Edições da Faculdade de Filosofia, 1958.

LAGO, P.C. Gonçalves Dias censurado. Revista Piauí, São Paulo, 2012.

PRADO, D.A. A violenta ruptura de Gonçalves Dias. São Paulo: Folha de S. Paulo, 1994.

PRADO, D.A. História concisa do teatro brasileiro. São Paulo: Edusp, 2003.

PRADO, D.A. O drama romântico brasileiro. São Paulo: Editora Perspectiva, 1996.

SANTOS, A.C.R. A obra dramática de Gonçalves Dias. Revista Em Tese, v.9, Belo Horizonte, 2005.

SANTOS, S.P. Caminhos do drama burguês: de Diderot a Alexandre Dumas filho. Darandina: Revista Eletrônica. Programa de Pós-Graduação em Letras/ UFJF, v.2.

SCHILLER, Friedrich. Do sublime ao trágico, trad. Pedro Süssekind, Vladimir Vieira. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2016.

SCHILLER, Friedrich. Teoria da Tragédia, trad. Flávio Meurer. São Paulo: Herder, 1964.

VOLOBUEF, Karin. Friedrich Schiller e Gonçalves Dias. Revista Pandaemonium Germanicum, São Paulo, v.9, 2005.

Publicado
2019-12-27
Como Citar
Guimarães, J. (2019). Conceitos schillerianos presentes na obra Beatriz Cenci de Gonçalves Dias. Opiniães, (15), 191-212. https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2019.159715