Antes da Crônica da casa assassinada

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2020.176192

Palavras-chave:

Lúcio Cardoso, Literatura brasileira, Modernismo, Conto, Crônica da casa assassinada

Resumo

Lúcio Cardoso mergulhou corajosamente no espírito da família patriarcal brasileira, por meio de uma rara habilidade: a de tornar possível o encontro da verossimilhança e do poético para revelar o fastidioso moralismo e conservadorismo das classes médias brasileiras dos anos 1930 a 1950. Essa coragem deve ser associada não somente à exposição de seus personagens a situações insólitas transpostas com alto grau de realismo, mas à sua insistência e perseverança em se manter criticamente exilado dos estilos dominantes, afirmando uma postura única na literatura brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Valéria Lamego, Programa Avançado de Cultura Contemporânea - Universidade Federal do Rio de Janeiro

Pesquisadora visitante do PACC-UFRJ no qual realizou seu estágio pós-doutoral (Bolsa Cnpq PDJ). Doutora em Literatura Brasileira pela PUC-Rio, autora de A farpa na lira: Cecília Meireles na Revolução de 30 (1996). Organizou os livros Joan Miró de João Cabral de Melo Neto (2018); Correspondência entre Monteiro Lobato e Lima Barreto (2017); Aniki Bóbó de João Cabral (2016); Contos da ilha e do continente de Lúcio Cardoso (2012) e da Obra em prosa de Cecília Meireles (1997). Em 2010 recebeu o Prêmio Funarte de Criação Literária pelo inédito Crime na Noite

Referências

AMADO, Jorge. Maleita. O Jornal, Rio de Janeiro, Segunda Seção, p. 1, 7 out. 1934.

AMADO, Jorge. Octávio de Faria no morro do Salgueiro. A Manhã, Rio de Janeiro, p. 3, 15 jun. 1935.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas: magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense, 1985.

BLANCHOT, Maurice. O espaço literário. Rio de Janeiro: Rocco, 2011.

BOSI, Alfredo (org.). O conto brasileiro contemporâneo. São Paulo: Cultrix, 1974.

CARDOSO, Lúcio. A sedutora. A Noite, Rio de Janeiro, Risos e Lágrimas da Cidade, O Crime do Dia, sábado, p. 11, 28 jun. 1952a.

CARDOSO, Lúcio. Cantiga de roda. O Malho, Rio de Janeiro, 7 set. 1933.

CARDOSO, Lúcio. Contos da ilha e do continente. Organização: Valéria Lamego. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

CARDOSO, Lúcio. Diário completo. Rio de Janeiro: José Olympio, 1970.

CARDOSO, Lúcio. Orfanato. A Noite, Rio de Janeiro, Risos e Lágrimas da Cidade, O Crime do Dia, sexta-feira, 26 set. 1952b, p. 11.

CARDOSO, Lúcio. Orfanato. A Noite, Rio de Janeiro, Risos e Lágrimas da Cidade, O Crime do Dia, quarta-feira, 13 maio 1953, p. 10.

CARDOSO, Lúcio. Um retrato. A Noite, Rio de Janeiro, Risos e Lágrimas da Cidade, O Crime do Dia, quinta-feira, 24 abr. 1952c, p. 10.

CARELLI, Mario. Corcel de fogo: vida e obra de Lúcio Cardoso (1912-1968). Rio de Janeiro: Guanabara, 1988.

GOMES, Renato Cordeiro. Todas as cidades, a cidade. Rio de Janeiro: Rocco, 2008.

LAMEGO, Valéria. O conto e a vida literária de Lúcio Cardoso (1930-1950). Tese de doutorado (Letras/ Literatura, Cultura e Contemporaneidade). Rio de Janeiro: PUC, 2013.

LAMEGO, Valéria. Os contos de Lúcio Cardoso. In: CARDOSO, Lúcio. Contos da ilha e do continente. Organização: Valéria Lamego. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012, p. 7-32.

MARTINS, W. Um romance brasileiro. In: Crônica da casa assassinada. 2. ed. Edição crítica coordenada por Mário Carelli. (Coleção Archivos, nº 18). Madrid, Paris, México, Buenos Aires, São Paulo, Rio de Janeiro; Lima: ALLCA XX / Edusp, 1996, p. 793-797.

NASCIMENTO, Evando. Crônica de um crime anunciado. Ipotesi: Revista de Estudos Literários, Juiz de Fora, v. 5, n. 1, p. 49-64, jan./jun. 2001. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/ipotesi/article/view/19248. Acesso em: 20 nov. 2020.

Downloads

Publicado

2020-12-20

Como Citar

Lamego, V. (2020). Antes da Crônica da casa assassinada. Opiniães, (17), 436-448. https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2020.176192