Feridas grandes demais: inferiorização feminina e miserabilidade social no conto A bela e a fera, de Clarice Lispector

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2021.180156

Palavras-chave:

Clarice Lispector, Inferiorização feminina, Miserabilidade social, A bela e a fera ou A ferida grande demais

Resumo

Escrito em 1977 e publicado dois anos depois em livro homônimo, o conto A bela e a fera ou A ferida grande demais, de Clarice Lispector, narra a história de Carla de Souza e Santos, mulher burguesa que, ao ver-se afastada de casa, passa a ter questionamentos sobre o papel da mulher na sociedade. Momento depois quando encontra um mendigo, a personagem começa a problematizar os privilégios próprios de sua classe social. Nessa perspectiva, o presente artigo visa analisar as maneiras pelas quais a inferiorização feminina e a miserabilidade social são figuradas na narrativa, a fim de contribuir para uma leitura histórica da obra da autora.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Antognoli Caleffi, Universidade de São Paulo - USP

Bacharel e licenciado em Letras pela Universidade de São Paulo. Atualmente, dedica-se ao estudo da literatura de Clarice Lispector.

Referências

BEAUMONT, Jeanne-Marie Leprince de; VILLENEUVE, Gabrielle-Suzanne Barbot de. A Bela e a Fera. Tradução André Telles. Rio de Janeiro: Zahar, 2016.

CHIAPPINI, Ligia. Pelas ruas da cidade uma mulher precisa andar – Leitura de Clarice Lispector. Literatura e Sociedade (USP), São Paulo, v. 1, n. 1, p. 60-80, 1996. DOI: 10.11606/issn.2237-1184.v0i1p60-80. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/ls/article/view/682. Acesso em: 29 jul. 2021.

CHIAPPINI, Ligia. Mulheres, galinhas e mendigos: Clarice Lispector, contos em confronto. In: SÜSSEKIND, Flora; DIAS, Tânia; AZEVEDO, Carlito (orgs.). Vozes femininas: gêneros, mediações e práticas da escrita. Rio de Janeiro: 7letras, 2003.

GOTLIB, Nádia Battella. Os difíceis laços de família. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, Fundação Carlos Chagas, n. 91, pp. 93-99, nov. 1994. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/index.php/cp/article/view/881. Acesso: 29 jul. 2021.

GOTLIB, Nádia Battella. Clarice: Uma Vida que se Conta. 7. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2013.

IANNACE, Ricardo. A leitora Clarice Lispector. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2001.

LISPECTOR, Clarice. A bela e a fera. Rio de Janeiro: Rocco, 2020.

LISPECTOR, Clarice. A hora da estrela. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

NAPOLITANO, Marcos. 1964: história do regime militar brasileiro. São Paulo: Contexto, 2018.

NUNES, Benedito. A forma do conto. In: NUNES, Benedito. O drama da linguagem: uma leitura de Clarice Lispector. São Paulo: Editora Ática, 1995.

OLIVEIRA, Solange Ribeiro de. Rumo à Eva do futuro: a mulher no romance de Clarice Lispector. Remate de Males, Campinas, v. 9, p. 95-105, 2015.

PINTO, Céli Regina Jardim. Uma história do feminismo no Brasil. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2003.

PONTIERI, Regina. Clarice Lispector: uma poética do olhar. São Paulo: Ateliê Editorial, 1999.

WALDMAN, Berta. Clarice Lispector: a paixão segundo C. L. 2. ed. São Paulo: Editora Escuta, 1992.

Downloads

Publicado

2021-07-31

Como Citar

Caleffi, L. A. (2021). Feridas grandes demais: inferiorização feminina e miserabilidade social no conto A bela e a fera, de Clarice Lispector. Opiniães, (18), 263-280. https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2021.180156