A Manaus poética de Luiz Bacellar, Astrid Cabral e Aldísio Filgueiras: leituras críticas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2021.187576

Palavras-chave:

Manaus, Lírica, Luiz Bacellar, Astrid Cabral, Aldísio Figueiras

Resumo

Este artigo parte da hipótese de que a representação lírica da cidade de Manaus aparece primeira vez nas obras de Luiz Bacellar (Frauta de barro), Astrid Cabral (Visgo da terra) e Aldísio Figueiras (Malária & outras canções malignas). Para isso, foram selecionadas as dissertações de críticos literários que atuam em universidades locais e que fazem a leitura crítico-teórica de como esses poetas criaram a Manaus que aparece nos respectivos livros, selecionando recortes de poemas para ilustrar suas análises, quais sejam: Tradição e memória: a poesia de Luiz Bacellar em três movimentos (1997), de Gabriel Albuquerque; Manaus de águas passadas: a reconstrução poética de Manaus em Visgo de terra, de Astrid Cabral (2001), de Antônio Carlos Guedelha; e A cidade que existe em nós: a marca do urbano na poesia de Aldísio Filgueiras (2002), de Allison Leão. O objetivo desse itinerário é entender como as obras iniciais, quer na poesia, quer na crítica acadêmica universitária, lidam com a representação da cidade, no contexto amazônico, em diálogo com perspectivas socio-históricas e geográficas. Lida-se, assim, com uma segunda hipótese: como esses autores lidaram e superaram os discursos correntes sobre a representação da cidade?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabrício Magalhães de Souza, Secretaria de Estado de Educação do Amazonas – Seduc-AM

Graduado em Letras Língua Portuguesa (2011) e Mestre em Letras e Artes (2013) pela Universidade Estadual do Amazonas. Doutor em Sociedade e Cultura na Amazônia (2020) pela Universidade Federal do Amazonas. Integrante do grupo de pesquisa Investigações sobre a Memória Cultural em Artes e Literatura/UEA. Professor de educação básica pela Seduc-AM desde 2012.

Referências

AGUIAR, José Vicente de Souza. Manaus: praça, café, colégio e cinema nos anos 50 e 60. Manaus: Valer; Governo do Estado do Amazonas, 2002.

ALBUQUERQUE, Gabriel. Tradição e memória: a poesia de Luiz Bacellar em três movimentos. Dissertação (Mestrado em Literatura Brasileira) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997.

CABRAL, Astrid. Visgo da terra. 3. ed. Manaus: Valer; Governo do Estado do Amazonas; Edua; UniNorte, 2005.

DIAS, Ednea Mascarenhas. A ilusão do fausto: Manaus 1890-1920. Manaus: Valer, 1999.

FILGUEIRAS, Aldísio. Estado de sítio. Manaus: Uirapuru, 2004.

FILGUEIRAS, Aldísio. Malária & outras canções malignas. Manaus: Editora da Universidade do Amazonas, 1996.

GRAÇA, Antonio Paulo. Patologia da dependência: introdução ao estudo da literatura no Amazonas. In: Arte e delírio: reflexões sobre a cultura amazonense. Manaus: Diretório Universitário – U. A., 1985; pp. 31-46.

GRAÇA, Antonio Paulo. Uma poética do genocídio. Rio de Janeiro: ToopBooks, 1998.

GUEDELHA, Carlos Antônio Magalhães. Manaus de águas passadas: a reconstrução poética de Manaus em Visgo de Terra, de Astrid Cabral. Dissertação (Mestrado em Natureza e Cultura na Amazônia) - Fundação Universidade do Amazonas, Manaus, 2001.

GUEDES, Maria Sebastiana de Morais. A máscara de Deus. Dissertação (Mestrado em Natureza e Cultura na Amazônia). Universidade do Amazonas, Manaus, 2001.

GONDIM, Neide. O nacional e o regional na prosa de ficção no Amazonas. In: Leituras da Amazônia: revista internacional de arte e cultura. Ano I, n. 2. Manaus: EDUA; CRELI(T); Valer, 2002, pp. 83-125.

KRÜGER, Marcos Frederico. Introdução à poesia amazonense: com apresentação de autores e textos. Dissertação (Mestrado em Literatura Brasileira) – Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1982.

KRÜGER, Marcos Frederico. Grande Amazônia: Veredas. In: RANGEL, Alberto. Inferno verde: cenas e cenários do Amazonas. 6. ed. Manaus: Valer, 2008, pp. 9-20.

LEÃO, Allison. A cidade que existe em nós: a marca do urbano na poesia de Aldísio Figueiras. Dissertação (Mestrado em Sociedade e Cultura na Amazônia) - Fundação Universidade do Amazonas, Manaus, 2002.

LEÃO, Allison. Amazonas: natureza e ficção. São Paulo: Annablume; Manaus: FAPEAM, 2011.

LYRA, Pedro. Sincretismo: a poesia da geração de 60: introdução e antologia. Rio de Janeiro: Topbooks, 1995.

MONTEIRO, Mário Ypiranga. Fatos da literatura amazonense. Manaus: Universidade do Amazonas/Instituto de Ciências Humanas, 1976.

PAIVA, Marco Aurélio Coelho de. O papagaio e o fonógrafo: os prosadores de ficção na Amazônia. Manaus: Fundação Universidade do Amazonas, 2010.

OLIVEIRA, José Aldemir. Manaus de 1920-1967: a cidade dura doce em excesso. Manaus: Valer; Governo do Estado do Amazonas; Editora Universidade Federal do Amazonas, 2003.

RAFAEL, Iná Isabel de Almeida. Manaus como obra de arte: Uma genealogia da literatura produzida no amazonas. Tese (Doutorado em Sociedade e Cultura na Amazônia). Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2020.

SANTOS, Alexandre da Silva. Uma poética amazônica: estudo do poema "A Uiara", de Octávio Sarmento. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2018.

SOUZA, Maria Luiza Germano de. Espaço, vivências e dissimetrias na poética da cidade de Aldísio Figueiras. In: OLIVEIRA, Maria do Perpétuo Socorro Barbosa de; SANTOS, José Benedito dos; AZEVEDO, Kenedi Santos. A literatura no Amazonas: 1954-2010. Rio de Janeiro: Letras Capital, 2017, p. 54-73.

TELLES, Tenório. Apresentação. In: CABRAL, Astrid; TELLES, Tenório (orgs.). Visgo da terra. Manaus: Valer, Governo do Estado do Amazonas / Edua / UniNorte, 2005, pp. 15-22.

TELLES, Tenório; KRÜGER, Marcos Frederico (orgs.). Poesia e poetas do Amazonas. Manaus: Valer, 2006.

Downloads

Publicado

2021-12-30

Como Citar

Souza, F. M. de. (2021). A Manaus poética de Luiz Bacellar, Astrid Cabral e Aldísio Filgueiras: leituras críticas. Opiniães, (19), 67-89. https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2021.187576