A extrema liberdade em Cecília Meireles

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2022.197878

Palavras-chave:

Liberdade, Cecília Meireles, Poesia, Educação, Feminismo

Resumo

O conceito de liberdade atravessou a obra da poeta Cecília Meireles (1901-1964), desde seus escritos e lutas juvenis, nas décadas de 1910 e 1920, passando pela militância em torno de uma educação moderna durante a Revolução de 1930, período em que manteve uma página diária voltada para o tema. Nos mesmos anos, entre 1930 e 1933, a pensadora e militante política francesa, Simone Weil (1909-1943), também se debruçou sobre a questão. A autora faz, então, um breve paralelo sobre o que a poeta brasileira e a pensadora francesa escreveram no período. Cecília Meireles leva o tema para sua poesia na década de 1950 em uma de suas mais aclamadas obras, o 'Romanceiro da Inconfidência' (1953). Até suas últimas crônicas, na década de 1960, a autora aborda o tema em crônicas políticas e de comportamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Valéria Lamego, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Valéria Lamego é pesquisadora visitante do Programa Avançado de Cultura Contemporânea da
Universidade Federal do Rio de Janeiro (PACC-UFRJ), na qual realizou seu estágio pós-doutoral.

Referências

ANDRADE, Oswald. Voto a descoberto. In: Telefonema. São Paulo: Globo, 2007.

HOBSBAWM, Eric. A era das revoluções: 1789-1848. São Paulo: Paz e Terra, 2015.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto, 2006.

LAMEGO, Valéria. A farpa na lira: Cecília Meireles na Revolução de 30. Rio de Janeiro: Record, 1996.

MEIRELES, Cecília. Espectros, Rio de Janeiro: Editora Global, 2013.

MEIRELES, Cecília. Poesia completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

MEIRELES, Cecília. Poesia e religião. Manuscrito cedido pela pesquisadora Leila Gouvêa, 1963.

MEIRELES, Cecília. A extensão de nossa liberdade. Diário de Notícias, Página de Educação, Rio de Janeiro, 6 jan. 1931a.

MEIRELES, Cecília. Educação e revolução. Diário de Notícias, Página de Educação, Rio de Janeiro, 31 out. 1930a.

MEIRELES, Cecília. Equilíbrio. Diário de Notícias, Página de Educação, Rio de Janeiro, 30 out. 1932a.

MEIRELES, Cecília. Escolas italianas em S.Paulo: como se pode aproveitar a educação para campanha insidiosa de penetração fascista. Diário de Notícias, Página de Educação, Rio de Janeiro, 24 abr. 1932b.

MEIRELES, Cecília. Legiões e religiões. Diário de Notícias, Página de Educação, Rio de Janeiro, 30 jul. 1931b.

MEIRELES, Cecília. Liberdade. In: MEIRELES, Cecília. Escolha o seu sonho. Rio de Janeiro: Record, 1974.

MEIRELES, Cecília. Mussolini e a paz. Diário de Notícias, Página de Educação, Rio de Janeiro, 9 ago. 1932c.

MEIRELES, Cecília. O direito do não. Diário de Notícias, Página de Educação, Rio de Janeiro, 25 jan. 1931c.

MEIRELES, Cecília. Pedagogia de ministro. Diário de Notícias, Página de Educação, Rio de Janeiro, 30 abr. 1931d.

MEIRELES, Cecília. Responsabilidade da revolução. Diário de Notícias, Página de Educação, Rio de Janeiro, 27 nov. 1930b.

MEIRELES, Cecília. Um dos resultados da revolução. Diário de Notícias, Página de Educação, Rio de Janeiro, 3 dez. 1930c.

MELO NETO, João Cabral de. “O romanceiro da Inconfidência” e “O exílio das elites”. Comentários radiofônicos. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa/Arquivo-Museu de Literatura Brasileira/Arquivo João Cabral de Melo Neto, 1953. Pasta “Obras literárias diversas”.

MENDES, Murilo. A poesia social. In: MEIRELES, Cecília. Poesia completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

MOURA, Murilo Marcondes de. O mundo sitiado: a poesia brasileira e a mundo sitiado: a poesia brasileira e a Segunda Guerra Mundial. São Paulo: Ed. 34, 2016.

O MALHO. Rio de Janeiro, 22 maio 1920.

O PAIZ. Rio de Janeiro, 18 jul. 1920.

OSWALD, Andrade. Voto a descoberto. In: Telefonema. São Paulo: Globo, 2007. p. 553-554.

RANCIÈRE, Jacques. Les bords de la fiction. Paris: Editions du Seuil, 2017.

SAMPAIO, Claudia Dias. Cecília Meireles e Isabel do Prado: a construção de O Romanceiro da Inconfidência. Revista da Anpoll, Florianópolis, n. 38, p. 245-255, jan./jun. 2015.

SILVA, Denílson de Cássio. Cecília Meireles e o humanismo cívico: palavras e práticas de um ideário político (Brasil Sudeste, 1915-1964). 2021. Tese (Doutorado), Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2021.

WEIL, Simone. Reflexões sobre as causas da liberdade e da opressão social. Tradução de Pedro Fonseca. Belo Horizonte: Âyiné, 2020.

Downloads

Publicado

2022-07-07

Como Citar

Lamego, V. (2022). A extrema liberdade em Cecília Meireles. Opiniães, (20), 60-78. https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2022.197878