[1]
A. J. de O. Pedrosa, “Poema sem título que versa sobre o fio que urdiu a história em uma escola chamada Bauhaus”, Opiniães, nº 16, p. 148-154, jul. 2020.