[1]
B. F. Figueiredo, “Espaços barrocos: da arquitetura irrompe a carne”, Opiniães, nº 17, p. 410-435, dez. 2020.