• Dossiê: Nos limiares líricos
    n. 12 (2018)

    Neste número a Opiniães tem como tema "Nos limiares líricos", um dossiê dedicado aos estudos dos momentos limiares da poesia no Brasil. A edição traz ainda a seção "Debate", "Artigos", "Criação Literária e "Resenha".

    Editores do número: Eduardo Marinho, Marcílio Godoi e Rafael Tahan.

  • Dossiê: Autores-Editores
    n. 11 (2017)
    O número 11 da Opiniães traz, em seu Dossiê, artigos que exploram, de maneiras diversas, aspectos da confluência entre as atividades de autor e de editor. Se essa descrição parecer vaga, sugerimos uma visita ao editorial, onde tentamos nos aprofundar um pouco mais sobre o assunto e a proposta do dossiê. Monteiro Lobato, Lima Barreto, Godofredo Rangel, Graciliano Ramos, Guimarães Rosa e Erico Verissimo dão o tom dessa primeira parte da revista. Na segunda parte, a seção de artigos de tema livre em literatura brasileira traz um leque bastante variado de autores e obras, abrangendo do século XIX ao XXI. Na parte III, entrevista com André Seffrin sobre a obra de Samuel Rawett. Em nossa já tradicional seção de criação literária, é ir lá e ler - vale a pena.
  • Dossiê: Presença negra na literatura brasileira
    n. 10 (2017)
    A décima edição da Opiniães: revista dos alunos de literatura brasileira convida o leitor a refletir sobre as relações estéticas, sociais e políticas que envolvem a literatura negra e/ou afro-brasileira.
  • Dossiê: Literatura e Cidade
    n. 9 (2016)
    Os dezesseis artigos que compõem o Dossiê: Literatura e Cidade entram na cidade por suas próprias vias. Entre flâneurs e monumentos, meio bossa nova e rock’n’roll, estudantes de graduação e pós-graduação enviaram suas leituras de obras de Machado de Assis, Carlos Drummond de Andrade, Rubem Fonseca, João Antônio, Renato Russo, Evandro Affonso Ferreira, Milton Hatoum, Chico Buarque, entre outros, buscando uma convergência com temas da arquitetura e do urbanismo para encontrar, na literatura, uma forma particular de representar, imaginar, lembrar e esquecer a cidade. Nesta edição, além do dossiê “Literatura e Cidade”, que compreende os artigos assinados por João Vitor Rodrigues Alencar, Júlia Nunes Azzi, Kaio Carvalho Carmona, Amanda Borges Almeida da Fonseca, Luís Otávio Hott, Lohanna Machado, Carolina Pina Rodrigues Maciel, Elizabeth da Silva Mendonça, Renan Nuernberger, Elisângela Maria Ozório, Claudia Maria de Serrão Pereira, Davidson de Oliveira Rodrigues, Adriana Kerchner da Silva, Luciéle Bernardi de Souza, Thales de Barros Teixeira e Milena Guimarães Andrade Tanure, publicamos o texto de Henrique Balbi sobre narração nas crônicas de Fernando Sabino e Rubem Braga, submetido à seção de fluxo contínuo.Há também entrevista com a professora Sophia Beal, da Universidade de Minnesota, que foi realizada por Aline Novais de Almeida, Juliana Caldas e Larissa Satico Ribeiro Higa. Em 2013, Sophia Beal publicou o livro Brazil Under Construction – Fiction and Public Works que aborda as relações entre obras públicas e literárias e que foi resenhado para a Opiniães n. 9 por Larissa Satico Ribeiro Higa. Por fim, o periódico apresenta na seção “Criação Literária” contos e poemas inéditos de Lucas Zaparolli de Agustini, Ana Amália Alves, Victor de Melo Lago, Thiago Viana Leite, Gustavo Di Donato Matheus, Elson de Oliveira, Loildo Teodoro Roseira e Maria Scarte.
  • Dossiê: Literatura em cena
    n. 8 (2016)

    A Opiniães 8 "Literatura em cena" traz um conjunto de artigos nos quais alunos, pesquisadores e professores universitários propuseram diferentes enfoques críticos para se pensar a relação entre texto e cena que marca o ambíguo e instável trânsito entre literatura e teatro. Destaque para a entrevista com a professora  Iná Camargo Costa e para o artigo do professor João Roberto Faria.

    Capa de Débora De Maio a partir de fotografia de Luís Villaça. Fotografias de Keiny Andrade, Luís Villaça, Micaela Wernicke e Michael Robert Coutinho Martins. 

  • Dossiê: Literatura e Sexo: Questões Estéticas e/ou Morais
    n. 6-7 (2015)

    O dossiê "Literatura e sexo: questões estética e/ou morais" foi composto por entrevistas e artigos nos quais alunos, pesquisadores e professores universitários propuseram diferentes enfoques críticos para se pensar a representação do sexo ou da sexualidade no texto literário. Destaque para entrevista com a professora  e pesquisadora Eliane Robert Moraes.

    A seção de artigos de tema livre contou com estudos sobre Guimarães Rosa, Graciliano Ramos, Clarice Lispector, Machado de Assis, e Manuel Botelho de Oliveira.

    Capa e ilustrações de Lestranj.

  • Dossiê: Literatura e Educação
    n. 4-5 (2014)

    Este número tratou de “literatura e educação”. Destaque para o ensaio de Roberto Acízelo, com um histórico sobre os cursos de Letras no país. Os textos da seção de ensaios livres trataram de autores variados, como Caio Fernando Abreu, Mário de Andrade, Eça de Queirós, Machado de Assis, entre outros.

    Capa e ilustrações de Phabulo Mendes.

  • Dossiê: Polêmicas Literárias
    n. 3 (2011)
    Polêmicas envolvendo Graciliano Ramos, Octávio de Faria, João Guimarães Rosa, Chico Buarque, Monteiro Lobato, católicos, calvinistas e professores universitários!
  • Dossiê: Século XIX
    n. 2 (2011)

    O segundo número da revista traz um minidossiê sobre autores do século XIX, com artigos sobre Visconde de Taunay, Olavo Bilac, Castro Alves e Martins Pena.

    Além disso, a edição conta com artigos sobre Clarice Lispector e Renato Tapajós, textos artísticos, um ensaio sobre problemas da escrita na atualidade e a transcrição de um debate sobre revistas acadêmicas estudantis.

  • n. 1 (2010)

    A publicação apresentou sua proposta de ser uma revista dos discentes do Programa de Literatura Brasileira da FFLCH USP. O volume trouxe artigos sobre Graciliano Ramos, Sérgio Sant'Anna, Osman Lins, Hilda Hist, entre outros.

    A seção dedicada à criação literária trouxe contos de Gabriela Canale e Ana Amelia Coelho. A edição também contou com uma entrevista com o quadrinista Fábio Moon e uma resenha do livro O que é o contemporâneo? e outros ensaios, de Giorgio Agamben.