Relações públicas no capitalismo cognitivo

Autores

  • Cicilia Maria Krohling Peruzzo Universidade Metodista de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-2593.organicom.2011.139103

Palavras-chave:

Relações Públicas. Capitalismo cognitivo. Produtividade. Conhecimento. Trabalho imaterial.

Resumo

O objetivo deste ensaio é apontar brevemente os principais aspectos teóricos sobre as mudanças paradigmáticas no capitalismo, além de aproximar a questão das relações públicas refletindo sobre a efetividade ou não de seus pressupostos quanto ao potencial de colaborar para aumentar a potenciação das forças produtivas. As mudanças engendradas pelo capitalismo cognitivo se revelam em múltiplas dimensões, entre elas o trabalho imaterial, as quais instituem novos paradigmas nas relações capital-trabalho, mas não extraem da atividade de relações públicas o seu poder de contribuir para estabelecer relações de cumplicidade entre a organização e os seus “colaboradores” e de angariar consensos na sociedade.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cicilia Maria Krohling Peruzzo, Universidade Metodista de São Paulo

Pós-doutora pela Universid Autónoma de México. Doutora em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Mestre em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo (Umesp). Graduada em Comunicação Social – Relações Públicas pela Faculdade de Comunicação Social Anhembi. Professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Umesp

Downloads

Publicado

2011-12-26