Comunicação pública e constituição de cenas de dissenso em contextos institucionais

Autores

  • Ângela Cristina Salgueiro Marques Universidade Federal de Minas Gerais. Departamento de Comunicação Social

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-2593.organicom.2015.139269

Palavras-chave:

Comunicação pública. Ética do discurso. Cenas de dissenso. Autonomia.

Resumo

Este artigo tem como objetivo ressaltar as potencialidades e fragilidades de uma compreensão da comunicação públicaassociada a um desenho político e democrático sustentado por práticas dialógicas em redes de esferas públicas, de prestaçãode contas e reciprocidade, de participação cívica e política e de construção da autonomia e da cidadania. O ideal normativo dedemocracia proposto por Jürgen Habermas pauta essa concepção trazendo consigo várias qualidades, mas também muitoslimites já apontados por seus críticos, sobretudo quando se trata do papel dúbio desempenhado pelos meios de comunicaçãona constituição de esferas públicas e do difícil exercício de parceiros de debate criarem cenas de dissenso nas quais sereconhecem como sujeitos de fala e efetivos interlocutores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ângela Cristina Salgueiro Marques, Universidade Federal de Minas Gerais. Departamento de Comunicação Social

Pós-doutora em Comunicação pela Université Stendhal (Grenoble III), e em Ciências Sociais pela Université Pierre-Mendès-France (Grenoble II), da França. Doutora, mestre e graduada em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professora adjunta do Departamento de Comunicação Social da UFMG, atuando também na pós-graduação.

Downloads

Publicado

2015-06-16