O novo sempre vem? Literacia generativa e inteligência artificial na campanha da Volkswagen com Elis

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-2593.organicom.2024.221320

Palavras-chave:

Inteligência artificial, Literacia generativa, Comunicação, Mídias digitais

Resumo

A partir da campanha da Volkswagen que usou uma versão de Elis Regina, cantora brasileira falecida, criada com técnicas de inteligência artificial generativa, este artigo traça um panorama da inserção dessa tecnologia na vida cotidiana. Para tanto, a metodologia utilizada é ancorada na perspectiva da arqueologia das mídias, com o intuito de constituir uma literacia para a inteligência artificial generativa pela identificação de rastros de possíveis competências de identificação, análise e uso da IA que foram sendo incorporadas em meios, canais e plataformas no decorrer dos tempos.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Alvaro Leme, Universidade de São Paulo. Escola de Comunicações e Artes

    • Doutorando e mestre em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP).

  • Egle Spinelli, Escola Superior de Propaganda e Marketing

    • Professora titular do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Práticas do Consumo da Escola Superior de Propaganda e Marketing (PPGCOM- ESPM);

    • Docente do curso de graduação em Jornalismo da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM-SP).

Referências

ALLISON, Anne. Millennial monsters: Japanese toys and the global imagination. Berkeley: California Press, 2006.

PROPAGANDA da Volks com imagem de Elis Regina é alvo de processo ético no Conar. Brasil de fato, 10 jul. 2023. Disponível em: https://www.brasildefato.com.br/2023/07/10/propaganda-da-volks-com-imagem-de-elis-regina-e-alvo-de-processo-etico-no-conar. Acesso em: 29 fev. 2024.

CESARINO, Letícia. O mundo do avesso: verdade e política na era digital. São Paulo: Ubu, 2022.

CRUZ, Felipe Branco. A decisão do Conar sobre comercial que reviveu Elis Regina. Veja, 23 ago. 2023. Disponível em: https://veja.abril.com.br/coluna/o-som-e-a-furia/a-decisao-do-conar-sobre-comercial-que-reviveu-elis-regina. Acesso em: 29 fev. 2024.

ERNST, Wolfgang. Arqueografia da mídia: método e máquina versus história e narrativa da mídia. Teccogs: Revista Digital de Tecnologias Cognitivas, São Paulo, n. 14, p. 42-62, 2016. Disponível em: https://www4.pucsp.br/pos/tidd/teccogs/artigos/2016/edicao_14/teccogs14_artigo01.pdf Acesso em: 05 dez. 2023.

GOMEZ, Vitoria Lopez. Madonna deixa regras para depois da morte: nada de hologramas ou IA. Olhar digital, 11 jul. 2023. Disponível em: https://olhardigital.com.br/2023/07/11/pro/madonna-deixa-regras-para-depois-da-morte-nada-de-hologramas-ou-ia/. Acesso em: 29 fev. 2024.

GREIFENEDER, Rainer; JAFFÉ, Mariela; NEWMAN, Eryn; SCHWARZ, Norbert. The Psychology of Fake News: Accepting, Sharing, and Correcting Misinformation. London: Taylor and Francis, 2021.

HUI, Yuk. Tecnodiversidade. São Paulo: Ubu, 2020.

HUHTAMO, Erkki; PARIKKA, Jussi. Media Archeology: Approaches, Applications, and Implications. Berkeley: University of California Press, 2011.

LAWTON, Laura. Taken by the Tamagotchi: How A Toy Changed the Perspective on Mobile Technology. The IJournal: Student Journal of the University of Toronto’s Faculty of Information, Toronto, v. 2, n. 2, p. 1-8, 2017.

LEME, Alvaro. Lu do Magalu: um estudo de caso sobre influência digital virtual, novas humanidades e marcas que viram pessoas. 2023. 193 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2023. Disponível em: https://repositorio.usp.br/item/003162641. Acesso em: 15 jan. 2024.

LEMOS, André. IA, Elis e nova Carta. Newsletter André Lemos. Salvador, 20 jul. 2023. Disponível em: https://andrelemos.substack.com/p/ia-elis-e-nova-carta. Acesso em: 29 fev. 2024

LISBOA, Alveni. O que é IA generativa?. Canaltech, 15 abr. 2023. Disponível em: https://canaltech.com.br/inteligencia-artificial/o-que-e-ia-generativa/. Acesso em: 10 out. 2023.

LIVINGSTONE, Sonia. Active Participation or just more information? Young people’s take up of opportunities to act and interact on the internet. Information, Communication & Society, Hoboken, v. 8, n. 3, p. 287-314, 2004.

MONTEIRO, R. O que é Roblox? Veja perguntas e respostas sobre a plataforma de games. Techtudo, 18 nov. 2020. Disponível em: https://www.techtudo.com.br/listas/2019/08/quem-criou-o-roblox-veja-curiosidades-sobre-a-plataforma-de-games.ghtml. Acesso em: 29 dez. 2023.

MOROZOV, Evgeny. Big Tech: a ascensão dos dados e a morte da política. São Paulo: Ubu, 2018.

NICHOLS, Philip; LEBLANC, Robert Jean. Media education and the limits of “literacy”: ecological orientations to performative platforms. Curriculum Inquiry, Hoboken, n. 51, v. 4, p. 389-412, 2021.

PARIKKA, Jussi. O que é arqueologia das mídias. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2022.

PEREIRA, Itamar. Metaverso: interação e comunicação em mundos virtuais. 2009. 109 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2009. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/4863. Acesso em: 15 jan. 2024.

RÜDIGER, Francisco. O passado pode nos ensinar a seu próprio respeito. Revista do Instituto Humanitas Unisinos, n. 375, 2011. Disponível em: https://www.ihuonline.unisinos.br/artigo/4106-francisco-rudiger-2. Acesso em: 15 jan. 2024.

RUSSELL, Stuart. Inteligência artificial a nosso favor: como manter o controle sobre a tecnologia. São Paulo: Companhia das Letras, 2021.

SANTAELLA, Lúcia. Culturas e artes do pós-humano: da cultura das mídias à cibercultura. São Paulo: Paulus, 2003.

SANTOS, Rita; AZEVEDO, José; PEDRO, Luís. Literacia(s) digital(ais): definições, perspectivas e desafios. Revista Media & Jornalismo, Lisboa, v. 15, n. 27, p. 17-44, 2015.

SCHMIDT, Eric; HUTTENLOCHER, Daniel; KISSINGER, Henry. A era da IA e nosso futuro como humanos. Rio de Janeiro: Alta Books, 2023.

SIMONDON, Gilbert. Do modo de existência dos objetos técnicos. Rio de Janeiro: Contraponto, 2020.

TELLES, Marcio. A(s) Arqueologia(s) das Mídias em Quatro Teses. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 40., Curitiba, 2017. Anais [...]. São Paulo, Intercom, 2017. Disponível em: https://portalintercom.org.br/anais/nacional2017/resumos/R12-0084-1.pdf. Acesso em: 05 dez. 2023.

TELLES, Marcio. Des/Re/Escrevendo a história dos meios de comunicação: quatro contribuições a partir das Arqueologias das mídias. Dispositiva, Pampulha, v. 7, n. 12, p. 101-116, 2018.

TELLES, Marcio. Arqueologia das Mídias como Pós-História das Mídias. Questões Transversais, São Leopoldo, v. 8, n. 16, p. 14-21, 2021. Disponível em: https://revistas.unisinos.br/index.php/questoes/article/view/19096. Acesso em: 12 dez. 2023.

VIRK, Rizwan. A hipótese da simulação: conheça a teoria por trás da série Matrix. Porto Alegre: Citadel, 2021.

WIENER, Norbet. Cibernética ou controle e comunicação no animal e na máquina. São Paulo: Perspectiva, 2017.

WOLTON. Dominique. É preciso salvar a comunicação. São Paulo: Paulus, 2006.

Downloads

Publicado

2024-05-27

Como Citar

LEME, Alvaro; SPINELLI, Egle. O novo sempre vem? Literacia generativa e inteligência artificial na campanha da Volkswagen com Elis. Organicom, São Paulo, Brasil, v. 21, n. 44, p. 97–108, 2024. DOI: 10.11606/issn.2238-2593.organicom.2024.221320. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/organicom/article/view/221320.. Acesso em: 25 jul. 2024.