Lugares públicos como potencialidades: uma leitura urbana do centro histórico de São Paulo

  • Lilian Dazzi Braga Rupf Universidade de São Paulo
  • Eugênio Fernandes Queiroga Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Lugar público. Sistema de espaços livre. Centros históricos.

Resumo

Este trabalho propõe um ensaio de leitura urbana a fim de apreender relações entre o espaço urbano produzido e as vivências cotidianas no Centro Histórico de São Paulo, através da observação empírica do presente como espessura que remete ao passado e futuro. Ao contrário de alguns discursos, não há uma redução de sua vida pública, o que há é uma mudança nesta, que adquire maior complexidade: novos usos e dinâmicas ocupam seus lugares públicos. Hoje a área central tem como herança um rico sistema de espaços livres que protagoniza grandes momentos da vida pública paulistana; estes, independentemente do perfil e da apropriação dos usuários, são fortemente utilizados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lilian Dazzi Braga Rupf, Universidade de São Paulo

Arquiteta e urbanista pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Mestranda em Paisagem e Ambiente pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP).

Eugênio Fernandes Queiroga, Universidade de São Paulo

Arquiteto e urbanista, mestre, doutor e livre-docente pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP). Professor associado da FAUUSP. 

Referências

CARDOSO, Ruth. Identidade e convivências: o centro como ponto de encontro. In: HUET, Bernard et al. Os centros das metrópoles: reflexões e propostas para a cidade democrática do século XXI. São Paulo: Terceiro Nome, 2001. p. 37-43.

FERRARA, Lucrécia D’Alessio. Os significados urbanos. São Paulo: Edusp/FAPESP, 2000. 185 p.

FRUGOLI JR., Heitor. Centralidade em São Paulo: trajetórias, conflitos e negociações na metrópole. São Paulo: Cortez/ Edusp/ FAPESP, 2000. 264 p.

MACEDO, Silvio Soares et al. Os sistemas de espaços livres na constituição da forma urbana contemporânea no Brasil: produção e apropriação. QUAPÁSEL II. Projeto temático de pesquisa coordenado pelo laboratório Quapá da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, 2012.

NAKANO, Kazuo; CAMPOS, Candido Malta; ROLNIK, Raquel. Dinâmica dos subespaços na área central de São Paulo. In: COMIN, Alvaro A.; SOMEKH, Nadia (Orgs.). Caminhos para o centro: estratégias de desenvolvimento para a região central de São Paulo. São Paulo: PMSP/Cebrap/CEM, 2004. p. 123-158.

QUEIROGA, Eugenio Fernandes. Dimensões públicas do espaço contemporâneo: resistências e transformações de territórios, paisagens e lugares urbanos brasileiros. 2012. 284 f. Tese (Livre-docência em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

REIS FILHO, Nestor Goulart. São Paulo: vila, cidade, metrópole. São Paulo: Prefeitura Municipal de São Paulo, 2004. 261 p.

RHEINGANTZ, Paulo. Narrativas ou traduções de urbanidades. In: NETTO, Vinicius M.; AGUIAR, Douglas A (Orgs.). Urbanidades. Rio de Janeiro: Folio Digital: Letra e Imagem, 2012. p. 135-161.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção (1996). São Paulo: Hucitec, 2012a. 392 p.

SANTOS, Milton. Espaço e método (1985). São Paulo: Edusp, 2012b. 120 p.

TOLEDO, Benedito Lima de. São Paulo: três cidades em um século (1981). São Paulo: Cosac Naify/Duas Cidades, 2007. 191 p.

VARGAS, Heliana C.; CASTILHO, Ana Luisa H (Orgs.). Intervenções em centros urbanos: objetivos, estratégias e resultados. Barueri: Manole, 2006. 289 p.

Publicado
2015-10-07
Como Citar
Rupf, L., & Queiroga, E. (2015). Lugares públicos como potencialidades: uma leitura urbana do centro histórico de São Paulo. Paisagem E Ambiente, (35), 139-159. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i35p139-159
Seção
Paisagem Urbana