Forma e paisagem urbana de Lisboa

  • Vitor Oliveira Centro de Investigação do Território, Transportes e Ambiente. Faculdade de Engenharia. Universidade do Porto. Porto,
Palavras-chave: Morfologia urbana. Forma urbana. Metodologia Morpho. Lisboa.

Resumo

Este artigo descreve a aplicação da metodologia Morpho na análise da forma e paisagem urbana de Lisboa. Para além de uma avaliação morfológica da capital portuguesa, centrada nos principais elementos de forma urbana (ruas, parcelas e edifícios), desenvolve-se neste artigo uma apreciação do Plano Diretor Municipal de Lisboa de 2012 e do Plano de Urbanização do Alto do Lumiar de 1998, tendo em consideração a coerência interna das suas propostas e o papel dos objetivos e a relevância das propostas do plano para a capital do país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vitor Oliveira, Centro de Investigação do Território, Transportes e Ambiente. Faculdade de Engenharia. Universidade do Porto. Porto,

Licenciado em Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto (FAUP). Mestre em Planejamento e Projeto do Ambiente Urbano pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) e pela FAUP. Doutor em Engenharia Civil pela FEUP. Professor auxiliar na Universidade Lusófona do Porto (ULP).

Referências

CATALDI, G.; MAFFEI, G. L.; VACCARO, P. Saverio Muratori and the Italian school of planning typology. Urban Morphology. ISUF, 6, 2002, p. 3-14.

DUANY, Andrés. Introduction to the special issue: the transect. Journal of Urban Design, Taylor and Francis, 7, 2002, p. 251-60.

HILLIER, Bill. Space is the machine. Cambridge: Cambridge University Press, 1996.

HILLIER, Bill. A theory of the city as object: or, how spatial laws mediate the social construction of space. Urban Design International, Springer, 7, 2002, p. 153-179.

HILLIER, Bill; HANSON, Julliene. The social logic of space. Cambridge: Cambridge University Press, 1984.

HOLANDA, Frederico de. Arquitetura e urbanidade. Brasília: FRBH Edições, 2011.

KROPF, Karl. Urban tissue and the character of towns. Urban Design International, 1, 1996, p. 247-63.

LEES, L. Planning urbanity? Environment and Planning B, Sage, 42, p. 2.302-2.308.

MARCUS, Lars. Spatial capital: a PROPOSAL for an extension of space syntax into a more general urban morphology. Journal of Space Syntax, Space Syntax, 1, 2010, p. 30-40.

STAHLE, A.; MARCUS, L.; KARLSTROM, A. Place syntax – geographic accessibility with axial lines in GIS’. Estocolmo: School of Architecture, Royal Institute of Technology, 2006. Unpublished paper.

WHITEHAND, Jeremy W. R. Conzenian urban morphology and urban landscapes. In: INTERNATIONAL SPACE SYNTAX SYMPOSIUM, 6, 2007, Istanbul, Proceedings, Istanbul, 2007. Disponível em: http://www.spacesyntaxistanbul.itu.edu.tr/.

Publicado
2016-12-19
Como Citar
Oliveira, V. (2016). Forma e paisagem urbana de Lisboa. Paisagem E Ambiente, (38), 13-32. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i38p13-32
Seção
Paisagem Urbana