Análise dos espaços de equilíbrio ambiental da região central de Vila Velha-ES

Palavras-chave: Espaço público, Vivência urbana, Áreas verdes, Espaços de equilíbrio ambiental

Resumo

A cidade de Vila Velha passou por um processo de urbanização acelerado que, juntamente com a falta de planejamento urbano e a valorização imobiliária, substituiu ambientes naturais por espaços construídos que não favorecem a saúde e a qualidade de vida da população. Nesse contexto, este artigo objetiva analisar os espaços verdes, considerados neste trabalho como “espaços de equilíbrio ambiental” da Regional Grande Centro do município. A metodologia baseou-se no mapeamento das áreas, considerando Mendonça (2015), com auxílio do programa ArcGIS e tendo como referência o plano diretor, imagem de satélite e visitas locais. A análise constatou que os espaços de equilíbrio ambiental não são bem distribuídos, ficando concentrados nas Áreas de Preservação Permanente. Destaca-se ainda a importância dos espaços potenciais que podem ser utilizados para suprir a carência dessas áreas. Espera-se, assim, contribuir para novas pesquisas e futuras intervenções nos espaços livres da cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUIAR, Douglas; NETTO, Vinicius M (org). Urbanidades. Rio de Janeiro: Folio Digital: Letra e Imagens, 2012.

ANDRADE, Victor. LINKE, Clarisse Cunha. Cidades de pedestres: A caminhabilidade no Brasil e no mundo. Rio de Janeiro: Babilônia Cultural Editorial, 2017.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Conselho Nacional do Meio ambiente, CONAMA. Resolução CONAMA nº 369, de 28 de março de 2006. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=489> Acesso em 23 julho 2018.

GEHL, Jan. Cidades para pessoas. São Paulo, SP: Perspectiva, 2015.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico 2010. Características da população e dos domicílios: resultados do universo. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.

LAMAS, J. M. R. G. Morfologia urbana e desenho da cidade. Fundação Calouste Gulbenkian, 1993.

Lei l nº 4707/2008. Institucionalização dos bairros nas Regiões Administrativas. ES, 2008.

Lei nº 4.575/2007. Plano Diretor Municipal de Vila Velha. ES, 2007.

LIMA, Ana Maria Liner Pereira. CAVALHEIRO, Felisberto. NUCCI, João Carlos. SOUZA, Maria Alice de Lourdes Bueno. FIALHO, Nilva de Oliveira. PICCHIA, Paulo Celso Dornelles Del. Problemas de utilização na conceituação de termos como espaços livres, áreas verdes e correlatos. Disponível em < http://www.labs.ufpr.br/site/wp-content/uploads/2014/07/lima_anaisdecongressos_cbau_1994.pdf > Acesso em 14 março 2016.

LIMA, Valéria. AMORIM, Margarete Cristiane de Costa Trindade. A importância das áreas verdes para a qualidade ambiental das cidades. Disponível em

< http://revista.fct.unesp.br/index.php/formacao/article/viewFile/835/849> Acesso em 16.02.2016.

MASCARÓ, Juan José. A Infraestrutura Verde Como Estratégia de Sustentabilidade Urbana. Disponível em < http://www.infohab.org.br/entac2014/2012/docs/1032.pdf>

Acessado em 06.04.2018.

MASCARÓ, Juan Luis (org.). Infra-estrutura da Paisagem. Porto Alegre: Masquatro editora, 2008.

MASCARÓ, Juan Luis; MASCARÓ, Lucia. Vegetação Urbana. Porto Alegre: Masquatro Editora, 2010.

MENDONÇA, E. M. S. A importância metropolitana do sistema de espaços livres da região de Vitória – ES – Brasil. In EURO ELECS 2015, Guimarães, Portugal. In Anais EURO ELECS 2015, Guimarães, Portugal, Vol. III, 2015.

NETTO, Vinicius M; SABOYA, Renato T. de; VARGAS, Júlio Celso; CARVALHO, Thereza (org.). Efeitos da arquitetura: os impactos da urbanização contemporânea no Brasil. Brasília: FRBH, 2017.

NUCCI, João Carlos. KRÖKER, Rudolf. SCHMIDT, Edgar. FILHO, Alexandre Theobaldo Buccheri Filho. Disponível em < http://www.labs.ufpr.br/site/wp-content/uploads/2014/07/nucci_anaisdecongressos_icepm_2005.pdf> Acessado em 04 abril 2016.

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS. Metas de Sustentabilidade para os Municípios Brasileiros (Indicadores e Referências). Rede Nossa São Paulo. Rede Social Brasileira por Cidades Justas e Sustentáveis. Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social. 2012.

SÃO PAULO. Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente. Manual Técnico de Arborização Urbana. 3. Ed. São Paulo: Gráfica Ibraphel, 2015.

SHULTZ, Sonia. Estéticas urbanas: da pólis grega à metrópole contemporânea. Rio de Janeiro: LTC, 2008.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE ARBORIZAÇÃO URBANA – SBAU. Carta de Londrina e Ibiporã. Boletim Informativo, v.3, n.5, p.3, 1996.

SPECK, Jeff. Cidade caminhável. Tradução Anita Dimarco, Anita Natividade. – I reimpr. da I. ed; - São Paulo: Perspectiva, 2017.

Publicado
2019-04-11
Como Citar
Ramos, L. L., Palhano, P., & Ramos, S. (2019). Análise dos espaços de equilíbrio ambiental da região central de Vila Velha-ES. Paisagem E Ambiente, 30(43), e148365. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.paam.2019.148365
Seção
Espaços Livres