Parque Dom Pedro II: uma antítese do espaço livre público em meio à metrópole paulistana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.paam.2019.154434

Palavras-chave:

Espaços livres, Planejamento urbano, Parque Dom Pedro II, São Paulo

Resumo

Este artigo apresenta uma discussão referente aos espaços livres, conceituando-os brevemente e abordando questões concernentes a suas transformações morfológicas ao longo dos anos. Elementos fundamentais na organização da forma urbana e lócus da vida cotidiana nas cidades, os espaços livres não são tidos como prioritários, seja por agentes públicos ou privados. Adota-se como estudo de caso o Parque Dom Pedro II, espaço livre público que sempre esteve presente nas discussões referentes ao planejamento urbano paulistano. Por meio de revisão bibliográfica buscou-se analisar as principais intervenções que incidiram sobre esse espaço desde as primeiras melhorias na região anteriormente conhecida como Várzea do Carmo, passando pela implantação do Parque Dom Pedro II e seu desmonte como espaço livre destinado ao lazer e à recreação em prol do discurso da modernidade urbana. A discussão demonstra a desarticulação existente entre as políticas públicas brasileiras e a fragilidade dos espaços livres públicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ciro Cesar Vidotte, Universidade Anhanguera (Unian)

Graduação em Arquitetura e Urbanismo

Referências

ALVARES, Lúcia Capanema; VAINER, Carlos B.; QUEIROGA, E. F. Conflitos urbanos e espaços livres públicos. In: Tângari, Vera Regina; Andrade, Rubens; Schlee, Monica Bahia. (org.). Sistema de espaços livres: o cotidiano, apropriações e ausências. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2009. v. 1, p. 124-139.

AZEREDO Laura, CACCIA Lara. Espaços públicos: 10 princípios para conectar as pessoas e a rua. WRI Brasil, São Paulo, 2017. Disponível em: <http://thecityfixbrasil.com/2017/06/07/espacos-publicos-10-principios-para-conectar-as-pessoas-e-a-rua/> Acesso em: 26 jul. 2018.

BARTALINI, Vladimir. Parques públicos municipais de São Paulo: a ação da municipalidade no provimento de áreas verdes de recreação. 1999. 324 f. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.

CAMPOS, Candido M. Os rumos da cidade. São Paulo: Senac, 2002.

CHOAY, Françoise. O urbanismo: utopias e realidades uma antologia. 5. ed. Tradução Dafne Nascimento Rodrigues. São Paulo: Perspectiva, 2002.

DOURADO, Guilherme Mazza. Belle époque dos jardins. São Paulo: Senac, 2011.

GOMES, Paulo César da Costa. A condição urbana: ensaios de geopolítica da cidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

KLIASS, Rosa G. Parques urbanos de São Paulo. São Paulo: Pini, 1993.

LEFÈVRE, José Eduardo de Assis. O transporte coletivo como agente transformador da estruturação do centro da cidade de São Paulo. 1986. 157 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1986.

LEME, Maria Cristina da Silva. Planejamento em São Paulo: 1930-1969. 1982. 156 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1982.

LUCCHESE, Maria Cecilia. João Florence de Ulhôa Cintra: influências, amizades e profissão. Risco Revista de Pesquisa em Arquitetura e Urbanismo (Online), São Paulo, v. 14, n. 1, p. 99-105, 25 jun. 2016.

MACEDO, Silvio Soares. Paisagismo brasileiro na virada do século 1990-2010. São Paulo: Edusp, 2012.

MACEDO, Silvio Soares et al. Os sistemas de espaços livres na constituição da forma urbana contemporânea no Brasil: produção e apropriação (QUAPÁSEL II). Paisagem e Ambiente, São Paulo, n 30, p. 137-172, 2012. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/paam/article/view/78112>. Acesso em: 26 abr. 2018.

MAGALHÃES, Felipe Nunes Coelho. Produção do espaço na cidade do neoliberalismo e novas aberturas no espaço digital. In: COSTA, Geraldo Magela; COSTA, Heloisa Soares de Moura; MONTE-MÓR, Roberto Luís de Melo. Teorias e práticas urbanas: condições para a sociedade urbana. Belo Horizonte: C/Arte, 2015. p. 145-146.

MAGNOLI, Miranda Martinelli. O parque no desenho urbano. Paisagem e ambiente, São Paulo, n. 21, p. 199-213, 2006.

MENDONÇA, Eneida Maria Souza. Apropriações do espaço público: alguns conceitos. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, v. 7, n. 2, p. 296-306, ago. 2007.

MEYER, Regina; GROSTEIN, Marta Dora. A leste do centro: territórios do urbanismo. São Paulo: Imprensa Oficial, 2010.

NAVARRO, Maria Rosana. A história de um parque que pede socorro!!! São Paulo: Clube de Autores, 2011.

QUEIROGA, Eugênio. Da relevância pública dos espaços livres: um estudo sobre metrópoles e capitais brasileiras. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, São Paulo, n. 58, p. 105- 132, 2014.

REBOLLO, Tomás André. Urbanismo e mobilidade na metrópole paulistana. Estudo de caso: o Parque Dom Pedro II. 2012. 280 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

RIBEIRO, Vanessa Costa. Várzea do Carmo a Parque Dom Pedro II: de atributo natural a artefato. Décadas de 1890 a 1950. 2012. 340 f. Dissertação (Mestrado em História Social) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

SOMEKH, Nadia; CAMPOS, Candido. (org.). A cidade que não pode parar: planos urbanísticos para São Paulo no século XX. São Paulo: Editora Mackenzie, 2002.

TOLEDO, Benedito Lima de. Prestes Maia e as origens do urbanismo moderno em São Paulo. São Paulo: Empresa das Artes, 1996.

VILLAÇA, Flávio. Uma contribuição para a história do planejamento urbano no Brasil. In: DÉAK, Csaba; SCHIFFER, Sueli Ramos. (org.). O processo de urbanização no Brasil. São Paulo: Edusp, 2004. p. 170-243.

Publicado

2019-11-27

Como Citar

Vidotte, C. C. (2019). Parque Dom Pedro II: uma antítese do espaço livre público em meio à metrópole paulistana. Paisagem E Ambiente, 30(44), 154434. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.paam.2019.154434

Edição

Seção

História