Apropriação dos espaços livres em áreas residenciais populares: uso, ocupação e invasão

Autores

  • Bruna Maria de Medeiros Benvenga

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i22p153-163

Palavras-chave:

Conjuntos habitacionais. Espaços livres e paisagem.

Resumo

A padronização do desenho urbanístico encontrado nos conjuntos habitacionais de interesse social produzidos a partir da década de 1960 na Região Metropolitana de São Paulo, e a sua clara diferenciação com os desenhos tradicionais do resto da cidade distanciaram seus usuários da compreensão do espaço urbano, tornando-o ilegível e  esfamiliarizado. Instalou-se, então, um movimento de reação às deficiências encontradas no projetos implantados. A população se apropria do espaço público, modificando-o para que se adapte às suas necessidades. Todo o esforço, encontrado na concepção do projeto, para criar áreas livres de dimensões amplas não categorizadas funcionalmente, é negado pela população que as fragmentam e redefinem os limites entre espaço público e privado, justamente pela sua não caracterização projetual e funcional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Maria de Medeiros Benvenga

Pesquisadora do Projeto Quapá, FAUUSP.

Downloads

Publicado

2006-12-04

Como Citar

Benvenga, B. M. de M. (2006). Apropriação dos espaços livres em áreas residenciais populares: uso, ocupação e invasão. Paisagem E Ambiente, (22), 153-163. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i22p153-163

Edição

Seção

ENEPEA