De Vitrúvio a Alberti: pensadores do urbano sob a ótica ambiental

Autores

  • Adriana Carla de Azevedo Borba Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i22p180-186

Palavras-chave:

Meio ambiente. Urbanismo. História.

Resumo

Desde o Império Romano até os dias de hoje, a cidade tem sido objeto de estudo e análise para incontáveis intelectuais. Paralelo ao estudo das cidades, alguns pensadores abordaram também reflexões acerca do meio ambiente – ou a possíveis implicações da cidade no mesmo – num processo de compilação e aprimoramento de idéias, as quais atravessaram séculos e contribuíram para o nosso atual arcabouço teórico-metodológico sobre o tema. Apesar de o pensamento ambiental não ter sido tão destacado e considerado em tempos passados (salvo
exceção das últimas décadas do século XX e início do XXI), isto não significa que tenha havido um completo abandono da temática. Partindo destas considerações, o presente trabalho traz à tona (a partir de pesquisa bibliográfica) as principais reflexões dos intelectuais Marco Polião Vitrúvio (40 d.C.) e Leon Battist Alberti (1404-1472), destacando de suas obras as principais idéias que trazem repercussões ambientais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Carla de Azevedo Borba, Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Especialista em design estratégico; mestranda do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura (PPGau), UFRN – Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Downloads

Publicado

2006-12-04

Como Citar

Borba, A. C. de A. (2006). De Vitrúvio a Alberti: pensadores do urbano sob a ótica ambiental. Paisagem E Ambiente, (22), 180-186. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i22p180-186

Edição

Seção

ENEPEA