Metamorfoses do espaço público: a relação entre território e política na história da praça de Casa Forte

Autores

  • Ester Costa Universidade Federal de Pernambuco
  • Danuza Gusmão Universidade Federal de Pernambuco
  • Fátima Maria Mafra Universidade Federal de Pernambuco
  • Maria Phyllis Mocock Universidade Federal de Pernambuco
  • Ana Rita Carneiro Universidade Federal de Pernambuco. Departamento de Arquitetura e Urbanismo
  • Vera Melo Universidade Federal de Pernambuco.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i22p246-256

Palavras-chave:

Território. Política e espaço público.

Resumo

O objetivo deste estudo é uma reflexão sobre algumas transformações morfológicas, metamorfoses que ocorreram no espaço público Praça de Casa Forte. Baseando-se na concepção da Geografia de que a cidade é resultado da relação dialética entre organização política e dinâmica territorial (Gomes , 2002), busca-se investigar como essa relação acontece no espaço público. Inicialmente se faz algumas considerações sobre as noções de território, de política e de cidade, e em seguida se procede ao seu rebatimento no espaço público objeto deste estudo. Para compreender o conteúdo da morfologia da Praça, ou seja, em que pesa as práticas cotidianas e ao mesmo tempo perceber qualidades de um espaço projetado pelo paisagista Roberto Burle Marx, dirigiu-se à observação para três momentos significantes de sua história: a Campina da Casa Forte no século XVI; o Jardim de Casa Forte em 1935 e a Praça de Casa Forte nos dias atuais. A Praça, por ter sido objeto de criação de um artista, incorpora dimensões atuantes no processo de formação deste espaço, histórica, artística, simbólica e cultural. Estas dimensões diferenciam a Praça de Casa Forte dos demais espaços públicos, conferindo a ela características de um bem patrimonial. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ester Costa, Universidade Federal de Pernambuco

Arquiteta e urbanista, mestranda do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano da UFPE.

Danuza Gusmão, Universidade Federal de Pernambuco

Arquiteta e urbanista, aluna do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano da UFPE.

Fátima Maria Mafra, Universidade Federal de Pernambuco

Arquiteta e urbanista, mestranda do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento
Urbano da UFPE.

Maria Phyllis Mocock, Universidade Federal de Pernambuco

Arquiteta e urbanista, aluna do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano da UFPE.

Ana Rita Carneiro, Universidade Federal de Pernambuco. Departamento de Arquitetura e Urbanismo

Arquiteta, urbanista, Profa. Dra. do Departamento de Arquitetura e Urbanismo e do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano e coordenadora do Laboratório da Paisagem – UFPE, membro do CECI/UFPE, e PhD pela Oxford Brookes University. 

Vera Melo, Universidade Federal de Pernambuco.

Arquiteta, urbanista, Profa. Dra. do Departamento de Arquitetura e Urbanismo e do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano da UFPE, doutora pela UFRJ. 

Downloads

Publicado

2006-12-04

Como Citar

Costa, E., Gusmão, D., Mafra, F. M., Mocock, M. P., Carneiro, A. R., & Melo, V. (2006). Metamorfoses do espaço público: a relação entre território e política na história da praça de Casa Forte. Paisagem E Ambiente, (22), 246-256. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i22p246-256

Edição

Seção

ENEPEA