Arborização urbana e qualificação da paisagem

Autores

  • Jussara Maria Basso Universidade para o Desenvolvimento da Região do Pantanal
  • Rodrigo Studart Corrêa Universidade de Melbourne

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i34p129-148

Palavras-chave:

Arborização urbana. Qualidade ambiental. Qualificação da paisagem urbana.

Resumo

Este trabalho quantificou o papel de diferentes espécies arbóreas na amenização do microclima na área central de Campo Grande (MS) por meio da avaliação da contribuição da arborização urbana sobre o conforto térmico do espaço público da cidade. A cidade de Campo Grande apresenta clima tropical com estação seca, característico do Cerrado brasileiro. Apontar espécies arbóreas capazes de qualificar a paisagem e amenizar o microclima urbano torna-se importante. Neste trabalho buscou-se avaliar a melhoria da sensação de conforto térmico alcançada com a amenização da radiação solar caracterizada pelas diferenças apresentadas nas temperaturas superficiais de ruas e calçadas sob influência de árvores adultas das espécies mais utilizadas na arborização da área central da cidade. Para tanto foram feitas medições com um termômetro sob a sombra e o entorno próximo de doze espécies existentes nas calçadas. Os resultados indicaram a dimensão, em relação ao conforto térmico, que uma espécie apresenta perante outras e possibilitaram uma projeção da amenização do calor no recinto urbano, o que pode contribuir na tomada de decisões de planejamento e desenho paisagístico da cidade. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jussara Maria Basso, Universidade para o Desenvolvimento da Região do Pantanal

Arquiteta e Urbanista pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Especialista em Reabilitação Ambiental Sustentável Arquitetônica e Urbanística pela Universidade de Brasília (UnB). Mestre em Planejamento Urbano e Regional pelo Programa de Pós-Graduação em Planejamento Urbano e Regional da UFRGS. Professora do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade para o Desenvolvimento da Região do Pantanal (UNIDERP) de 2003 a 2012. 

Rodrigo Studart Corrêa, Universidade de Melbourne

Engenheiro Ambiental pelo Instituto de Engenheiros da Austrália e Engenheiro Agrônomo pela Universidade de Brasília (UnB). Especialista em Degradação de Solos e Desertificação pela Universidade Tecnológica de Dresden (Alemanha). M.Sc. em Ecologia pela UnB. Ph.D. em Solos
e Nutrição de Plantas pela Universidade de Melbourne (Austrália). Trabalha há duas décadas com revegetação como forma de Recuperação, Requalificação e Restauração de Ambientes e Ecossistemas. 

Referências

AIT-AMEUR, Karima. Validation of a thermal comfort index for public outspaces. In: ENCONTRO NACIONAL DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO (ENCAC), 5 e ENCONTRO LATINO-AMERICANO DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO (ELACAC), 2 Fortaleza, Ceará. Anais do ENCAC, 1999.

AMORIM, Cláudia Naves David; BRAGA, Darja Kos. Métodos e técnicas para conforto ambiental e reabilitação do espaço construído. In: Reabilita: reabilitação ambiental sustentável arquitetônica e urbanística. Texto didático. Brasília: FAUUnB, 2009, p. 618-683.

BARBIRATO, Gianna Melo; TORRES, Simone Carnaúba; SOUZA, Lea Cristina Lucas de. Clima urbano e eficiência energética nas edificações. Programa Nacional de Eficiência Energética em Edificações – PROCEL EDIFICA. Rio de Janeiro, ago. 2011. Disponível em: http://www.procelinfo.com.br/main.asp. Acesso em: 12 mar. 2012.

BUENO, Carolina L. Bartolomei; LABAKI, Lucila C.; SANTOS, Rozely F. dos. Estudo da atenuação da radiação solar incidente por diferentes espécies arbóreas. In: ENCONTRO NACIONAL, 5 / ENCONTRO LATINOAMERICANO DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 2, 1999, Fortaleza. Anais do V Associação Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído (ENCAC). Fortaleza: ANTAC, 1999.

BUENO, Carolina L. Bartolomei; LABAKI, Lucila C; VIANNA, Priscila Z. Comportamento de diferentes espécies arbóreas quanto à atenuação da radiação solar. In: ENCONTRO NACIONAL DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 6 / ENCONTRO LATINO-AMERICANO DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 3, 2001. São Pedro, SP. Anais do VI ENCAC, 2001.

ROMERO, Marta Adriana Bustos. A arquitetura bioclimática do espaço público. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2001. 225 p.

ROMERO, Marta Adriana Bustos; Arquitetura do lugar: uma visão bioclimática da sustentabilidade em Brasília. São Paulo: Nova Técnica Editorial, 2011. 163 p.

CAMPOS, Ana Cecília de Arruda et al. Análise do sistema de espaços livres da cidade brasileira – uma metodologia em construção: estudo de caso para o município de São Paulo. Paisagem e Ambiente: ensaios, n. 26, São Paulo: FAUUSP, 2009, p. 197-210.

CORMIER, Nathaniel S.; PELLEGRINO, Paulo Renato Mesquita. Infraestrutura verde: uma estratégia paisagística para a água urbana. Paisagem e Ambiente: ensaios. FAUUSP, São Paulo, n. 25, 2008, p. 127-142.

CORBELLA, Oscar; YANNAS, Simos. Em busca de uma arquitetura sustentável para os trópicos. Rio de Janeiro: Revan, 2003. 287 p.

EBNER, Iris de Almeida Rezende. A cidade e seus vazios: investigação e proposta para os vazios de Campo Grande. Campo Grande: UFMS, 1999. 212 p.

MASCARÓ, Lucia; MASCARÓ, Juan L. Vegetação urbana. Porto Alegre: Mais Quatro Editora, 2002. 204 p.

PEREIRA, Iraci Miranda; ASSIS, Eleonora Sad de. Avaliação de modelos de índices adaptativos para uso no projeto arquitetônico bioclimático. Ambiente Construído, Porto Alegre: Associação Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído (ANTAC); UFRGS, 2010. Disponível em: seer.ufrgs.br/índex.php/ambientecosntruido/article/view/6319/7490. Acesso em: 12 mar. 2012.

PREFEITURA DE CAMPO GRANDE. Plano Diretor de Arborização Urbana de Campo Grande (PDAU), 2010. Disponível em: www.capital.ms.gov.br/egov/downloadFile.ph. Acesso em: 20 jan. 2012.

Downloads

Publicado

2014-12-07

Como Citar

Basso, J. M., & Corrêa, R. S. (2014). Arborização urbana e qualificação da paisagem. Paisagem E Ambiente, (34), 129-148. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i34p129-148

Edição

Seção

Ambiente