Espaços livres e morfologia urbana: discussões sobre influências na qualidade climática e sustentabilidade urbana a partir de estudos em cidades no estado de Alagoas – Brasil

  • Gianna Melo Barbirato Universidade Federal de Alagoas. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Maceió (AL)
  • Simone Carnaúba Torres Universidade Federal de Alagoas. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Maceió (AL)
  • Ricardo Victor Rodrigues Barbosa Universidade Federal de Alagoas. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Maceió (AL)
Palavras-chave: Espaços livres. Morfologia urbana. Qualidade climática urbana. Sustentabilidade urbana.

Resumo

O presente artigo traz reflexões sobre morfologia urbana, espaços livres e sua relação com a adequação climática e a sustentabilidade urbana, a partir da análise de mapas climáticos e cenários urbanos com o auxílio de simulações computacionais realizadas nas cidades de Maceió e Arapiraca, no Estado de Alagoas. Esses estudos revelam que os padrões de ocupação urbana determinados pelos atuais instrumentos de legislação urbanística não são capazes de potencializar o aproveitamento de condicionantes ambientais no meio urbano. Este artigo destaca, também, a necessidade de revisão e refinamento destes para o alcance da adequação ambiental de espaços, enfatizando a possibilidade do estímulo ao adensamento construtivo fundamentado na capacidade de carga do sistema urbano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gianna Melo Barbirato, Universidade Federal de Alagoas. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Maceió (AL)

Arquiteta e urbanista pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Mestre e doutora pela Escola de Engenharia de São Carlos (EESC-USP). Professora associada da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Alagoas (UFAL). Campus A. C. Simões, avenida Lourival Melo Mota, s/n, Tabuleiro dos Martins, 5707-900, Maceió, AL.

Simone Carnaúba Torres, Universidade Federal de Alagoas. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Maceió (AL)

Arquiteta, urbanista e mestre pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Programa Dinâmicas do Espaço Habitado (DEHA). Doutoranda em Desenvolvimento Urbano na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Professora no Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Alagoas. Campus Arapiraca, avenida Manoel Severino Barbosa, Bom Sucesso, 57309-005, Arapiraca, AL. 

Ricardo Victor Rodrigues Barbosa, Universidade Federal de Alagoas. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Maceió (AL)
Arquiteto e urbanista pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Mestre e doutor pela Escola de Engenharia de São Carlos (EESC-USP). Professor adjunto no Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Alagoas. Campus Arapiraca, avenida Manoel Severino Barbosa, Bom Sucesso, 57309-005, Arapiraca, AL.

Referências

ACSELRAD, Henri (Org). A duração das cidades: sustentabilidade e risco nas políticas urbanas. Coleção espaços do desenvolvimento. Rio de Janeiro, Editora Lamparina, 2009

BRASIL. Lei nº 6.766, de 19 de dezembro de 1979. Dispõe sobre o Parcelamento do Solo Urbano e dá outras providências. Brasília: D.O.U., 20/12/1979.

BRUSE, M. ENVI-Met® model homepage. (2007) Disponível em < http://www.ENVI-Met®.com >. Acesso em: 30 ago. 2013.

CRUZ, M. da S.; BARBIRATO, G.M. Aplicação de ferramentas da climatologia urbana como subsídio às diretrizes do Plano Diretor: exemplo de aplicação em cidade do Nordeste do Brasil. In: 6º Congresso Luso Brasileiro para o Planejamento Urbano, Regional, Integrado e Sustentável. Anais PLURIS 2014. Lisboa, 2014.

FREITAS, R. Entre Mitos e Limites: as possibilidades de adensamento construtivo face à qualidade de vida no ambiente urbano. Ed. Universitária UFPE, 2009. 270p.

HIGUERAS, Ester. Urbanismo bioclimático. Barcelona: GG, 2006.

KATZSCHNER, Lutz. Urban climate studies as tools for urban planning and architecture. In: ENCONTRO NACIONAL DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO: Anais... Salvador: FAUFBA/LACAM; ANTAC, 1997, 49-58

MACEIÓ, Lei Municipal Nº 5.593, de 08 de Fevereiro de 2007. Institui o Código de Urbanismo e Edificações do Município de Maceió. Disponível em < http://www.maceio.al.gov.br > acesso em abril de 2013.

MACEIÓ, Lei n°. 5528 de dezembro de 2005. Institui o Plano Diretor de Maceió, estabelece diretrizes gerais de política de desenvolvimento urbano e dá outras providências. 2005. Disponível em: < http://www.maceio.al.gov.br > Ultimo acesso em 12 de março de 2014.

MELO, Juliana Duarte de. Caracterização climática da cidade de Maceió como subsídio a decisões de planejamento. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo: Dinâmica do Espaço Habitado) – Universidade Federal de Alagoas. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Maceió, 2009.

SILVA, Geovany Jessé Alexandre da; ROMERO, Marta Adriana Bustos. O urbanismo sustentável no Brasil. A revisão de conceitos urbanos para o século XXI (parte 01). Arquitextos, São Paulo, 11.128, Vitruvius, jan 2011.

TORRES, S.C; FREITAS, R.; BARBIRATO, G.M. Adensamento construtivo e qualidade climática urbana: análises de tipologias espaciais urbanas em clima quente e seco do nordeste brasileiro. In: 6º Congresso Luso Brasileiro para o Planejamento Urbano, Regional, Integrado e Sustentável. Anais PLURIS 2014. Lisboa, 2014.

Publicado
2015-12-08
Como Citar
Barbirato, G., Torres, S., & Barbosa, R. V. (2015). Espaços livres e morfologia urbana: discussões sobre influências na qualidade climática e sustentabilidade urbana a partir de estudos em cidades no estado de Alagoas – Brasil. Paisagem E Ambiente, (36), 49-68. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i36p49-68
Seção
Ambiente