Empreendimentos e ações públicas e privadas em Maceió/AL no início do milênio

  • Verônica Robalinho Cavalcanti Universidade Federal de Alagoas. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Maceió (AL)
  • Geraldo Majela Gaudêncio Faria Universidade Federal de Alagoas. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Maceió (AL)
  • Viviane Regina Costa Universidade Federal de Alagoas. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Maceió (AL)
  • Luiz Gustavo Oliveira da Silva Universidade Federal de Alagoas. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Maceió (AL)
  • Luan Rubens Dias de Moura Universidade Federal de Alagoas. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Maceió (AL)
Palavras-chave: Espaços Livres. Forma urbana. Morfologia urbana. Maceió (AL)

Resumo

As intervenções públicas e privadas na cidade de Maceió (AL) revelam o modo como o espaço da cidade tem sido produzido, os impactos gerados na conformação urbana e as tendências geradas para a expansão ou consolidação da forma urbana. As ações do poder público têm, sobretudo, focalizado a mobilidade urbana com a abertura ou reforma de vias estruturantes na cidade, consolidando a hegemonia do transporte individual privado sobre o transporte público de massa. Por sua vez, as ações do capital privado dirigem suas atenções para os espaços livres e vazios da cidade que apresentam maior potencial de retorno financeiro, procurando, primeiro, incorporar novas áreas de expansão imobiliária com a abertura de novas vias e, depois, ofertar produtos destinados, em geral, à população de poder aquisitivo mais elevado. Uma terceira frente são as ações consorciadas entre agentes públicos e privados no âmbito de programas nacionais de habitação popular. Essas têm resultado na construção de grandes empreendimentos localizados na periferia urbana distante e mesmo em terras ainda de uso rural, cabendo ao Estado o ônus da ampliação e qualificação de infraestrutura e serviços. A análise do conjunto das ações públicas e privadas sobre o espaço da cidade permitiu constatar forte protagonismo do setor imobiliário nos processos de gestão e desenho da cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Verônica Robalinho Cavalcanti, Universidade Federal de Alagoas. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Maceió (AL)
Arquiteta pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Mestre em Planejamento Urbano e Regional pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Doutora em Ciências Sociais, Sociologia, pela Université Paris I, Panthéon-Sorbonne. Professora doutora na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Alagoas (FAU/UFAL). Vice-líder do Núcleo de Estudos de Morfologia dos Espaços Públicos (MEP).  Rua Elias Ramos de Araújo, 28, 57.038-280, Cruz das Almas, Maceió, AL, Brasil.
Geraldo Majela Gaudêncio Faria, Universidade Federal de Alagoas. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Maceió (AL)
Arquiteto pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Mestre em Planejamento Urbano e Regional pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Doutor em Ciências Sociais, Sociologia, pela Université Paris I, Panthéon-Sorbonne. Professor doutor na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Alagoas (FAU/UFAL). Líder do Núcleo de Estudos de Morfologia dos Espaços Públicos (MEP). Rua Elias Ramos de Araújo, 28, 57.038-280, Cruz das Almas, Maceió, AL, Brasil
Viviane Regina Costa, Universidade Federal de Alagoas. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Maceió (AL)
Arquiteta, mestre em Arquitetura e Urbanismo, Dinâmicas do Espaço Habitado, doutoranda em Arquitetura e Urbanismo, Cidades, pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e professora mestre no Eixo de Tecnologia do Campus do Sertão da UFAL. Rua Átila Brandão, 37, 57046-367, condomínio Maíra, bloco 2, apart. 102, Serraria, Maceió, AL, Brasil.
Luiz Gustavo Oliveira da Silva, Universidade Federal de Alagoas. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Maceió (AL)

Graduando em Arquitetura e Urbanismo na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de alagoas (FAU/UFAL). Travessa São Carlos, 47, 57046-431, Serraria, Maceió, AL, Brasil

Luan Rubens Dias de Moura, Universidade Federal de Alagoas. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Maceió (AL)

Graduando em Arquitetura e Urbanismo na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Alagoas (FAU/UFAL). Bolsista de Iniciação Científica do Núcleo de Estudos Morfologia dos Espaços Públicos (MEP). Conjunto José Tenório, bloco 40, apart. 203, Serraria, 57046-350, Maceió AL, Brasil.

 

 

Referências

BRASIL. Ministério dos Transportes. Estudo de transportes urbanos de Maceió. Realizado pelo Grupo de Estudos para a Integração da Política de Transportes da Empresa Brasileira de Planejamento de Transportes (GEIPOT/EBTU), 1982.

BRASIL. Ministério das Cidades. Secretaria Nacional de Habitação, 2013. Base de dados PMCMV – CHAMADA MCTI/CNPq/MCIDADES nº 11/2012. 2013. Fonte: SNH/ DHAB/ DUAP/ CAIXA/ IBGE.

BRASIL. Ministério das Cidades. Programa Minha Casa Minha Vida. Disponível em: http://www.cidades.gov.br/habitacao-cidades/programa-minha-casa-minha-vida-pmcmv/67-snh-secretaria-nacional/programas-e-acoes/1298-legislacao-geral-pmcmv. Acesso em: 25 set. 2014.

CAVALCANTI, Verônica Robalinho. La production de l’espace à Maceió (1800-1930). 1998. 430 p. Tese (Doutorado em Ciências Sociais, Sociologia) –Institut d’étude du développement économique et social – Université de Paris I, Panthéon-Sorbonne, 1998, Paris.

FARIA, Geraldo; COSTA, Viviane. Conjunto Habitacional Popular, tecido urbano e esfera pública – Maceió, Alagoas, Brasil: 1950-2000. Paisagem e Ambiente, São Paulo: FAUUSP, n. 33, 2014, p. 181-204.

INSTITUTO BRASIELIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo Demográfico 2010. Disponível em: http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=270430. Acesso em: 25 set. 2014.

LIMA, Ivan Fernandes. Maceió, a cidade restinga: contribuição ao estudo morfológico do litoral alagoano. Maceió: EDUFAL, 1990. 255 p.

MACEIÓ. Lei Municipal nº 5.486 de 30 de dezembro de 2005. Institui o Plano Diretor do Município de Maceió/AL. Disponível em: http://www.maceio.al.gov.br/sempla/plano-diretor/ Maceió, 88 p., 2005.

LIMA, Ivan Fernandes. Lei Municipal nº 5.593, de 08 de fevereiro de 2007. Institui o Código de Urbanismo e Edificações do Município de Maceió/AL. Publicado no Diário Oficial do Município de Maceió de 09 de fevereiro de 2007. Disponível em: http://www.maceio.al.gov.br/sempla/plano-diretor/ Maceió, 168 p., 2007.

MACEIÓ. Lei Municipal nº 5.486 de 30 de dezembro de 2005. Institui o Plano Diretor do Município de Maceió/AL. Disponível em: http://www.maceio.al.gov.br/sempla/plano-diretor/ Maceió, 88 p., 2005.

MACEIÓ. Lei Municipal nº 5.593, de 08 de fevereiro de 2007. Institui o Código de Urbanismo e Edificações do Município de Maceió/AL. Publicado no Diário Oficial do Município de Maceió de 09 de fevereiro de 2007. Disponível em: http://www.maceio.al.gov.br/sempla/plano-diretor/ Maceió, 168 p., 2007.

Publicado
2015-12-08
Como Citar
Cavalcanti, V., Faria, G., Costa, V. R., Silva, L. G., & Moura, L. R. (2015). Empreendimentos e ações públicas e privadas em Maceió/AL no início do milênio. Paisagem E Ambiente, (36), 11-33. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i36p11-33
Seção
Paisagem Urbana