O laçador: espectro de significação e identidade

  • Maria Alice Medeiros Dias Pontificia Universidade Católica. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Porto Alegre (RS)
  • Marcos Pereira Diligenti Pontificia Universidade Católica. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Porto Alegre (RS)
Palavras-chave: Monumento d’O Laçador. Escultura pública. Arte pública. Espaço público. Identidade urbana. Significação urbana.

Resumo

O Monumento d’O Laçador foi concebido para simbolizar o gaúcho, figura emblemática do homem do campo, personagem principal da tradição rio-grandense, trabalhador da lida campeira, protagonista na criação de gado no Pampa do Rio Grande do Sul. A obra de Antônio Caringi ocupou durante quarenta e oito anos o Largo do Bombeiro, em uma das entradas da cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. A sua localização foi um dos fatores que contribuiu para que a Escultura fosse incorporada à imagem da Cidade e ao imaginário do porto alegrense como ícone da identidade gaúcha e símbolo da receptividade aos que por ali chegavam. Em 2007, em razão de uma obra viária, a Escultura foi deslocada para um espaço público especificamente projetado para recebê-la: o Sítio do Laçador, localizado a menos de um quilômetro do lugar original. O artigo trata dos impactos causados pelo deslocamento dessa importante Escultura Pública investigando a gama de fatores objetivos e subjetivos intrínsecos a esse processo, com ênfase na criação, implantação em logradouro público, identificação com a Cidade e com a população, ocasionados pela transferência de local na imagem da cidade, na identidade urbana e no papel d’O Laçador na paisagem de Porto Alegre.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Alice Medeiros Dias, Pontificia Universidade Católica. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Porto Alegre (RS)

Arquiteta e urbanista pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Especialista em Ensino e Pesquisa na Arquitetura pelo Centro Universitário Ritter dos Reis (UniRitter). Especialista em Expressão Gráfica e mestre em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Doutoranda em Arquitetura pelo Programa de Pesquisa e Pós-Graduação em Arquitetura (PROPAR) da UFRGS. Professora adjunta, pesquisadora e coordenadora do Departamento de Projetos da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (FAUPUCRS). Líder do Grupo de Pesquisa CNPq em Paisagismo Urbano. Avenida Ipiranga, 6.681, prédio 9, 90610-001, Partenon, Porto Alegre, RS, Brasil.

 

Marcos Pereira Diligenti, Pontificia Universidade Católica. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Porto Alegre (RS)
Engenheiro Civil, mestre e doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS). Pós-doutor em Arquitetura e Urbanismo pelo Instituto Superior Técnico (IST) de Lisboa e pela Pontificia Universidad Católica de Chile (UC). Professor titular e pesquisador da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (FAUPUCRS). Membro do Núcleo de Habitação de Interesse Social e Sustentabilidade da FAUPUCRS. Coordenador do Grupo de Pesquisa SUSTENFAU (Sustentabilidade Social e Avaliação Pós-ocupacional). Associado ao Instituto Brasileiro de Direito Urbanístico (IBDU). Membro do International Federation for Housing and Planning (IFHP). Líder do Grupo de Pesquisa em Habitação de Interesse Social e Sustentabilidade do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) Avenida Ipiranga, 6.681, prédio 9, 90610-001, Partenon, Porto Alegre, RS, Brasil.

Referências

ALVES, José Francisco. A Escultura Pública de Porto Alegre: história, contexto e significado. Porto Alegre: Artfolio, 2004. 262 p. il.

AUGÉ, Marc. Não Lugares: Introdução a uma antropologia da supermodernidade. Porto Alegre: Papirus, 1994. 110 p.

AUGÉ, Marc. El viaje imposible: El turismo y sus imágenes. Barcelona: Gedisa,1998. 143 p.

AXT, Gunter; SCLIAR, Moacyr. Parque Farroupilha – Redenção: Histórias de Porto Alegre. Porto Alegre: Editora Paiol, 2011. 152 p. il.

DIAS, Elisa dos Santos. Entre chafarizes e cuias: representações e imposições da arte pública em Porto Alegre/RS. 2012. 56 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Museologia) - Faculdade de Biblioteconomia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/67144. Acesso em: 26 jun. 2015.

FLORES, Ana Berenice Hubner. Design, Território e Tecnologia 3D na Preservação Cultural em Suporte Material Sustentável: Estudo de Caso do Monumento “O Laçador”. 2012. 177 f. Dissertação (Mestrado em Design) – Escola de Engenharia e Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: 2012. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/67833. Acesso em: 26 jun. 2015.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 1996. 165 p.

FUNDACIÓN Mon ROU. Gauchos. Monedas de La República Oriental del Uruguay. 1992. Disponível em: http://www.monedasuruguay.com/ser/4-gaucho/1992.htm. Acesso em: 26 de julho de 2015.

GUEDES, Berenice Lagos. O Mito do Gaúcho e suas repercussões na História da Educação no Rio Grande do Sul. Revista Tempos e Espaços em Educação. V. 2, p. 53-68 jan./jun. 2009. Disponível em: http://www.seer.ufs.br/index.php/revtee/article/view/2203. Acesso em: 26 jun. 2015.

MAGS, André. Polêmica em bronze: Paixão Côrtes aponta problemas no monumento O Laçador. Folclorista que serviu de modelo à estátua critica condições do local e o laço da escultura. Zero Hora, Porto Alegre,11/11/2012, 21h59min, Notícias. Disponível em: http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2012/11/paixao-cortes-aponta-problemas-no-monumento-o-lacador-3948017.html. Acesso em: 26 jun. 2015.

MÜTZENBERG, Lenice Lucia. A Escultura Pública de Antônio Caringi em Pelotas. 2006. 65 f. Monografia (Pós-Graduação em Artes - Especialização em Patrimônio Cultural: Conservação de Artefatos) - Instituto de Artes e Design da Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2006. Disponível em: http://wp.ufpel.edu.br/especializacaoemartesvisuais/files/2013/12/Lenice-L%C3%BAcia-Mutzenberg-%E2%80%93-2006.pdf. Acesso em: 26 jun. 2015.

NOVAIS, Nanci Santos. Escultura e Cidade: uma relação ampliada no âmbito da contemporaneidade. Cultura Visual, n. 14, dezembro/2010, Salvador: EDUFBA, p.41-52.

PAIXÃO, Antonina Zulema. A escultura de Antônio Caringi: conhecimento, técnica e arte. Pelotas: Editora e Gráfica Universitária UFPel, 1988. 114 p. il.

PORTO ALEGRE. Sítio do Laçador Será inaugurado amanhã. Diário Oficial de Porto Alegre. Órgão de divulgação Oficial do Município. Ano XII. Edição 2995. Porto Alegre, sexta-feira, 30 de março de 2007. Disponível em:

http://lproweb.procempa.com.br/pmpa/prefpoa/dopa/usu_doc/30marco07.pdf. Acesso em: 26 jun. 2015.

PORTO ALEGRE. Lei Complementar Nº 275/92, de 06 de abril de 1992. Dispõe sobre a proteção do Patrimônio Histórico, Cultural e Natural do Município de Porto Alegre, disciplina a integração de bens móveis e imóveis, cria incentivos ao tombamento e dá outras providências. Disponível em: http://www2.portoalegre.rs.gov.br/smc/default.php?reg=7&p_secao=87. Acesso em: 26 jun. 2015.

RIO GRANDE DO SUL. Projeto de Lei Nº 13/2006. Deputado Giovani Cherini. Diário Oficial da Assembleia Legislativa. Nº 9255, Ano LXV, 52ª Legislatura, 2ª Sessão Legislativa, Caderno de Processo Legislativo. Porto Alegre, quinta-feira, 15 de maio de 2008. Disponível em: http://www2.al.rs.gov.br/DiarioOficial/Publicados/63C48161-D01F-4399-8525-3930190564F4.PDF. Acesso em: 26 jun. 2015.

SANTOS, Milton. Espaço e sociedade. Petrópolis: Vozes, 1979. 152 p.

SANTOS, Milton. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção / Milton Santos. - 4. ed. 2. reimpr. - São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006. 259 p.

VERÍSSIMO, Luís Fernando; FONSECA, Joaquim da. Traçando Porto Alegre. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 6. ed., 1996. 143 p. il.

Publicado
2015-12-08
Como Citar
Dias, M. A., & Diligenti, M. (2015). O laçador: espectro de significação e identidade. Paisagem E Ambiente, (36), 209-227. https://doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i36p209-227
Seção
Espaços Livres