Sobre "cavaleiras": a (re)criação do medievo em Cornelia Funke

Autores

  • Daniele Gallindo Gonçalves Silva Universidade Federal de Pelotas; Centro de Letras e Comunicação

DOI:

https://doi.org/10.11606/1982-883719291

Resumo

No âmbito da literatura infantil e juvenil em língua alemã contemporânea, destaca-se a produção de Cornelia Funke. Nascida em Dorsten em 1958, a autora - ou mais especificamente a contadora (Erzählerin), como gosta de se denominar -, acrescenta a seus textos a habilidade de ilustradora. Desde o sucesso mundial da triologia Tintenherz (Coração de tinta), Funke tornou-se uma personalidade de sucesso no universo infantil e juvenil. Em grande parte de suas obras, há a presença latente do imaginário ocidental acerca do medievo. Todavia, trata-se de uma recepção desse medievo, seja através da (re)criação de imagens ou da (re)estruturação de temáticas referentes ao universo cortês. O artigo aqui proposto analisa três obras de Funke, a saber: Die geraubten Prinzen (1994), Igraine ohne Furcht (1998) e Der geheimnisvolle Ritter Namenlos (2001), tendo como ponto de partida entrevistas da própria autora acerca do tema; ou seja, pensar-se-á a relação estabelecida entre o factual e o ficcional. Ao focar na questão da releitura do medievo, o artigo prentende compreender a ressignificação do medievo através tanto de imagens recriadas quanto da inserção de um novo tipo de herói, protagonistas femininas.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

2016-12-01

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

SILVA, Daniele Gallindo Gonçalves. Sobre "cavaleiras": a (re)criação do medievo em Cornelia Funke . Pandaemonium Germanicum, São Paulo, Brasil, v. 19, n. 29, p. 1–20, 2016. DOI: 10.11606/1982-883719291. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/pg/article/view/128165.. Acesso em: 17 abr. 2024.