Sobre "cavaleiras": a (re)criação do medievo em Cornelia Funke

Autores

  • Daniele Gallindo Gonçalves Silva Universidade Federal de Pelotas; Centro de Letras e Comunicação

DOI:

https://doi.org/10.11606/1982-883719291

Resumo

No âmbito da literatura infantil e juvenil em língua alemã contemporânea, destaca-se a produção de Cornelia Funke. Nascida em Dorsten em 1958, a autora - ou mais especificamente a contadora (Erzählerin), como gosta de se denominar -, acrescenta a seus textos a habilidade de ilustradora. Desde o sucesso mundial da triologia Tintenherz (Coração de tinta), Funke tornou-se uma personalidade de sucesso no universo infantil e juvenil. Em grande parte de suas obras, há a presença latente do imaginário ocidental acerca do medievo. Todavia, trata-se de uma recepção desse medievo, seja através da (re)criação de imagens ou da (re)estruturação de temáticas referentes ao universo cortês. O artigo aqui proposto analisa três obras de Funke, a saber: Die geraubten Prinzen (1994), Igraine ohne Furcht (1998) e Der geheimnisvolle Ritter Namenlos (2001), tendo como ponto de partida entrevistas da própria autora acerca do tema; ou seja, pensar-se-á a relação estabelecida entre o factual e o ficcional. Ao focar na questão da releitura do medievo, o artigo prentende compreender a ressignificação do medievo através tanto de imagens recriadas quanto da inserção de um novo tipo de herói, protagonistas femininas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-12-01

Como Citar

SILVA, D. G. G. Sobre "cavaleiras": a (re)criação do medievo em Cornelia Funke . Pandaemonium Germanicum, São Paulo, v. 19, n. 29, p. 1-20, 2016. DOI: 10.11606/1982-883719291. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/pg/article/view/128165. Acesso em: 4 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos