Textos didatizados e não didatizados de alemão como língua adicional: uma análise quantitativa e qualitativa para o projeto Zeitgeist

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/1982-88372444421

Palavras-chave:

Frequência de ocorrência, Autenticidade de textos didáticos, Alemão como língua adicional

Resumo

A partir de dados sobre a frequência de ocorrência de pronomes reflexivos, retirados de textos de quatro livros didáticos de língua alemã (Blaue Blume, 2011; DaF kompakt neu A2, 2016; Menschen A2, 2013; Studio d A2, 2006), o presente artigo discute meios para a identificação de insumos didatizados e não didatizados. Essa proposta é justificada pelo interesse em desenvolver uma base empírica que auxilie a seleção de textos para um projeto de criação de um material didático destinado ao ensino de alemão em contexto universitário no Brasil. Para o tratamento dos textos utilizamos os programas WordSmith Tools (2016) e QuAX-DaF (2019). Tais ferramentas apresentam dados de frequência de ocorrência nos textos investigados, além de estabelecer uma relação com um corpus autêntico de língua alemã (Leipzig Corpora Collection). Os resultados indicam que a investigação da frequência de ocorrência pode estabelecer uma base quantitativa e qualitativa para a escolha textual de acordo com a progressão lexical e gramatical desejada, podendo ser um critério para a inclusão ou de exclusão de textos para o ensino de línguas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AQUINO, M. A contribuição da ferramenta de corpus para o ensino das PMs denn, doch, halt e wohl. Diálogo das Letras, v. 8, n. 1, 144-158, 2019.

AQUINO, M. Mudando o ritmo das aulas de alemão como língua adicional por meio de músicas e mídias digitais. Pandaemonium Germanicum, v. 24, n. 42, 22-47, 2021.

ANDRADE E SILVA, M. K. Autenticidade de materiais e ensino de línguas estrangeiras. Pandaemonium Germanicum, v. 20, n. 31, 1-29, 2017.

ARANTES, P. Imagens de aprendizes de ALE em livros didáticos e o disciplinamento dos saberes. Pandaemonium Germanicum, v. 21, n. 34, 1-30, 2018.

BAKHTIN, M. M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes. 1997.

BOOJJ, G. The grammar of words: an introduction to linguistic morphology. Oxford: Oxford University Press, 2005.

BRAUN, B. DaF kompakt neu A2. Deutsch als Fremdsprache für Erwachsene. Stuttgart: Klett, 2016.

BYBEE, J. Mechanisms of change in grammaticization: the role of frequency. In: BRIAN, D. J.; RICHARD, D. J. (ed.). Handbook of Historical Linguistics. Oxford: Blackwell. 2002.

BYBEE, J. Language, Usage and Cognition. New York: Cambridge University Press, 2010.

CONSELHO DA EUROPA. Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas – Aprendizagem, Ensino, Avaliação. Porto: Edições Asa, 2001. Online: http://www.goethe.de/z/50/commeuro/deindex.htm (05/08/2020)

EICHHEIM, H. Blaue Blume. Deutsch als Fremdsprache. Kursbuch. Portugiesische Ausgabe. Übersetzung Paulo Oliveira, Susana Kampff Lages. São Paulo: Editora Unicamp, 2011.

FUNK, H. Studio d A2. Kurs- und Übungsbuch. Berlin: Cornelsen, 2006.

GLAS-PETERS, S. Menschen A2. Kursbuch. München: Hueber, 2013.

GOLDHAHN, D.; ECKART, T.; QUASTHOFF, U. Building large monolingual dictionaries at the Leipzig Corpora Collection: From 100 to 200 languages. In: Proceedings of the Eight International Conference on Language Resources and Evaluation (LREC’12). Istanbul: European Language Resources Association (ELRA), 2012.

HALLET, W. Umgang mit Texten und Medien. In: HALLET, W.; KÖNIGS, F. G. (ed.). Handbuch Fremdsprachendidaktik. Seelze: Kallmeyer, 2010, 173-177.

JACH, D. QuAX-DaF: Quantitative Analyse von Texten für den Deutsch-als-Fremdsprache-Unterricht. 2019. Online: https://daniel-jach.github.io/quax-daf/documentation/quax-daf-documentation.pdf (05/08/2020)

KRAMSCH, C. Language and Culture. Oxford: Oxford University Press, 1998.

LUCHTENBERG, S. Language Awareness. In: AHRENHOLZ, B.; OOME-WELKE, I. (Org.). Deutsch als Zweitsprache. Baltmannsweiler: Schneider Verlag, 2008, 107-117.

NATION, P; WARING, R. Vocabulary size, text coverage and word lists. In: SCHMITT, N.; MCCARTHY, E. (ed.). Vocabulary: description, acquisition and pedagogy. New York: Cambridge University Press, 1997, 6-19.

NEUNER, G.; HUNFELD, H. Methoden des Fremdsprachlichen Deutschunterrichts: eine Einführung. Langenscheidt: Berlin, 1993.

OLIVEIRA, P.; LADEL L. Zeitgeist: Modelando um projeto editorial com interface digital. Pandaemonium Germanicum, no prelo.

RÖSLER, D. Deutsch als Fremdsprache. Eine Einführung. Stuttgart: J. B. Metzler, 2012.

SCHMIDT, C. Estudo de livros didáticos de língua alemã no ensino superior brasileiro: foco nos aspectos gramáticos. Revista Expectativa, v. 16, n. 1, 36-55, 2017.

SCOTT, M. WordSmith Tools Version 7.0. Oxford: Oxford University Press, 2016.

THURMAIR, M. Alternative Überlegungen zur Didaktik von Modalpartikeln. Deutsch als Fremdsprache, v. 47, n. 1, 3-9, 2010.

TSCHIRNER, E. Der rezeptive Wortschatzbedarf im Deutschen als Fremdsprache. Edição de T. Studer, I. Thonhauser & E. Peyer. In: STUDER, T.; THONHAUSER, I.; PEYER, E. (Hrsg.). Akten der XVI. Internationalen Deutschlehrertagung (IDT). Berlin: Erich Schmidt, 2019, 98-111.

Downloads

Publicado

2021-06-25

Como Citar

AQUINO, M.; CHERCHIGLIA, A. Textos didatizados e não didatizados de alemão como língua adicional: uma análise quantitativa e qualitativa para o projeto Zeitgeist . Pandaemonium Germanicum, São Paulo, v. 24, n. 44, p. 421-451, 2021. DOI: 10.11606/1982-88372444421. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/pg/article/view/187711. Acesso em: 28 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos