Literatura e escrita criativa em sala de aula invertida de alemão como língua estrangeira durante a pandemia de Covid-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/1982-8837254737

Palavras-chave:

Pandemia de covid-19, Sala de aula invertida, Literatura, Escrita criativa, Alemão como Língua Estrangeira

Resumo

Durante a pandemia de Covid-19 em 2020, professores e alunos viram-se impelidos a utilizar estratégias de ensino remoto, para não interromperem o andamento das aulas. Nesse contexto, o modelo pedagógico “Sala de Aula Invertida” (Leffa; Duarte; Alda 2016) (Andrade; Coutinho 2018) foi uma possibilidade para a implementação on-line da proposta “Literatura e escrita criativa em sala de aula invertida de alemão como língua estrangeira”. A literatura pode se apresentar como alternativa a textos não-autênticos dos livros didáticos de língua estrangeira, trazendo importantes contextos de vocabulário e estruturas corretamente empregadas (Koppensteiner 2001). A escrita criativa tem na leitura a base que constrói o repertório do escritor, e, através de técnicas, resgata sua criatividade (Rodrigues 2015). O professor de língua estrangeira poderá usar essa criatividade para trabalhar em aula a escrita, além da gramática, da leitura, da oralidade (Silva 2013). Da proposta participaram uma dupla e uma aluna individual, de nível A2 (QECR 2001); foram lidos cinco livros de autores de língua alemã, discutidos os temas abordados nas obras, contextualizados e também transpostos para os dias atuais, permitindo às alunas comentá-los no contexto cultural brasileiro. Esse processo embasou a escrita das histórias dessas alunas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMARAL, Eliane; POLYDORO, Soely. Os desafios da mudança para o ensino remoto emergencial na graduação na UNICAMP – Brasil. Linha Mestra, n. 41ª, 52-62, 2020.

ANDERSON, Lorin, W. et al. A taxonomy for learning, teaching and assessing: a revison of Bloom’s Taxonomy of Educational Objectives. Nova York: Addison Wesley Longman, 2001.

ANDRADE, Maria José Pimentel de; COUTINHO, Clara Pereira. A sala de aula invertida e suas implicações para o ensino. Revista Paidéi@. Unimes Virtual, v. 10, n. 17, janeiro 2018. Disponível em: http://periodicos.unimesvirtual.com.br/index.php?journal=paideia&page=index (08/12/2021).

BARBINI, Marco. A Função da Escrita Criativa no Ensino da Língua Estrangeira. Relatório de estágio de Mestrado. Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2015.

BELL, Teresa R. The Flipped German Classroom. In: Brigham Young University: 2014. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/284180566_The_Flipped_German_Classroom/stats (08/12/2021).

BOLLELA, Valdes Roberto; CESARETTI, Mário Luís Ribeiro. Sala de aula invertida na educação para as profissões de saúde: conceitos essenciais para a prática. Revista Eletrônica de Farmácia, v. 14, n. 1, 39-48, 2017.

BLOOM, Benjamin Samuel. Taxonomy of educational objectives. New York: David Mckay, 1956.

BREDELLA, Lothar. Das Verstehen und Interpretieren literarischer Texte: Erziehung zur Objektivität oder zur Kreativität? In: Rezeptionsforschung zwischen Hermeneutik und Empirik. Elrud Ibisch; Dick H. Schram (Org.). Amsterdam: Rodopi, 1987, 107-136.

¬ BREDELLA, Lothar. Wozu lesen wir Geschichten im Fremdsprachenuntericht? Zur Entwicklung von Emphathie-, Kooperations- und Urteilsfähigkeit. Zeitschrift für Fremdsprachenforschung, v. 23, n. 1, 3-31, 2012.

CARNAZ, Maria Elizabete Alves Rosa. Da Criatividade à Escrita Criativa. Dissertação de Mestrado – Didática da Língua Portuguesa. Departamento de Educação, Escola Superior de Educação, Coimbra, 2013.

CERRILLO, Pedro César. A escrita criativa dos alunos. Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade de Passo Fundo, v. 4, n. 2, 177-191, 2008.

CONSELHO DA EUROPA. Quadro europeu comum de referência para as línguas. Aprendizagem, ensino, avaliação. Porto: Edições ASA, 2001.

ENDE, Michael. Lenchens Geheimnis. Adaptação de Stefan Freund. Easy Readers Leicht zu Lesen Gegenwartsliteratur A. Ulla Mammose (Org.). Kopenhagen: Easy Readers, 1995.

FERRAZ, Ana Paula do Carmo Marchetti; BELHOT, Renato Vairo. Taxonomia de Bloom: revisão teórica e apresentação das adequações do instrumento para definição de objetivos instrucionais. Gest. Prod., São Carlos, v. 17, n. 2, 421-431, 2010.

FISH, Stanley Eugene. Is There a Text in This Class? The Authority of Interpretive Communities. Cambridge MA: Harvard University Press, 1980.

HODGES, Charles; MOORE, Stephanie; LOCKEE, Barb; et al. The Difference Between Emergency Remote Teaching and Online Learning. 2020. Disponível em https://er.educause.edu/articles/2020/3/the-difference-between-emergency-remote-teaching-and-online-learning (08/12/2021).

HUNFELD, Hans. Kriterien literarischer Wertung – aus der Perspektive des Didaktikers. Vortrag im Goethe-Institut, Istanbul. 1988, 21-35.

ISER, Wolfgang. Der Akt des Lesens. München: UTB für Wissenschaft, 1976.

KLEIST, Heinrich von. Der zerbrochene Krug. Adaptação de Urs Luger. Deutsch als Fremdsprache Niveaustufe A2 Leichte Literatur. Franz Specht (Org.). Ismaning: Hueber Verlag, 2011.

KOPPENSTEINER, Jürgen. Literatur im DaF-Unterricht: eine Einführung in produktiv-kreativ Techniken. Wien: öbv und hpt, 2001.

KOREIK, Uwe. Landeskunde. In: AHRENHOLZ, Bernt; OOMEN-WELKE, Ingelore. Handbuch Deutsch als Fremdsprache (Deutschunterricht in Theorie und Praxis, Band 10). Baltmannsweiler: Schneider, 162-170, 2013.

LEFFA, Vilson J.; DUARTE, Gabriela B.; ALDA, Lucía S. A sala de aula invertida: o que é e como se faz. In: Clarissa Menezes Jordão. (Org.) A linguística aplicada no brasil: rumos e passagens. 1. ed. Campinas: Pontes Editora, 2016, v. 1, 365-386.

LICHTENBERG, Georg Christoph. Schriften und Briefe. Sudelbücher I, v. 1. München: Hanser, 1973.

LIMA, Adriana Borgerth Vial Corrêa; STANKE, Roberta Cristina Sol Fernandes. A tradução intercultural como sensibilização para aspectos culturais no ensino de alemão. Pandaemonium Germanicum, v. 25, n. 46, 141-171, 2022.

LAJOLO, Marisa. Literatura: leitores & leitura. São Paulo: Moderna, 2001.

MANCELOS, João de. Manual de escrita criativa. Lisboa: Colibri, 3.ed., 2021. Disponível em https://joaodemancelos.files.wordpress.com/2021/03/manual-de-escrita-criativa-excerto.pdf (9/3/2021).

MANCELOS, João de. O ensino da Escrita Criativa em Portugal: Preconceitos, Verdades e Desafios. Exedra (Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Coimbra) n. 2, 155-160, 2010.

RODRIGUES, Flávio Luis Freire. A produção de texto na perspectiva da escrita criativa. Diálogo das Letras, Pau dos Ferros, v. 4, n. 1, 5-13, 2015.

SCHNITZLER, Arthur. Fräulein Else. Adaptação de Urs Luger. Deutsch als Fremdsprache Niveaustufe A2 Leichte Literatur. Franz Specht (Org.). Ismaning: Hueber Verlag, 2014.

SPYRI, Johanna. Heidi. Adaptação de Iris Felter. Easy Readers Leicht zu Lesen Klassiker 0. Ulla Mammose (Org.). Kopenhagen: Easy Readers, 2004.

SILVA, Cátia Sofia Oliveira da. A Escrita Criativa aplicada ao ensino de Língua Estrangeira e de Língua Materna. Dissertação de Mestrado da Faculdade de Letras – Universidade do Porto. Porto, 2013.

STANKE, Roberta Cristina Sol Fernandes. Cultura e Interculturalidade na formação do professor de alemão no Rio de Janeiro. Tese de Doutorado em Linguística Aplicada – Faculdade de Letras - Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2014.

TEIXEIRA, Isabel de Campos Fernandes. A escrita criativa colaborativa em língua estrangeira: projeto storytellers. Dissertação de Mestrado – Escola Superior de Educação – Instituto Politécnico de Viana do Castelo. Viana do Castelo, 2018.

TILL EULENSPIEGEL. Easy Readers Leicht zu Lesen Klassiker 1. Ulla Mammose (Org.). Kopenhagen: Easy Readers, 1982.

Downloads

Publicado

2022-07-12

Como Citar

LIMA, A. B. V. C. . Literatura e escrita criativa em sala de aula invertida de alemão como língua estrangeira durante a pandemia de Covid-19. Pandaemonium Germanicum, São Paulo, v. 25, n. 47, 2022. DOI: 10.11606/1982-8837254737. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/pg/article/view/199742. Acesso em: 12 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Ensino remoto de língua alemã - sobre aprendizagens e perspectivas