Formação inicial de professoras/es de línguas e contexto pandêmico: o foco nas práticas colaborativas para o enfrentamento de desafios

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/1982-88372547223

Palavras-chave:

Formação inicial de professores, Ensino remoto emergencial, Práticas colaborativas, Professor reflexivo

Resumo

Os desafios na formação inicial de docentes são inúmeros, especialmente de professores de línguas adicionais. No contexto pandêmico do novo Coronavírus, mais desafios foram impostos, especialmente no emprego quase que imediato de tecnologias digitais para uma modalidade de ensino emergencial remota. No artigo em tela, discutimos os desafios que foram impostos à formação inicial de professores de alemão como língua adicional, considerando a crise pandêmica e o contexto de projetos de extensão em duas universidades públicas do Rio de Janeiro. Como fundamentação teórica baseamo-nos nos conceitos de professor reflexivo e prática reflexiva, bem como de teorias sociointeracionistas para a discussão de práticas colaborativas na formação de professores. Adotamos como metodologia de pesquisa uma abordagem interpretativista, calcada na observação-participante e na pesquisa-ação, com dados gerados a partir de análise de diários e documentos oriundos dos encontros de orientação entre as/os extensionistas e as professoras orientadoras. Os resultados deste estudo apontam a importância das práticas colaborativas adotadas nos encontros de orientação acadêmica no âmbito de projetos de ensino-aprendizagem de línguas, as quais se atrelam à formação de um profissional reflexivo, que através da reflexão e da ação são agentes de transformações socioeducacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARROS, Simone; CAVALCANTE, Patrícia S. Os recursos computacionais e suas possibilidades de aplicação no ensino segundo as abordagens de ensino e aprendizagem. Anais do Workshop Internacional Sobre Educação Virtual: Realidade e desafios para o próximo Milênio. Fortaleza: UECE, 1999.

BAILEY, Kathleen M.; CURTIS, Andy; NUNAN, David. Pursuing Professional Development: Self as Source. Texas: Donald Freeman, 2001.

CELANI, Maria A. A. Professores Formadores em Mudança: Relato de um processo de reflexão da prática docente. Campinas: Mercado de Letras, 2002, 26-27.

DEMO, Pedro. Metodologia científica em Ciências Sociais. São Paulo: Atlas, 1995.

DENZIN, Norman K.; LINCOLN, Yvonna S. A disciplina e a prática da pesquisa qualitativa. In: _______ (orgs.). O Planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre: Artmed, 2006.

DEWEY, John. Democracia e Educação. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1959.

DILLENBOURG, Pierre. What do you mean by collaborative learning? In: DILLENBOURG, Pierre. (Org.) Collaborative-learning: Cognitive and Computational Approaches. Oxford: Elsevier, 1999, 1-19.

DORIGON, Thaisa C.; ROMANOWSKI, Joana P. A reflexão em Dewey e Schön. Revista Intersaberes, Curitiba, ano 3, n. 5, 2008, 8-22.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

LE BOTERF, Guy. Pesquisa participante: propostas e reflexões metodológicas. In: BRANDÃO, Carlos Rodrigues (Org.). Repensando a pesquisa participante. São Paulo: Brasiliense, 1985, 51-81.

PAWLOWSKI, Charlotte. S., ANDERSEN, Henriette. B., TROELSEN, Jens, & SCHIPPERIJN, Jasper. Children's physical activity behavior during school recess: A pilot study using GPS, accelerometer, participant observation, and go-along interview. Plos One, v. 2, n. 11, 2016.

MENDES, Enicéia G; VILARONGA, Carla A. R; ZERBATO, Ana Paula. Ensino colaborativo como apoio à inclusão escolar: unindo esforços entre educação comum e especial. São Carlos: UFSCar, 2014, 68-88.

NÓVOA, António. Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1993.

NUNAN, David. Collaborative Language Learning and Teaching. Cambridge: Cambridge University Press, 1992.

KOHM, Barbara.; NANCE, Beverly. Creating Collaborative Cultures. Educational Leadership, v. 67, n. 2, 2009.

SCHÖN, Donald A. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, António (Org.). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

SCHÖN, Donald A. Educando o Profissional Reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Trad. Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SILVA, Edna Lúcia; MENEZES, Estera M. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção. Florianópolis: Laboratório de Ensino a Distância da UFSC, 2000.

SOUZA, Rodrigo A. de; MARTINELLI, Telma A. P. Considerações históricas sobre a influência de John Dewey no pensamento pedagógico brasileiro. Revista HISTEDBR, Campinas, v. 9, n. 35, 160–172, 2009. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639620. Acesso em: 28 dez. 2020.

SWAIN, Merril. The output hypothesis and beyond: Mediating acquisition through collaborative dialogue. In: LANTOLF, James P. (Ed.) Sociocultural Theory and Second Language Learning. Oxford, England: Oxford University Press, 2000, 97-114.

SWAIN, Merril. Integrating Language and Content Teaching through Collaborative Tasks. The Canadian Modern Language Review/La Revue Canadienne Des Langues Vivantes, n. 58, 2001, 44-63.

SWAIN, Merril; WATANABE, Yuko. Languaging: Collaborative Dialogue as a Source of Second Language Learning. In: CHAPELLE, C.A. (Ed.), The Encyclopedia of Applied Linguistics. Hoboken: Wiley-Blackwell, 2013, 3218-3225.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 2000.

VYGOTSKY, Lev S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2005.

ZEICHNER, Kenneth M. Idéias e Práticas. Trad. Maria Nóvoa. Lisboa: Educa, 1993.

Downloads

Publicado

2022-07-12

Como Citar

STANKE, R. C. S. F.; FERREIRA, M. V. Formação inicial de professoras/es de línguas e contexto pandêmico: o foco nas práticas colaborativas para o enfrentamento de desafios. Pandaemonium Germanicum, São Paulo, v. 25, n. 47, 2022. DOI: 10.11606/1982-88372547223. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/pg/article/view/199772. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Ensino remoto de língua alemã - sobre aprendizagens e perspectivas