Die Leiden des jungen Werthers à luz da história do conceito de subjetividade

Autores

  • Felipe Vale da Silva

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1982-88372013000100005

Palavras-chave:

Sentimentalismo, Goethe, subjetividade, modernidade, romance epistolar

Resumo

O artigo analisa os paralelos entre o retrato do 'sujeito moderno em crise' visto no romance Die Leiden des jungen Werthers de Goethe e, por outro lado, o perfil psicossocial do 'homem do sentimento' do século XVIII, fruto da cultura da Empfindsamkeit. Defendo a perspectiva de que, no romance, Goethe não apenas se utiliza do formato literário mais tradicional da Empfindsamkeit (o do romance epistolar), como também se apropria de topói e técnicas discursivas que lhe são próprias em registro radicalmente heterodoxo. A argumentação nos ligará a uma dedução da visão do conceito de subjetividade moderna com que Goethe trabalha em sua fase final do Sturm und Drang, e que o situa como importante nome do discurso filosófico da modernidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-06-01

Como Citar

SILVA, F. V. da. Die Leiden des jungen Werthers à luz da história do conceito de subjetividade . Pandaemonium Germanicum, São Paulo, v. 16, n. 21, p. 79-110, 2013. DOI: 10.1590/S1982-88372013000100005. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/pg/article/view/64130. Acesso em: 19 out. 2021.

Edição

Seção

Literatura/ Cultura - Literatur-/Kulturwissenschaft