A Perturbação, de Thomas Bernhard, em português: duas traduções em comparação

Autores

  • Ruth Bohunovsky

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1982-88372013000100007

Palavras-chave:

Thomas Bernhard, tradução literária, recepção

Resumo

Neste artigo, comparamos duas traduções em língua portuguesa do romance Verstörung (primeira edição em língua alemã em 1967) do escritor austríaco Thomas Bernhard: a tradução portuguesa (1986, por Leopoldina Almeida) e a brasileira (1999, por Hans Peter Welper e José Laurenio de Melo). Partimos da premissa de que Verstörung é um livro com uma dimensão performativa acentuada, ou seja, a perturbação que dá nome ao livro não está representada apenas no enredo e na caracterização dos personagens, mas também - ou sobretudo - no estilo, na linguagem do texto em alemão. Discutimos e comparamos diferentes soluções tradutórias nas referidas versões em português, assim como os paratextos que constam nas duas publicações. Constatamos duas posturas divergentes ao lidar com as especificidades da linguagem da obra, ambas com consequências para o seu efeito performativo. Por fim, sugerimos que essas posturas possam ser reflexos das diferenças da própria crítica literária em relação a Thomas Bernhard em dois momentos diversos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-06-01

Como Citar

BOHUNOVSKY, R. A Perturbação, de Thomas Bernhard, em português: duas traduções em comparação . Pandaemonium Germanicum, São Paulo, v. 16, n. 21, p. 128-148, 2013. DOI: 10.1590/S1982-88372013000100007. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/pg/article/view/64132. Acesso em: 3 fev. 2023.

Edição

Seção

Estudos de Tradução - Übersetzungswissenschaft